COVID-19 | Vacina funciona em milhares de pessoas na China, segundo Sinopharm

COVID-19 | Vacina funciona em milhares de pessoas na China, segundo Sinopharm

Por Nathan Vieira | 10 de Setembro de 2020 às 15h20
Karolina Grabowska/Pexels

A China tem se mostrado uma forte candidata da corrida em busca de uma vacina que seja eficaz contra a COVID-19. Centenas de milhares de pessoas já receberam vacinas contra o coronavírus e aparentemente elas estão funcionando, segundo o grupo farmacêutico chinês CNBG (China National Biotec Group). Zhou Song, secretário da comissão de inspeção disciplinar do grupo, afirmou na última segunda-feira (8) que as duas vacinas candidatas da empresa provavelmente protegerão as pessoas por até três anos.

Zhou contou que as vacinas da empresa foram utilizadas no esquema de emergência. Esse esquema começou no final de julho e permite que grupos de alto risco, profissionais de saúde e pessoas que trabalham no exterior recebam vacinas que ainda não foram aprovadas pelos órgãos reguladores.

Oito vacinas estão atualmente em fase três de testes em todo o mundo, incluindo quatro feitas por empresas chinesas. Três das vacinas chinesas, incluindo as duas feitas pela CNBG (cuja empresa-mãe, China National Pharmaceutical Group, também é conhecida como Sinopharm) e uma desenvolvida pela Sinovac de Pequim, foram aprovadas para uso civil de emergência, enquanto uma quarta recebeu aprovação para uso militar.

O produto da Sinovac está atualmente sendo testado no Brasil e na Indonésia e espera-se que o teste se expanda a mais países. A empresa teria afirmado que dezenas de milhares de pessoas já receberam a vacina sob o esquema de uso de emergência da China.

Vacina funciona em milhares de pessoas na China, segundo Sinopharm (Imagem:  Willfried Wende/Pixabay)

As vacinas do CNBG também foram oferecidas aos funcionários de algumas empresas. Na semana passada, a empresa farmacêutica anunciou que havia assinado um acordo com a Huawei para oferecer vacinas e outros tratamentos aos funcionários. Na segunda-feira, Zhou rejeitou sugestões de que as vacinas poderiam oferecer proteção apenas por curtos períodos.

As candidatas à vacina contra COVID-19 foram testadas pela primeira vez em 180 executivos e funcionários da Sinopharm. Zhou disse que eles ainda apresentam altos níveis de anticorpos, e acrescentou: “No momento, com base nos resultados de experimentos com animais, resultados de pesquisas em fases e vacinas similares, usando tecnologia semelhante, não há dúvida de que a imunidade possa durar de um a três anos”. Ele também disse que parece desnecessário tomar injeções anuais, como acontece com as vacinas contra a gripe.

Fonte: South China Morning Post

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.