Google supera expectativas e Alphabet tem receita de US$ 65,1 bi no 3º trimestre

Google supera expectativas e Alphabet tem receita de US$ 65,1 bi no 3º trimestre

Por Roseli Andrion | Editado por Claudio Yuge | 28 de Outubro de 2021 às 22h30
Matheus Bigogno/Canaltech

O Google é a empresa que mais vende anúncios na internet, por meio de seu mecanismo de busca, do serviço de vídeo do YouTube e de parcerias na web. Agora, as receitas da Alphabet, que controla o Google, no terceiro trimestre foram acima das expectativas. O faturamento geral da controladora atingiu US$ 65,1 bilhões (R$ 365,9 bilhões) — a estimativa média dos analistas era de US$ 63,34 bilhões (R$ 355,9 bilhões).

No Google, o incremento na receita de publicidade foi de 41% no terceiro trimestre e levou o montante a US$ 53,1 bilhões (R$ 298,4 bilhões). Isso pode ser um sinal de que o negócio de publicidade da Alphabet já supera novos limites no rastreamento de usuários móveis. Um dos motivos é o aumento da demanda por esses serviços em razão das medidas de distanciamento social.

Em termos de lucro, o resultado do terceiro trimestre foi US$ 18,936 bilhões (R$ 106,4 bilhões). Cada ação passou a valer US$ 27,99 (R$ 157,3), o que supera as expectativas de US$ 24,08 (R$ 135,3). As alterações nas políticas de privacidade da Apple, que deram mais controle aos usuários do iPhone sobre seus dados, levaram Snap e Facebook ao prejuízo. O Google, entretanto, pode ter sido menos afetado porque coleta dados sobre os interesses do usuário valiosos para os anunciantes.

Imagem: Reprodução/Unsplash/Mitchell Luo

Outro serviço da empresa que teve crescimento na receita foi Google Cloud. Apesar de ter menos participação de mercado que Amazon e Microsoft, a plataforma obteve receita de US$ 4,99 bilhões (R$ 28 bilhões) (45% superior ao ano passado) e ficou pouco abaixo das estimativas, que eram de US$ 5,2 bilhões (R$ 29,2 bilhões).

Os custos totais da controladora Alphabet aumentaram em 26% e foram a US$ 44,1 bilhões (R$ 247,8 bilhões) no trimestre. Desde o fim de 2020, as ações da corporação subiram cerca de 57%. Entre as concorrentes, os percentuais foram menores: a Microsoft subiu 39%, o Facebook 20% e a Amazon 2% no mesmo período.

Fonte: Exame

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.