Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

Taxa de fertilidade está em queda em quase todos os países

Por| Editado por Luciana Zaramela | 23 de Abril de 2024 às 10h41

Link copiado!

Picsea/Unsplash
Picsea/Unsplash

No mundo todo, as taxas de fertilidade (ou taxas de fecundidade) estão caindo, segundo estudo internacional publicado na revista The Lancet. Em 1950, o índice era de 4,84 filhos por mulher ao longo da vida. Em 2021, a taxa despencou para 2,23. Para os próximos anos, a expectativa é que a tendência continue em queda para quase todos os países do globo, com desdobramentos incertos. 

"A fertilidade diminuiu de forma constante a nível global e em quase todos os países e territórios desde 1950, e é provável que continue a diminuir até 2100", afirmam os pesquisadores, em artigo, após analisar dados de 204 países e territórios. 

Pensando na reposição populacional, o indicado é que a taxa de fertilidade seja de pelo menos 2,1. No entanto, as projeções para os anos de 2050 e 2100 apontam para a redução das populações, com taxas de 1,83 e 1,59, respectivamente.

Continua após a publicidade

Se as previsões se confirmarem, apenas seis países do mundo, todos no continente africano, terão taxas de fertilidade expressivamente superiores à média em 2100. São eles:

  • Samoa;
  • Somália;
  • Tonga;
  • Níger;
  • Chade;
  • Tajiquistão.

No total, 26 países ainda terão uma taxa positiva de aumento natural, ou seja, o número de nascimentos de bebês excederá o número de mortes. Em outras palavras, o tamanho da população não diminuirá, como ocorrerá em outras inúmeras nações.

Queda global na taxa de fertilidade

Para os pesquisadores, a queda na taxa de fertilidade é uma tendência consolidada. “As futuras taxas de fertilidade continuarão a diminuir em todo o mundo e permanecerão baixas mesmo sob a implementação bem-sucedida de políticas pró-nascimento”, revelam os autores.

Entretanto, esta mudança de paradigma terá “consequências econômicas e sociais devido ao envelhecimento da população e ao declínio da força de trabalho”, alertam. Neste ponto, os países, as empresas e o mercado de trabalho precisam estar preparados para a nova realidade

Situação no Brasil

Continua após a publicidade

No estudo global, também foi avaliada a situação do Brasil em relação à taxa de fertilidade. Aqui, é novamente possível observar a queda, indo de 5,95 filhos em 1950 para 1,93 em 2021. Para os próximos anos, o país deve estar abaixo da projeção mundial, com 1,57 em 2050 e 1,31 em 2100.

Vale destacar que esta pesquisa foi desenvolvida em parceria com um grupo de estudo internacional conhecido como Global Burden of Diseases. Entre os membros da equipe, está o brasileiro Rafael Moreira, pesquisador do departamento de Saúde Coletiva da Fiocruz Pernambuco.

Fonte: The Lancet