Publicidade

O que é ActivityPub?

Por| Editado por Douglas Ciriaco | 11 de Julho de 2023 às 19h00

Link copiado!

Reprodução/Wikimedia Commons
Reprodução/Wikimedia Commons

O ActivityPub é um tipo de protocolo aberto que funciona como um “motor” e permite a criação de redes sociais federadas (descentralizadas), sem que uma grande empresa ou corporação controle o sistema de forma unilateral.

Para que serve o ActivtyPub?

A tecnologia foi concebida em 2018 pelo World Wide Web Consortium (W3C), um consórcio internacional que rege os padrões de criação e interpretação de interfaces na internet como conhecemos hoje.

Continua após a publicidade

O objetivo dos criadores é justamente expandir a conexão entre aplicações sociais e criar um universo mais colaborativo, diversificado e com diferentes opções para as pessoas aderirem. Tudo sem depender tanto do monopólio de grandes aplicativos e sites.

O termo ganhou força com a adesão do Threads ao fediverso: um conjunto de plataformas descentralizadas que usam o ActivityPub para compartilhar informações. De acordo com a Meta, responsável pelo microblog rival do Twitter, o uso do protocolo permite aos seus usuários ampliarem seus horizontes por meio da interação com outras redes dentro do fediverso.

“Nossa visão é que as pessoas que usam aplicativos compatíveis poderão seguir e interagir com pessoas no Threads sem ter uma conta no aplicativo, e vice-versa, criando uma nova era de redes diversificadas e interconectadas”, explica a Meta em comunicado.

Continua após a publicidade

Como funciona o ActivityPub?

É através do ActivityPub que os usuários conseguem migrar conteúdos e interações entre diferentes plataformas sociais ou colaborativas — o que é conhecido pelo termo “interoperabilidade”.

Por exemplo, você pode enviar publicações com vídeo, texto ou foto do Threads na linha do tempo de um amigo que usa o Mastodon — o caminho oposto também é viável. A mesma situação se aplica a mensagens diretas, compartilhamentos, solicitações de amizade e curtidas, entre outras ações.

Isso é possível graças aos “nós”, servidores próprios do ActivityPub cedidos aos usuários de cada plataforma. Nesse caso, os nós são os responsáveis pelo armazenamento de dados e a interligação deles com as plataformas descentralizadas que usam o protocolo para se conectarem — uma espécie de “telefonista” ou “carteiro”, só que digital.

Continua após a publicidade

Onde o ActivityPub pode ser aplicado?

Além das redes sociais, existe uma ampla gama de aplicações compatíveis com o protocolo ActivityPub. Confira alguns exemplos:

Apps de mensagens

O ActivityPub permite que aplicativos de mensagens se comuniquem uns com os outros sem que haja necessidade de logar em um serviço específico. Para que isso seja possível, no entanto, o protocolo do app deve ser obrigatoriamente compatível com o ActivityPub. Um dos exemplos mais famosos é o protocolo XMPP, usado no Skype e no Google Chat. Esse sistema possibilita troca de mensagens, arquivos e interações entre diferentes aplicativos — desde que os desenvolvedores liberem a atividade compartilhada.

Continua após a publicidade

Plataformas de gerenciamento de conteúdo

Com o ActivityPub também é possível que aplicações desta categoria interajam entre si de forma descentralizada. Como exemplo disso, os blogs que fazem parte do fediverso permite a alguém que usa o Write.as interagir com um usuário do Read.as, seguindo perfis e comentando em posts, entre outras atividades.

Plataformas colaborativas

A interoperabilidade proporcionada pelo ActivityPub também se faz presente em ferramentas de colaboração. Aqui, o exemplo é o Gitea: uma ferramenta de hospedagem para desenvolvimento colaborativo de softwares com base em repositório Git. Neste caso, o protocolo autoriza desenvolvedores a ajudarem uns aos outros na criação de projetos e troca de códigos com outras plataformas semelhantes também usuárias do ActivityPub.

Continua após a publicidade

Outros protocolos

Vale destacar que, embora tenha forte presença no fediverso, o ActivityPub não é uma exclusividade do sistema e pode ser adotado por aplicações independentes. Aliás, existem diversos protocolos que se propõem a fazer a mesma ação, como Ostatus, Diaspora, Zot, Matriz e WebSub.

Quem também segue a cartilha das redes federadas é o Bluesky, microblog criado pelo cofundador e ex-CEO do Twitter Jack Dorsey. Embora não tenha um nome pomposo, a rede social descentralizada conta com o seu próprio universo de plataformas interligadas e usa o AT Protocol para fazer a “mágica” acontecer.