Publicidade

Ministério da Saúde divulga cuidados para lidar com onda de calor

Por| Editado por Luciana Zaramela | 18 de Dezembro de 2023 às 08h52

Link copiado!

Ketut Subiyanto/Pexels
Ketut Subiyanto/Pexels

Na última quinta-feira (14), o Ministério da Saúde divulgou orientações de cuidados para que a população consiga lidar com a onda de calor que tem tomado conta do país. O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) alerta que as regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste devem ser as principais afetadas pelas altas temperaturas, com direito a máximas que superam 40 ºC.

O Inmet também aponta que parte do Norte e Nordeste também sofrerão os efeitos do clima quente. Ainda assim, os olhares estão voltados principalmente aos estados de Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, ao interior de São Paulo, Goiás e Bahia.

Onda de calor

Continua após a publicidade

Essa atual onda de calor no Brasil deve durar até pelo menos a próxima quarta-feira (20), pouco antes da chegada do verão, que começa no dia 22. Mas está longe de ter sido a primeira: o Brasil chegou a passar por quatro ondas de calor em um período de quatro meses, com a próxima sendo a quinta do ano.

As últimas ocorreram em agosto, setembro, outubro e novembro, mas essa atual terá uma duração menor do que as anteriores, com os dias mais longos e maior umidade relativa do ar. No entanto, o alerta é que o incômodo poderá ser maior, considerando o aumento de 3 ºC a 5 ºC em relação à média.

Consequências do calor

O Canaltech está no WhasApp!Entre no canal e acompanhe notícias e dicas de tecnologia

Tendo isso em mente, o Ministério da Saúde buscou esclarecer como detectar condições relacionadas ao calor extremo como insolação, desidratação, queimaduras e exaustão térmica e destaca para os sintomas:

Sintomas de insolação

A Pasta faz um alerta para pele quente, seca e vermelha, pulsação rápida e forte, náusea, cãibras e perda de consciência, podendo levar ao coma e à morte. Outros sintomas são edema nos membros inferiores, erupção cutânea no pescoço, dor de cabeça, irritabilidade, letargia e fraqueza.

Sintomas de desidratação

Continua após a publicidade

Já a desidratação gera mal-estar, fraqueza, sonolência, irritabilidade, dificuldade de atenção, fome ou sede, dor de cabeça, tontura ao levantar-se ou para se deitar, sentar ou levantar e alteração na coloração da urina.

Queimaduras

As queimaduras também são uma preocupação, e geram condições como pele vermelha, inchada ou dolorida, devido à própria exposição ao sol ou contato com superfícies ou objetos que foram expostos ao sol por um determinado período de tempo, como objetos de metais.

Sintomas de exaustão térmica

Continua após a publicidade

O Ministério ainda reforça que a exaustão térmica pode se dar através da transpiração, fraqueza, tonturas, desmaios, náuseas, dor de cabeça, cãibras musculares e diarreias.

Cuidados na onda de calor

O Ministério da Saúde aponta que fatores de desigualdade social podem aumentar o risco de problemas de saúde relacionados ao calor extremo e destaca que a população e as instituições públicas e privadas locais estejam mais atentas às pessoas que vivem em situação de rua, populações privadas de liberdade, migrantes e refugiados com dificuldade de acesso aos serviços de saúde.

O documento também traz recomendações para estabelecimentos nessa onda de calor, como o monitoramento da temperatura interna do ambiente; o bloqueio direto do sol, por meio do uso de toldos nas janelas, persiana, cortinas; e aumentar o fluxo de ar, controlando também a temperatura, por meio de janelas, umidificadores, ventiladores, climatizadores e aparelhos de ar-condicionado, sempre que possível.

Continua após a publicidade

Fonte: Ministério da Saúde (1, 2)