Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

Vacina de Oxford vai prevenir câncer de pulmão em fumantes

Por| Editado por Luciana Zaramela | 25 de Março de 2024 às 17h06

Link copiado!

Divinebot/Envato Elements
Divinebot/Envato Elements

No Reino Unido, uma equipe de cientistas, incluindo membros da Universidade de Oxford, busca desenvolver uma vacina que protege contra o câncer de pulmão, destinada para fumantes com mais de 50 anos. O potencial imunizante recebe o nome de LungVax.

Os pesquisadores britânicos ainda estão na etapa inicial de desenvolvimento da vacina para câncer de pulmão, mas vão replicar as mesmas tecnologias de imunização usadas na vacina contra a covid-19, uma das fórmulas mais usadas no mundo durante a pandemia.

Para acelerar as pesquisas e os primeiros ensaios clínicos, o projeto acaba de receber um aporte de financiamento de 1,7 milhão de euros — aproximadamente 9,16 milhões de reais, em conversão direta. Parte do dinheiro vem da Cancer Research UK.

Continua após a publicidade

Vacina do câncer de pulmão

Se tudo der certo, a vacina LungVax será a primeira vacina do mundo a imunizar contra o câncer de pulmão. Idealmente, será destinada para pessoas entre 55 e 74 anos, que fumam ou que já fumaram. A faixa etária está bastante associada aos cânceres no pulmão.

Para produzir imunidade no organismo contra o câncer de pulmão, os cientistas vão encapsular proteínas inofensivas encontradas na superfície das células cancerosas conhecidas como neoantigénios.

Quando os neoantígenos encontraram as células imunológicas de pessoas saudáveis, o sistema imune passará a produzir defesas contra esses invasores. Caso o indivíduo desenvolva o câncer no futuro, estas defesas serão acionadas, o que poderá impedir o desenvolvimento do tumor.

O sistema de entrega desses pequenos fragmentos é inspirado no mecanismo da vacina de Oxford/AstraZeneca contra a covid-19. Em ambos os casos, são adotados um vetor viral — um vírus (adenovírus) que não provoca doenças em humanos, mas ativa o sistema imunológico com o fragmento do câncer.

Por que não temos vacinas contra o câncer?

“O câncer é uma doença do nosso próprio corpo e é difícil para o sistema imunológico distinguir entre o que é normal e o que é câncer”, afirma Tim Elliott, cientistas e responsável pelo projeto LungVax, em nota. 

“Fazer com que o sistema imunológico reconheça e ataque o câncer é um dos maiores desafios na pesquisa do câncer”, acrescenta.

Continua após a publicidade

Esta é uma das questões que impedem, até o momento, um boom no desenvolvimento de vacinas oncológicas. Entretanto, “se conseguirmos replicar o sucesso [da vacina contra a covid-19] observado durante a pandemia, poderemos salvar a vida de dezenas de milhares de pessoas todos os anos”, aposta Elliott. 

Hoje, existem potenciais vacinas contra o câncer, inclusive de pulmão, em desenvolvimento. No entanto, estas fórmulas buscam proteger o organismo de pacientes que já tiveram a doença e precisam de estratégias para impedir a reincidência.

Vale lembrar que tais vacinas não são normalmente recomendadas para tratamentos preventivos.

Continua após a publicidade

Etapas de desenvolvimento

Até 2026, a equipe espera ter completado os testes iniciais com a vacina contra o câncer de pulmão e já ter produzido cerca de 3 mil doses do imunizante, através da iniciativa Oxford Clinical BioManufacturing Facility.

Em seguida, começarão os testes com humanos de um imunizante que poderá salvar milhões de pessoas em todo o mundo.

"Projetos como a vacina LungVax são um passo realmente importante em direção a um futuro, onde o câncer será muito mais evitável”, afirma Michelle Mitchell, CEO da Cancer Research UK. “Estamos numa era de ouro da pesquisa, e este é um dos muitos projetos que esperamos que transformem a sobrevivência ao câncer de pulmão”, completa.

Continua após a publicidade

Fonte: Cancer Research UK