Meta diz que não cobrará comissão de criadores do Instagram e Facebook até 2024

Meta diz que não cobrará comissão de criadores do Instagram e Facebook até 2024

Por Alveni Lisboa | Editado por Douglas Ciriaco | 22 de Junho de 2022 às 09h56
Montagem: Caio Carvalho/Canaltech

A Meta decidiu prorrogar para 2024 a data limite para aplicar descontos aos ganhos dos criadores de conteúdo das suas redes sociais. Até então, a empresa havia estipulado o ano de 2023 como o marco temporal para começar a retirar uma porcentagem dos ganhos dos influenciadores do Instagram e do Facebook.

Mark Zuckerberg fez o anúncio da decisão no intuito de tentar fortalecer a base de criadores das suas plataformas, que sofrem com a concorrência direta de outros serviços como TikTok, Kwai e YouTube. A ideia era começar a cobrar uma fatia sobre os ganhos para fortalecer a receita da empresa, que hoje é extremamente dependente dos anúncios direcionados.

As ferramentas de monetização do Instagram e do Facebook não terão descontos até 2024 (Imagem: Divulgação/Facebook)

A prorrogação deve abranger todos os recursos de monetização relacionados a quem atua na rede, como eventos online pagos, serviços de assinatura, boletins informativos, moedas virtuais e demais elementos vendidos durante lives. As transmissões online ficaram bastante populares no Instagram durante a pandemia, mas deram uma esfriada nos últimos meses. Já o Facebook Gaming continua firme com criadores dedicados a produzir lives sobre jogos para um público seleto.

O anúncio não se aplica a recursos de compartilhamento de receita relacionados à inserção de publicidade nos Reels e em outros formatos. Em abril, criadores acusaram o Instagram de ter reduzido a quantia dos pagamentos feitos pelo conteúdo produzido para o Reels. Os pagamentos teriam caído em até 70% por visualização e vídeo passaram a exigir milhões de visualizações para se tornarem rentáveis.

Mais formas de monetização

Além da boa notícia, o CEO da Meta também anunciou atualizações em formas de ganhar dinheiro nas plataformas. Uma das mudanças é a expansão das Estrelas, uma espécie de moeda virtual do Facebook usada como gorjetas em transmissões ao vivo, para mais criadores e a abertura do programa de bônus do Reels para mais usuários.

O Instagram passará a oferecer o suporte à exibição de NFTs para mais perfis a partir de agora, já que os testes ainda estavam restritos desde o mês passados. Ainda não parece ser algo aberto a todos, mas deve ser um próximo passo rumo à integração dos tokens ao Facebook e em formatos do Insta, como os Stories e os Reels.

Zuckerberg tem sido usado como garoto-propaganda das soluções das redes sociais da Meta nos últimos meses para mostrar mais proximidade com as pessoas. Os criadores começaram a migrar do Instagram e Facebook para plataformas rivais e isso tem causado impacto nas contas da empresa.

Além disso, a gigante das mídias sociais precisa atrair mais pessoas para conseguir dar vazão ao seu futuro metaverso, no qual a empresa pretende recuperar todo o dinheiro investido. Prova disso é a chegada dos avatares 3D para uso nas redes sociais, considerado um passo inicial na familiarização dos usuários com os personagens digitais.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.