Sinopharm anuncia eficácia de 79,3% em sua vacina contra COVID-19

Sinopharm anuncia eficácia de 79,3% em sua vacina contra COVID-19

Por Nathan Vieira | 30 de Dezembro de 2020 às 19h00
Fernando Zhiminaicela/Pixabay

Com o passar dos dias, você já deve ter percebido uma verdadeira safra de novidades relacionadas às vacinas contra a COVID-19 pelo mundo. Muitas delas já estão inclusive aprovadas para uso em determinados países, e outras estão quase lá, terminando seus ensaios e conseguindo os dados de eficácia. Nesse último caso, entra a vacina da farmacêutica China National Pharmaceutical Group, mais conhecida como Sinopharm, que teve a sua taxa de eficácia anunciada nesta quarta-feira (30): 79,34%.

A vacina se mostrou segura e os participantes que receberam o esquema de duas doses produziram um alto nível de anticorpos contra o vírus a uma taxa de 99,52%, de acordo com um comunicado publicado pela subsidiária da empresa, Instituto de Produtos Biológicos de Pequim, que também apresentou formalmente um pedido aos reguladores da China.

A vacina está em testes clínicos em vários países, incluindo Emirados Árabes Unidos, Bahrein, Jordânia, Peru e Argentina. Em 9 de dezembro, as autoridades de saúde dos Emirados Árabes Unidos disseram que a vacina provou ser 86% eficaz em uma análise provisória de testes clínicos em estágio final. A vacina já foi aprovada nos Emirados Árabes Unidos e Bahrein.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Farmacêutica chinesa Sinopharm anuncia eficácia de 79,3% em sua vacina contra COVID-19(Imagem: Thirdman/Pexels)

Vale ressaltar que a vacina está entre as que já estão em uso na China, em um programa de autorização de uso de emergência lançado em julho. Um porta-voz da empresa chegou a afirmar que resultados detalhados seriam divulgados depois. Por enquanto, ainda não foi informado se houve algum efeito colateral e quantos voluntários receberam a vacina ou o placebo.

A vacina é produzida pelo laboratório da empresa em Pequim, mas há outra sendo desenvolvida pelo laboratório da mesma farmacêutica em Wuhan, cidade onde o primeiro caso de COVID-19 no mundo foi registrado. As duas vacinas funcionam a partir de um vírus inativado para induzir imunidade, e são aplicadas em duas doses. Nenhuma das duas candidatas tem testes no Brasil. No entanto, há uma vacina desenvolvida pela farmacêutica chinesa Sinovac em parceria com o Instituto Butantan, em São Paulo: a CoronaVac. Aqui você encontra tudo o que se sabe sobre a CoronaVac até agora.

Fonte: South China Morning Post

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.