Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

Cachaça e bebidas alcoólicas: qual é o limite seguro de consumo?

Por| Editado por Luciana Zaramela | 09 de Fevereiro de 2024 às 18h50

Link copiado!

Alexandria/Pixabay
Alexandria/Pixabay

Se você é um internauta ávido, deve se lembrar do caso de um brasileiro que foi encontrado morto após ter ingerido um litro de cachaça de uma vez, após uma aposta que viralizou. A concentração de álcool no sangue do indivíduo foi tão alta que, em pouco tempo, o corpo começou a desencadear inúmeras complicações simplesmente por não conseguir metabolizar a substância em excesso.

Isso acontece devido à concentração de álcool no sangue (CAS). Se ela ultrapassar 0,08%, já é definida como consumo excessivo e leva à embriaguez. Se chegar a 0,4%, pode causar morte por overdose. 

Continua após a publicidade

"Níveis muito altos de álcool no corpo podem desligar áreas do cérebro que controlam a respiração, os batimentos cardíacos e a temperatura corporal, resultando em morte”, afirma o Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC), nos EUA.

Nível de tolerância ao álcool

Apesar de termos um norte quanto à concentração elevada de álcool no sangue, não existe uma regra específica para determinar o quanto de álcool pode ser fatal para um indivíduo. Afinal, diferentes variantes impactam essa equação, como:

  • Rapidez com a qual a pessoa bebe;
  • Porcentual de álcool na bebida;
  • Ter comida antes de beber álcool;
  • Peso corporal;
  • Idade;
  • Sexo;
  • Uso de medicamento;
  • Questões genéticas;
  • Possível resistência ao álcool.

Com tantas particularidades, o parâmetro principal deve ser o quão bem (ou quão mal) uma pessoa está se sentindo. Entre os drinks, como doses de cachaça, é sempre importante alternar com um copo de água. Também vale consumir alimentos antes da ingestão de álcool e adotar outras medidas preventivas.

Consumo excessivo de álcool

Lembrando que, segundo a Diretrizes Alimentares Americanas, já é considerado consumo excessivo de álcool: tomar 4 ou mais doses de bebida alcoólica, em uma única ocasião, para as mulheres. Entre os homens, o número sobe para 5 ou mais dises em um intervalo de, no máximo, algumas horas. Nesses casos, no mínimo, a pessoa enfrentará uma severa ressaca.

À medida que CAS aumenta, o risco também fica maior. Já é sabido que o álcool ocasiona queda na concentração e na coordenação motora, enjoos e distorção da realidade. É aí que mora o perigo, principalmente quando se pensa em trânsito: com os reflexos prejudicados e a realidade distorcida, a chance de se envolver em acidentes é maior.

Continua após a publicidade

Quanto mais a pessoa bebe, mais altos se tornam os riscos de ela se envolver em brigas, tornar-se violenta, praticar sexo não-seguro, sofrer apagões de memória e até perder a consciência, chegando a desmaiar.

Os níveis de álcool no sangue, aliás, não "estacionam" assim que a pessoa para de beber ou perde a consciência; como a bebida continua sendo absorvida pelo estômago e intestino, o organismo segue metabolizando a substância, elevando ainda mais a presença de álcool no sangue.

Quando a bebida alcoólica pode ser fatal?

Para medir a concentração de álcool no organismo, a forma mais precisa é a alcoolemia, que mensura a CAS. Os níveis podem variar de 0% (sem álcool) ou mesmo ultrapassar 0,4%, quando a ingestão é mais rápida que a capacidade de metabolização do fígado e se torna potencialmente fatal. Esta porcentagem limite também pode ser lida como 0,4 grama de álcool para cada 100 mililitros de sangue.

Continua após a publicidade

Estas quantidades de álcool podem provocar a morte

A seguir, entenda como diferentes porcentagens de teor de álcool no sangue afetam um indivíduo, segundo a American Addiction Centers (AAC):

CAS (g/100ml) Efeitos do álcool no corpo
0%O indivíduo está sóbrio, já que não há álcool no sangue
0,02%Alterações no humor e aumento no nível de relaxamento começam a ser sentidos. Em alguns casos, a capacidade de julgamento já é alterada.
0,05%A pessoa se sente desinibida, além de estar com o estado de alerta reduzido e julgamento prejudicado.
0,08%A coordenação motora é reduzida. É mais difícil detectar sinais de perigo.
0,1%O tempo de reação fica bastante reduzido. A fala pode ficar arrastada e o raciocínio é lento.
0,15%A pessoa pode sentir náuseas e vomitar. A perda de equilíbrio e do controle muscular são comuns.
0,3%Confusão mental e sonolência são esperados, além das complicações anteriormente mencionadas.
Mais do que 0,3%Pessoa tem perda de consciência e pode entrar em estado de sedação comparável a de uma anestesia.
0,4% ou maisEste é o nível de álcool no sangue potencialmente fatal, no qual pode ocorrer a parada respiratória (ausência de respiração).
Continua após a publicidade

Quando o indivíduo chega ao patamar de envenenamento por álcool, o atendimento médico é considerado de urgência. Para salvar a vida da pessoa, os profissionais de saúde podem recorrer a diferentes estratégias, incluindo a filtração externa do sangue, através da diálise.

Como calcular doses de álcool?

A Organização Mundial da Saúde (OMS) define um consumo máximo de 21 unidades de álcool por semana para homens e de 14 unidades de álcool para mulheres. Para além dos bebedores semanais, ainda é possível identificar aqueles que bebem esporadicamente, mas que em uma única ocasião ultrapassa a metade do número de unidades de álcool recomendado por semana.

Para calcular as unidades de álcool por taças, latas ou doses, basta acessar a calculadora de unidades de álcool da BVS (Biblioteca Virtual em Saúde). Se uma mulher beber 10 latas de cerveja em uma única festa, por exemplo, já é considerada bebedora excessiva, com 17 unidades de álcool ingeridas em uma só ocasião.

Continua após a publicidade

Fonte: CDCCleveland ClinicAAC, NIH e CISA