Publicidade

10 melhores desenhos clássicos para assistir no streaming

Por| Editado por Jones Oliveira | 10 de Outubro de 2022 às 20h00

Link copiado!

Toei Animation, Fox Kids
Toei Animation, Fox Kids

A gente sabe bem que o Dia das Crianças não é feito apenas para os pequenos. Tudo bem que são eles que ganham os presentes, mas a data também serve para os marmanjos mergulharem na nostalgia e lembrarem da infância querida, da aurora da sua vida e daqueles tempos que não voltam mais. E os streamings são uma bela ajuda nesse sentido, com diversos desenhos clássicos em seu catálogo.

São aquelas mesmas animações que você via antes de ir para a escola, à tarde com os amigos ou que só conseguia assistir caso deixasse o videocassete programado para gravar enquanto estava na aula. Seja na TV aberta ou nos canais a cabo, o fato é que você com certeza lembra desses desenhos com muito carinho.

E por mais que o filtro do tempo até tenha mostrado que eles não eram tão bons quanto você achava quando tinha seus 10 ou 12 anos, a verdade é que revisitar esses clássicos é deixar de lado todo esse olhar crítico. Abraçar o saudosismo e revisitar esses desenhos é voltar a ser criança nem que seja por uma tarde — ou, em alguns casos, apresentar a uma nova geração o que era bom no seu tempo.

Continua após a publicidade

10. Naruto

Quem já passou dos 30 anos pode estranhar a presença de Naruto nessa lista de desenhos clássicos. Afinal, o anime do ninja de roupa laranja é uma produção recente, não é mesmo? Na verdade, o desenho acaba de completar 20 anos e há toda uma geração que cresceu acompanhando as aventuras desse protagonista barulhento.

Naruto foi um dos grandes responsáveis por reacender o interesse do público brasileiro em animes em meados dos anos 2000, quando Dragon Ball e Cavaleiros do Zodíaco passaram a ser coisa de gente velha. O tom que mistura muito bem à ação com humor e drama conseguiu engajar o pessoal em um nível tão absurdo que essa história segue envolvente até hoje.

Continua após a publicidade
O Canaltech está no WhatsApp!Entre no canal e acompanhe notícias e dicas de tecnologia

E é daí que surge essa sensação de que a animação é recente parte disso. Só que o grande mérito de Naruto foi conseguir se renovar e criar uma trama contínua que desenvolve já o filho desse protagonista ao mesmo tempo em que traz um novo público para seu universo.

Naruto está disponível na Netflix, Crunchyroll e na HBO Max.

9. X-Men Evolution

Continua após a publicidade

Pegando carona no sucesso dos filmes, X-Men Evolution foi um enorme sucesso por saber aproveitar muito bem a febre dos mutantes nos cinemas e adaptá-la para um público mais novo. Ao trazer os heróis como adolescentes que salvavam o mundo entre uma aula e outra, o tom das aventuras combinou muito bem o clima heróico das HQs com algo mais leve e divertido, como exigido pelo público-alvo.

Parte desse sucesso está na própria ideia dos X-Men. Embora a gente tenha acostumado a ver os personagens em versões adultas e maduras, a verdade é que eles nasceram como um bando de alunos em uma escola especial — e Evolution aproveita isso muito bem.

Mas não se engane: o tom mais teen não faz de X-Men Evolution uma animação inferior. Na verdade, ela é muito precisa em adaptar fases clássicas dos quadrinhos e há muitas referências para agradar até mesmo o mais purista dos fãs.

Continua após a publicidade

X-Men Evolution está disponível na HBO Max.

8. Digimon

O início dos anos 2000 foi bastante particular para os fãs de animes. Os Cavaleiros do Zodíaco e Dragon Ball já eram velhos nessa época e Naruto ainda não tinha estourado, então era um período dominado por um nicho muito específico: os desenhos de brinquedos. Na carona de Pokémon, diversas animações baseadas em bonecos, cartas ou joguinhos apareceram — mas nenhum desses filhos do Pikachu brilhou tanto quanto Digimon.

Continua após a publicidade

Com uma trilha sonora chiclete e bastante questionável na versão brasileira, a animação se destacou por conseguir fugir da fórmula de Pokémon e trazer elementos que o diferenciavam o bastante a ponto de virar um rival.

Apesar de não ter monstrinhos tão emblemáticos, a história dos Digiescolhidos apostava em uma trama um pouco mais densa e cheia de reviravoltas — típica dos isekais — para conseguir personalidade própria. Não por acaso, saber qual série era melhor era uma discussão constante nos pátios dos colégios.

Digimon está disponível no Globoplay — com a abertura cantada pela Angélica, inclusive. O anime ganhou um remake recentemente, que está disponível na Crunchyroll.

7. Pokémon

Continua após a publicidade

Não teve criança no início dos anos 2000 que passou incólume à febre Pokémon. Para onde quer que você olhasse, havia um Pikachu estampado e só se falava do desenho — incluindo que ele era coisa do capeta e que fazia mal. Mesmo o caso dos ataques epilépticos não ser nenhuma lenda urbana ou fake news, o mundo se rendeu à soberania dos monstrinhos de bolso.

O curioso é que o anime nunca foi um grande primor. Na verdade, todos os episódios seguiam a mesma fórmula, mas a ideia de conhecer um Pokémon diferente a cada capítulo enquanto esperávamos ver Ash se tornar o maior treinador de todos os tempos era algo que realmente cativava a criançada na frente da TV.

Naquela época, a gente tinha só 150 Pokémon e a ideia de ver a saga do herói se completar parecia algo plausível — o que a gente viu ser impossível depois de 20 anos. Ainda assim, o anime segue firme e forte acompanhando as novas gerações dos jogos. Com isso, a série é uma ótima forma de apresentar esse mundo para filhos, sobrinhos e irmãos mais novos.

Continua após a publicidade

As temporadas clássicas de Pokémon estão disponíveis na Netflix.

6. Liga da Justiça

Em uma época em que os filmes de super-heróis não estavam na moda e era raro ver qualquer coisa de gibi nos cinemas, eram as animações os responsáveis por apresentar esse universo de quadrinhos para o grande público. E foi com a animação da Liga da Justiça que a DC fez com que boa parte de seu panteão heróico fosse conhecido.

Continua após a publicidade

Superman e Batman sempre foram ícones, mas o desenho explorou muito bem personagens secundários e até terciários da editora. Flash, Lanterna Verde, Mulher-Gavião, Ajax e até Elétron, Zatana e Canário Negro passaram a ter um certo protagonismo em cada história.

Não por acaso, os fãs consideram tanto Liga da Justiça quanto sua sequência, Liga da Justiça Sem Limites, uma das melhores coisas já feitas com esses heróis na TV. São episódios curtos com ótimos roteiros e uma arte bastante emblemática e que sintetiza muito bem o que é a DC.

Liga da Justiça está disponível na HBO Max — assim como a fase Sem Limites.

5. Dragon Ball Z

Continua após a publicidade

Talvez o anime mais famoso de todos os tempos, Dragon Ball Z é um daqueles exemplos de que nada é capaz de ofuscar uma obra realmente boa. Afinal, a saga de Goku já acabou há quase 30 anos e a gente segue se empolgando com a história clássica, vendo essa história ser recontada infinitas vezes nos jogos e acompanhando as novas produções — e tudo com a empolgação de quem vê tudo isso pela primeira vez.

Por ser um desenho bastante longevo e com fases bem diferentes, sempre vai ter aquela discussão de qual é a melhor. Só que não dá para ignorar o fato do peso e da popularidade da Saga Z, que foi a que mais introduziu elementos que se tornaram populares na franquia — além de ajudar a definir aquilo que a gente conhece hoje como anime shounen.

Falou em herói saindo no soco, poderzinho e transformação, pensou em Dragon Ball.

Continua após a publicidade

Dragon Ball Z está disponível na Crunchyroll. Já Dragon Ball Z Kai, que traz uma versão mais enxuta do clássico, está na HBO Max.

4. Os Cavaleiros do Zodíaco

O Brasil tem uma relação muito especial com Os Cavaleiros do Zodíaco. O desenho não foi um sucesso estrondoso no Japão, mas se tornou um dos primeiros grandes fenômenos orientais por aqui. Em meados dos anos 1990, era o carro-chefe da extinta TV Manchete e foi o grande responsável para que outras produções do gênero chegassem por aqui — inclusive o próprio Dragon Ball.

E mesmo a história em si não sendo lá grande coisa, a construção do universo e de toda a mitologia em torno dos Defensores de Athena é fascinante até hoje. A história de Seiya e companhia pega todo esse estilo da trama de lutinha e poder, mas a envolve com mitos gregos, astrologia, armaduras com visuais incríveis e personagens bem variados.

É uma combinação muito poderosa que segue encantando o brasileiro mesmo depois de tanto tempo. Não por acaso, sempre há tentativas de modernizar a história — embora a gente goste mesmo é do clássico.

Os Cavaleiros do Zodíaco está disponível na Crunchyroll.

3. Batman: A Série Animada

Se você é um fã do Batman com mais de 30 anos, é quase certo dizer que tudo começou por causa de Batman: A Série Animada. O desenho lançado no início dos anos 1990 é uma das melhores coisas que a DC já fez para a TV e conseguiu adaptar muito bem o clima que o personagem sempre trouxe nos quadrinhos e apresentá-lo para uma nova geração.

A animação vem logo na sequência do filme de 1989, mas chega com uma assinatura própria que lhe deu uma identidade única. Embora carregue o mesmo tom sombrio e gótico do longa de Tim Burton, ele é muito mais gibi — e tudo isso com uma arte cheia de estilo.

O desenho é tão icônico que influenciou muita coisa feita pela DC a partir dali. A animação do Superman e a já citada Liga da Justiça são filhos diretos do sucesso do Homem-Morcego. E os próprios gibis foram impactados por sua popularidade, seja ao incorporar personagens como a Arlequina como incorporando por um bom tempo o próprio visual mais quadrado do Cavaleiro das Trevas.

Batman: A Série Animada está na HBO Max.

2. X-Men

Da mesma forma que Batman foi esse estouro para a DC, a Marvel também teve seu próprio fenômeno com X-Men. Embora a gente já tenha falado dos mutantes aqui antes, não dá para ignorar a animação de 1997, que foi a grande responsável por transformar os heróis em ícones da cultura pop.

O desenho soube aproveitar muito bem a boa fase dos personagens nos quadrinhos e levou a arte do desenhista Jim Lee para as telas com versões adaptadas de fases icônicas das HQs — incluindo desde o ataque dos Sentinelas, a saga da Fênix Negra e a participação de outros heróis da Marvel.

A animação se tornou tão emblemática que a sua abertura virou a música-tema dos mutantes até hoje. Tanto que, sempre que o Universo Cinematográfico da Marvel (MCU, na sigla em inglês) vai fazer alguma referência ao grupo, dá um jeito de tocar a musiquinha. E, é claro, o estúdio já engatou uma nova versão desse desenho para o ano que vem.

X-Men está disponível no Disney+.

1. Homem-Aranha

O Homem-Aranha tem dezenas de desenhos animados. Por ser o herói mais popular da Marvel, a empresa não economiza na hora de apresentar novas versões e para públicos bem diferentes. Contudo, nenhuma delas é tão querida quanto a dos anos 1990.

O curioso é que essa animação está bem longe de ser a melhor do herói, mas é a que mais fala com a nossa nostalgia. Seja porque foi reprisada à exaustão na TV brasileira ou por ter adaptado diversos arcos clássicos do heróis das HQs, todo mundo que cresceu vendo esse Peter Parker que parece um senhor de meia idade lembra com carinho de suas aventuras.

Sem contar que foi por meio dela que muita gente conheceu personagens como a Gata Negra, Rei do Crime, Venom e tantos outros heróis e vilões da Marvel.

Homem-Aranha está disponível no Disney+.