Quando o Brasil vai liberar a vacina da covid para crianças menores de 5 anos?

Quando o Brasil vai liberar a vacina da covid para crianças menores de 5 anos?

Por Fidel Forato | Editado por Luciana Zaramela | 21 de Junho de 2022 às 18h30
Prostock-studio/Envato Elements

No combate à covid-19, o Brasil não conta com uma data oficial para iniciar a campanha vacinação das crianças com menos de 5 anos. Apesar disso, alguns países já aplicam doses da vacina contra o coronavírus SARS-CoV-2 naqueles que têm entre 6 meses e 4 anos, como os Estados Unidos.

Nos EUA, as crianças com mais de 6 meses começaram a ser imunizadas contra a covid-19 nesta terça-feira (21). No país, pais e familiares podem escolher entre duas opções de vacinas: a da Pfizer/BioNTech, com três doses; e a da Moderna, com duas.

Brasil ainda não sabe quando a vacina contra a covid-19 será aplicada naqueles com menos de 5 anos (Imagem: Twenty20photos/Envato Elements)

No globo, outros países já vacinam os menores com três anos ou mais, como China, Chile, Colômbia, Tailândia, Camboja, Equador e o território autônomo de Hong Kong. Nestes locais, a CoronaVac é o imunizante mais usado. Em Cuba, a vacina Soberana é aplicada em quem tem pelo menos 2 anos.

Uso de imunizante depende da Anvisa

Para um imunizante ser aplicado no Brasil, é necessário que a fórmula seja avaliada e aprovada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). No momento, apenas duas vacinas são aprovadas para o uso pediátrico:

  • Vacina da Pfizer: doses podem ser aplicadas em quem tem mais de 5 anos;
  • Vacina CoronaVac: o uso é liberado para crianças com mais de 6 anos.

Por enquanto, a Anvisa analisa apenas um pedido de ampliação do uso da vacina contra covid-19 em crianças. Este é o caso da CoronaVac, representada pelo Instituto Butantan. A entidade propôs que a licença de uso da vacina se estendesse também para a faixa etária de 3 a 5 anos. Até agora, o pedido não foi aceito e ainda está em estudo.

E depois da aprovação?

Caso este pedido ou futuras solicitações sejam aprovadas pela Anvisa, a medida não significará que a vacinação dos menores de 5 anos começará imediatamente. Isso porque a chegada de qualquer imunizante aos postos depende do calendário e da logística do Programa Nacional de Imunizações (PNI), liderados pelo Ministério da Saúde. Em outras palavras, é a pasta que define quando a ampliação será concretizada.

Quais podem ser as vacinas das crianças com menos de 5 anos?

No cenário brasileiro, é possível considerar três possíveis vacinas contra a covid para os menores de 5 anos: CoronaVac; Pfizer; e Moderna. No entanto, o uso de qualquer imunizante precisará passar pela análise da Anvisa.

CoronaVac

Anvisa analisa solicitação de uso da CoronaVac em crianças de 3 a 5 anos (Imagem: Reprodução/ Governo de São Paulo)

Na corrida pela vacinação pediátrica contra a covid-19, a vacina CoronaVac está na frente. Isso porque o pedido de uso do imunizante para a faixa de 3 a 5 anos já foi protocolado, em março deste ano, e é analisado pela Anvisa. Recentemente, o Instituto Butantan enviou dados complementares sobre os efeitos da vacina.

“Esperamos que a Anvisa, ao avaliar esses dados, que são bastante robustos, possa fazer uma nova análise de risco-benefício e ter o mesmo entendimento que o Butantan tem, que os benefícios superam os riscos para a faixa de três a cinco anos", afirmou a diretora de assuntos regulatórios e de qualidade do Butantan, Patrícia Meneguello, em comunicado.

Pfizer

Outra vacina promissora para a aplicação em crianças é a fórmula da Pfizer, já recomenda por dois órgãos do governo norte-americano, a agência Food and Drug Administration (FDA) e o Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC). Quando for avaliada pela Anvisa, a autorização dos EUA poderá facilitar as análises.

Só que, até o momento, a Pfizer não protocolou o pedido pela ampliação de uso da vacina no Brasil, englobando crianças de 6 meses até 4 anos, mas isso deve mudar em breve. Pelo menos, é o que sinaliza a farmacêutica.

Pfizer deve solicitar autorização de uso da vacina contra a covid-19 no segundo semestre (Imagem: Reprodução/Governo de São Paulo)

"As empresas [Pfizer e BioNTech] planejam enviar pedidos de autorização de sua vacina contra covid-19 nessa faixa etária a outros reguladores em todo o mundo, incluindo a Agência Europeia de Medicamentos no início de julho", afirma comunicado, divulgado na última sexta-feira (17). Muito provavelmente, o Brasil e a Anvisa também serão considerados neste processo que deve ser iniciado no segundo semestre.

Moderna

Por fim, a vacina da Moderna também tem planos de desembarcar no Brasil e o pedido de autorização deve ser protocolado até o final do semestre, mas este deve ser o processo mais demorado. Isso porque a farmacêutica pretende solicitar que o imunizante seja autorizado para todos com mais de 6 meses, o que inclui também adolescentes e adultos. Neste cenário, a Anvisa precisará avaliar um número maior de dados e a burocracia envolvida pode tornar o processo mais lento.

Por enquanto, a farmacêutica e sua representante brasileira, a Zodiac, já realizaram uma reunião técnica com a Anvisa, no início de abril. O objetivo do encontro era entender o processo de autorização de novos imunizantes contra covid-19 no Brasil.

Fonte: Anvisa, Instituto ButantanPfizer e CNBC      

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.