Cientistas "pesam" células cancerígenas para personalizar medicamentos

Cientistas "pesam" células cancerígenas para personalizar medicamentos

Por Nathan Vieira | Editado por Luciana Zaramela | 06 de Outubro de 2021 às 17h30
Spectral/Envato

A ciência tem se concentrado em encontrar tratamentos menos danosos e mais personalizados para o câncer, e sob essa premissa, pesquisadores do MIT e do Dana-Farber Cancer Institute desenvolveram uma nova maneira de determinar se pacientes individuais responderão a um medicamento específico ou não. A técnica consiste em remover células tumorais de pacientes e medir a alteração na massa dessas células.

Acontece que os medicamentos contra o câncer interrompem o crescimento das células cancerígenas, então os pesquisadores pensaram que medir a massa poderia render uma leitura precisa da reação aos diferentes remédios. A abordagem é baseada em uma tecnologia desenvolvida em laboratório para "pesar" células individualmente com precisão.

No entanto, uma desvantagem da técnica é que as células devem permanecer no sistema por várias horas, para que possam ser pesadas repetidamente, a fim de calcular a taxa de crescimento ao longo do tempo. No estudo em questão, os pesquisadores decidiram testar uma abordagem mais simples e significativamente mais rápida, medindo mudanças sutis na distribuição da massa de uma única célula, a fim de prever a sobrevivência do paciente.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

(Imagem: claudioventrella/Envato)

Os autores do estudo descobriram que, medindo a diferença de massa entre as células antes e depois do tratamento, poderiam prever com precisão se o paciente responderia ao remédio ou não. A esperança de longo prazo dos pesquisadores é que essa abordagem possa ser usada para testar vários medicamentos diferentes nas células de um paciente individual, para prever qual tratamento funcionaria melhor para aquele paciente. Você pode entender um pouco mais sobre o estudo aqui.

Fonte: Science Blog

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.