Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

Óculos anti-luz azul funciona mesmo? Saiba como escolher o seu!

Por| Editado por Luciana Zaramela | 04 de Fevereiro de 2023 às 15h00

Link copiado!

Mstandret/Envato
Mstandret/Envato

Durante parte significativa do dia, estamos expostos à luz azul, proveniente tanto do Sol quanto dos aparelhos eletrônicos. Considerado parte da luz visível, este tipo pode desregular o sono e é nocivo ao olho, dependendo do grau de exposição. Buscando reduzir esses efeitos, uma opção disponível no mercado é o filtro de luz azul, incluído em óculos e lentes de contato.

Para entender como funciona o óculos anti-luz azul e os benefícios para a visão deste tipo de filtro, o Canaltech conversou com o médico Alfredo Pigatin, oftalmologista do Hospital de Olhos Paulista (H. Olhos). O especialista adianta que a lente ajuda a descansar a vista, proporcionando uma sensação da luz quente.

Como é a lente que bloqueia a luz azul? Apesar do nome, quem usa óculos com essa tecnologia não vai ver o mundo sem o azul. Na verdade, o filtro proporciona uma visão mais quente e "amarelada", que promove o relaxamento do olho.
Continua após a publicidade

O que é luz azul

"A luz azul natural faz parte do nosso ciclo circadiano, do nosso relógio biológico", explica Pigatin. Quando enxergamos os primeiros raios de Sol do dia ou ainda acendemos as luzes de casa bem cedo, é este tipo de luz que sinaliza ao cérebro que é hora de acordar, iniciando diferentes processo bioquímicos.

"Conforme o dia vai escurecendo, a intensidade da luz azul diminui e se inicia a produção de um hormônio bastante conhecido, a melatonina, que vai nos proporcionar uma boa noite de sono e descanso ao nosso corpo”, detalha o médico.

Continua após a publicidade

Caso não existissem interrupções a esse ciclo natural, como a energia elétrica e todas as suas comodidades — como luz a qualquer momento do dia, da tarde, da noite e da madrugada —, o corpo estaria obrigatoriamente se preparando para o descanso no final do dia. Só que diferentes estímulos desregulam este relógio. Inclusive, o médico explica que “os aparelhos eletrônicos emitem uma quantidade de luz azul prejudicial para esse ciclo e para o próprio olho”.

Para sermos mais específicos, "a luz azul age no receptor melanopsina, bloqueando a produção de melatonina”, afirma. Este é o principal problema associado com a dificuldade de dormir, relatado por quem só desliga o celular quando, de fato, tenta dormir.

Impacto na saúde dos olhos

Para entender como essa exposição impacta o funcionamento do corpo, é preciso lembrar que, segundo o especialista, “essa luz tem curto comprimento e alta intensidade, e é absorvida pelas células da retina, com potencial de dano celular irreversível”, além da questão do sono.

Continua após a publicidade

Quanto aos riscos de exposição, estes existem porque nem a córnea e nem o cristalino conseguem bloquear a luz azul, seja de uma fonte natural ou não. Aqui, o problema tende a ser o tempo de exposição e a periodicidade.

Excesso de telas é "problema" comum

Antes de seguirmos, vale se perguntar: quantas horas você passa na frente de uma tela? Se trabalha conectado e, no final do dia, costuma assistir uma série ou filme para relaxar, muito provavelmente, acumula pelo menos 10 horas diárias de tela. Isso sem contar o celular, com os apps de mensagens e as redes sociais.

Agora, as pessoas que usam o celular até quase a hora de dormir tendem a ter uma maior dificuldades para "desligar", o que está muito associado com a luz emitida pelo dispositivo eletrônico, especialmente a luz azul, e a desregulação do ciclo circadiano e da produção de melatonina.

Continua após a publicidade

Por isso, "entende-se que é prejudicial usar celulares, tablets ou outros eletrônicos, à noite e no escuro", comenta o médico. Para ilustrar a situação, é como se o cérebro continuasse a receber sinais de que ainda é dia e, por isso, tenta sempre retardar o momento de descanso.

Como funciona os óculos anti-luz azul?

"Os óculos com filtro de luz azul têm como proposta a prevenção de danos oculares e a diminuição desse estímulo cerebral, onde é suprimida a produção de melatonina", afirma Pigatin. Dessa forma, é comum pessoas associarem o uso destas lentes com uma melhor qualidade do sono.

Continua após a publicidade

No entanto, o médico brinca que "os óculos fazem bem, mas não fazem milagre". Isso porque, além das lentes, o oftalmologista explica que uma série de hábitos podem auxiliar na higiene do sono. Entre elas, a principal é evitar o uso de dispositivos que emitam luz antes de dormir e, se isso não for possível, deve-se reduzir o brilho da tela.

Reduzindo a fadiga ocular

Entre os benefícios deste tipo de lente, está a redução da fadiga ocular, como revela estudo publicado na revista Investigative Ophthalmology & Visual Science (IVOS). No experimento, 36 voluntários saudáveis realizaram tarefas no computador, durante duas horas, usando óculos com alta proteção contra luz azul, baixa proteção ou nenhuma.

"Nossos resultados suportam a hipótese de que óculos de bloqueio de luz de comprimento de onda curto podem reduzir o cansaço visual associado ao uso do computador com base em um correlato fisiológico de fadiga ocular e no relato de sintomas tipicamente associados ao cansaço visual", afirmam os autores da Universidade de Washington, nos Estados Unidos.

Continua após a publicidade

Como escolher o melhor filtro para as lentes dos óculos?

Quem opta por usar óculos com filtro azul deve se atentar a alguns detalhes importantes, como o grau de proteção. Algumas marcas oferecem maior ou menor fator de proteção. Outro ponto que vale ser pensado é a inclusão do revestimento antirreflexo, ainda mais quando se considera o uso da lente para ficar frente a uma tela, como é o caso de tantos profissionais e estudantes.

Por fim, existe a questão do material da armação. Como regra, acetato (tipo de plástico) e titânio tendem a ser mais confortáveis que o metal, já que são mais leves e têm boa durabilidade.

Para confeccionar seus óculos novos ou trocar as lentes dos antigos, o ideal é visitar um oftalmologista para identificar se você já tem algum problema de vista e checar a graduação. O médico também vai recomendar o melhor tipo de lente para que, com a receita, você vá até uma ótica de confiança e confeccione o acessório de acordo com suas necessidades.

Continua após a publicidade

Fonte: IOVS