5 efeitos colaterais mais comuns das vacinas contra COVID-19 e como tratá-los

5 efeitos colaterais mais comuns das vacinas contra COVID-19 e como tratá-los

Por Nathan Vieira | Editado por Luciana Zaramela | 31 de Agosto de 2021 às 08h30
Freepik

A vacinação contra a COVID-19 avança dia após dia no Brasil. Sabemos que os imunizantes são seguros e eficazes contra a COVID-19, mas, como qualquer medicamento, podem apresentar alguns efeitos colaterais. Saiba alguns deles e como podem ser tratados.

Dor de cabeça

A dor de cabeça é uma das reclamações mais comuns que as pessoas têm depois de receber a vacina, principalmente a da Pfizer. As dores de cabeça leves ou moderadas podem não exigir tratamento e devem desaparecer dentro de algumas horas, e uma recomendação importante é beber muito líquido e se deitar para descansar. Aqui no Canaltech, já falamos de como aliviar a dor de cabeça sem remédios.

Febre

Algumas pessoas podem ficar com febre depois de tomar a vacina contra a COVID-19, o que faz sentido porque alguns dos processos corporais necessários para criar uma resposta imunológica podem aumentar a temperatura do corpo. Frente a isso, algumas recomendações envolvem beber muita água para se manter hidratado, sem tomar antitérmico em caso de febre leve. Mas se a temperatura for muito elevada, é válido consultar o seu médico para obter orientação sobre os possíveis tratamentos, evitando assim a automedicação.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Calafrios

Ter arrepios depois de ser vacinado contra COVID-19 se mostrou um efeito colateral um tanto comum e pode não ser necessariamente acompanhado de febre. Os calafrios não devem durar mais do que um ou dois dias, portanto, manter-se bem agasalhado pode ser a melhor opção durante esse período. Um banho quente também pode ajudar a evitar que os arrepios sejam muito desconfortáveis.

(Imagem: Freepik)

Fadiga

Muitas pessoas relatam que a vacina COVID-19 acaba causando fadiga, e a melhor coisa a se fazer para lidar com esse efeito colateral é não lutar contra ele e se permitir descansar. Isso porque, ao dormir ou apenas cochilar, você conserva energia e permite que seu sistema imunológico use essa energia para criar uma forte resposta imunológica para mantê-lo seguro mais tarde, se você for exposto ao SARS-CoV-2.

Mal-estar

As pessoas que tomaram o imunizante também podem ter um mal-estar. Esses sintomas costumam desaparecer em alguns dias, mas enquanto isso, a dica é dormir bem, tomar banhos quentes ou frios, praticar aromaterapia e apostar em alguma distração. Se sentir náuseas ou tonturas, a dica é manter o nível de atividade baixo e comer e beber em pequenas quantidades. Vale consumir suco natural, caldo, gelatina, banana, biscoitos, torradas, laticínios com baixo teor de gordura e frango assado ou grelhado, e evitar itens açucarados, cafeína, álcool e alimentos fritos ou gordurosos.

Dor no local da injeção

Como muitas imunizações no músculo do braço, a vacina COVID-19 pode causar dor, inchaço e calor no local da injeção, o que é normal. Para minimizar esse efeito, uma dica é mover o braço com frequência após receber a injeção, evitando a rigidez. Se a dor for significativa, considere aplicar compressas frias sobre uma toalha na área afetada por 20 minutos nas primeiras 24h ou 48h. Depois que o inchaço diminuir, mudar para compressas mornas, já que o calor ajudará a relaxar o músculo.

Fonte: Health Grades

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.