Publicidade

Exposição a inseticidas reduz nível de espermatozoides em adultos

Por| Editado por Luciana Zaramela | 24 de Novembro de 2023 às 14h09

Link copiado!

 iLexx/envato
iLexx/envato

O uso excessivo de inseticidas pode comprometer a fertilidade de homens adultos, baixando o número de espermatozoides, segundo estudo publicado na revista científica Environmental Health Perspective. Foram analisados dados coletados ao longo de quase 50 anos.

“Compreender como os inseticidas afetam a concentração de espermatozoides em humanos é fundamental, dada a sua onipresença no meio ambiente e os riscos reprodutivos”, afirma Lauren B. Ellis, pesquisadora da Universidade George Washington e principal autora do estudo, em nota.

Risco dos inseticidas para homens

Continua após a publicidade

No estudo, que é uma revisão sistemática e meta-análise sobre o tema, foi possível identificar que os efeitos negativos dos inseticidas não se limitam a pessoas que trabalham diretamente com esses produtos químicos no dia a dia, como agricultores.

Na verdade, “os inseticidas são uma preocupação para a saúde pública [como um todo] e para todos os homens, que são expostos principalmente através do consumo de alimentos e água contaminados”, explica a cientista Ellis.

No caso específico do levantamento, foram analisados o impacto de duas classes de inseticidas que afetam as concentrações de espermatozoides:

Continua após a publicidade
O Canaltech está no WhatsApp!Entre no canal e acompanhe notícias e dicas de tecnologia
  • Organofosforados (OP);
  • N-metilcarbamatos (NMC).

Em ambos os casos, os compostos químicos impactam negativamente os espermatozóides. Para chegar a essas conclusões, os pesquisadores norte-americanos revisaram mais de 20 estudos que mediam a exposição ocupacional e ambiental a inseticidas, envolvendo 1,7 mil homens, realizados ao longo de quase 50 anos, em diferentes países do mundo. Nessas pesquisas anteriores, foram feitas análises da qualidade do sêmen dos voluntários.

Medidas para proteger a fertilidade

Na conclusão da revisão sistemática, os pesquisadores entendem que a realização de mais estudos clínicos podem ser benéficos para preencher lacunas de dados e também poderá dimensionar melhor o impacto e a extensão dos danos.

Continua após a publicidade

No entanto, a equipe argumenta que “a força das evidências justifica a [necessidade de medidas de] redução da exposição aos inseticidas OP e NMC, no presente, para evitar danos continuados à reprodução masculina”.

Fonte: Environmental Health Perspectives e Universidade George Mason