Publicidade

Homem de 45 anos gasta 10 milhões de reais por ano para "voltar" aos 18

Por| Editado por Luciana Zaramela | 30 de Janeiro de 2023 às 17h30

Link copiado!

NomadSoul1/Envato
NomadSoul1/Envato

A fonte da juventude é um sonho perseguido por milhares de pessoas ao longo da história. Embora a existência das águas que rejuvenescem continue a ser um mito, o milionário e empresário norte-americano Bryan Johnson, de 45 anos, acredita que pode reverter a sua idade biológica, voltando aos 18 anos. Nesta jornada "mítica", é auxiliado por uma equipe de mais de 30 profissionais da saúde, incluindo médicos, e deve gastar mais de 10 milhões de reais por ano (cerca de 2 milhões de dólares).

Antes de iniciar a nova empreitada em busca do rejuvenescimento, Johnson é conhecido pela fundação das empresas OS Fund e Kernel. Esta última desenvolve dispositivos para o monitoramento da atividade cerebral, desde a sua criação em 2016. Claramente, é um entusiasta do biohacking.

Qual é a estratégia do milionário para voltar aos 18 anos?

Continua após a publicidade

Liderado pelo médico e especialista em medicina regenerativa, Oliver Zolman, a busca por esta fórmula quase mágica de rejuvenescimento é baseada nas últimas descobertas do campo da longevidade, o que envolve uma dieta vegana de 1,9 mil calorias por dia, exercícios diários e horários estritamente regulares de sono — duas horas antes de ir para cama, Johnson começa a usar óculos que bloqueiam a luz azul. Para este ano, ele ainda deve passar por uma série de terapias genéticas experimentais, que reprogramam falhas do seu DNA.

As estratégias e alguns dados médicos de Johnson são compartilhados publicamente para que outras pessoas se inspirem também em seu projeto, apelidado de Blueprint. No site da iniciativa, consta a seguinte descrição:

"Blueprint é um experimento científico público para determinar se é possível permanecer na mesma idade biológica. Isso requer desacelerar os processos de envelhecimento tanto quanto possível e, em seguida, reverter o envelhecimento que já aconteceu", afirma o site da iniciativa.
Continua após a publicidade
O Canaltech está no WhatsApp!Entre no canal e acompanhe notícias e dicas de tecnologia

O quanto de melhora foi possível obter no projeto Blueprint?

Com a nova rotina de atividade, “todos os marcadores que estamos rastreando melhoraram notavelmente”, afirma Jeff Toll, um dos membros da equipe de Johnson, para o site Bloomberg. Os testes mostram que o milionário já reduziu sua idade biológica geral e tem 42 anos. Além disso, seus marcadores indicam ter o coração de um homem de 37 anos, a pele de um homem de 28 e a capacidade pulmonar e a forma física de um jovem de 18.

"Atualmente, minha velocidade de envelhecimento é de 0,76. Isso significa que a cada 365 dias do ano, envelheço 277 dias. Meu objetivo é permanecer biologicamente com a mesma idade a cada 365 dias que se passam", acrescenta Johnson sobre os benefícios da empreitada.

Continua após a publicidade

Antecedentes do projeto que espera revolucionar como envelhecemos

Segundo Johnson, a iniciativa de rejuvenescimento surgiu quando ele passava por um momento ruim na sua vida pessoal. Naquela época, ele identificava na sua rotina os seguintes comportamentos, problemas e riscos:

  • Altos níveis de estresse;
  • Comer em excesso, associado à ansiedade, e obesidade;
  • Depressão crônica, angústia e ideação suicida.

É para retomar o controle de seu corpo e também de sua vida que Johnson tem investido tanto em seu projeto pessoal. "Analisando de forma superficial, o Blueprint pode parecer algo sobre saúde, bem-estar e envelhecimento. Para mim, é uma filosofia", comenta.

Continua após a publicidade

A seguir, confira a rotina diária de Bryan Johnson (em inglês), onde busca retroceder sua idade biológica para os 18 anos:

Existem estudos científicos sobre a estratégia milionária de rejuvenescimento?

Embora parte de sua rotina e sua dieta estejam disponíveis para consulta, além de alguns dados de saúde, nenhum estudo científico destrinchou as melhoras físicas do milionário nos últimos meses. Em um artigo, publicado por uma revista conceituada, os dados seriam revisados por outros pesquisadores, o que fariam das alegações dos especialistas — hoje, informais e questionáveis — uma fonte confiável.

Continua após a publicidade

Fonte: Bloomberg e Blueprint