Publicidade

Comer mais proteínas vegetais e menos animais ajuda a envelhecer melhor

Por| Editado por Luciana Zaramela | 18 de Janeiro de 2024 às 09h52

Link copiado!

cottonbro studio/pexels
cottonbro studio/pexels

Priorizar proteínas vegetais e consumir menos proteínas animais pode ajudar a envelhecer melhor, segundo um novo estudo publicado no periódico The American Journal of Clinical Nutrition na última quarta-feira (17). As descobertas dos cientistas de Harvard tiveram como base os dados analisados ​​do Nurses' Health Study, com mais de 120 mil indivíduos.

Os pesquisadores perceberam que, à medida que envelhecemos, manter a ingestão de proteínas é importante para um funcionamento físico e cognitivo saudável. Mas a origem da proteína também parece ser importante.

No estudo, a saúde física e mental dos participantes foi comparada com a ingestão de proteínas na dieta, e os pesquisadores se concentraram especificamente em doenças crônicas, como certos tipos de câncer, diabetes tipo 2, doenças cardíacas, acidente vascular cerebral, insuficiência renal, doença pulmonar obstrutiva crônica, doença de Parkinson, esclerose múltipla e esclerose lateral amiotrófica.

Continua após a publicidade

Os autores revelam, então, que comer mais proteína de modo geral é um hábito associado a melhores chances de envelhecimento, mas isso se torna significativamente maior para indivíduos que comem proteínas vegetais do que proteínas animais. 

O estudo também afirma que trocar 3% da ingestão de energia de uma proteína animal ou láctea por uma proteína vegetal de calorias equivalentes aumenta ainda mais as chances de um envelhecimento saudável, algo entre 1,22 e 1,58 vezes.

“Aqueles que consumiram maiores quantidades de proteína animal tiveram uma tendência a mais doenças crônicas e não conseguiram obter a melhoria da função física que normalmente associamos à ingestão de proteínas”, afirma o estudo.

Continua após a publicidade
O Canaltech está no WhatsApp!Entre no canal e acompanhe notícias e dicas de tecnologia

Benefícios do vegetarianismo

Não é a primeira vez que a ciência lança luz sobre os benefícios de uma dieta que prioriza vegetais em vez de animais. Em fevereiro de 2022, pesquisadores descobriram que os vegetarianos têm menos risco de desenvolver câncer

Na ocasião, descobriram que mulheres vegetarianas são 18% menos propensas a desenvolver câncer de mama após a menopausa, em comparação com as mulheres que consomem carne com frequência.

Estudos também já revelaram que determinadas mudanças no hábitos podem ajudar a prolongar a vida da pessoa, o que inclui a adesão a uma dieta com base em vegetais.

Continua após a publicidade

Fonte: The American Journal of Clinical Nutrition