Instagram teria reduzido pagamentos do Reels

Instagram teria reduzido pagamentos do Reels

Por Alveni Lisboa | Editado por Douglas Ciriaco | 07 de Abril de 2022 às 14h38
Mockup: Graphberry/Reprodução: Apple

Criadores acusam o Instagram de ter reduzido a quantia dos pagamentos feitos pelo conteúdo produzido para o Reels. Segundo relatos, os valores foram cortados nas últimas semanas e as métricas de monetização aumentaram, o que dificulta atingir quantias maiores.

Conforme os criadores de conteúdo, os pagamentos caíram em até 70% por visualização e vídeos agora precisam de milhões de visualizações extras para receberem algo. Essas mudanças não teriam sido explicadas pela empresa com antecedência e muita gente acabou pega de surpresa.

Criadores ganham mais dinheiro se atingirem as metas do Reels (Imagem: Kris Gaiato/Canaltech)

Um criador conversou com o jornal Financial Times e disse que seu limite para receber US$ 35 mil passou de 58 milhões para 359 milhões visualizações. A Meta, proprietária do Insta, explicou que testes de bônus são feitos continuamente, o que pode fazer com que os pagamentos flutuem conforme o refinamento do modelo de preços.

A empresa não esclareceu se essa mudança é temporária ou se os criadores precisarão apenas aceitar a nova realidade. Um aumento de mais de seis vezes de uma meta inicial é algo bastante questionável, e isso pode afetar não só os ganhos como a motivação das pessoas.

Programa bilionário para criadores

O Reels Play Bonus Program foi anunciado em julho do ano passado com recompensas generosas para quem apostasse no formato Reels, os vídeos curtos copiados do TikTok. O Instagram ampliou o alcance dos conteúdos publicados e passou a adicionar ferramentas para tornar a experiência tão boa quanto no rival.

Os pagamentos variavam entre US$ 600 e US$ 35 mil, conforme as metas de visualizações estipuladas. Na época, o Instagram prometeu pagar cerca de US$ 1 bilhão (mais de R$ 4,6 bilhões) aos criadores até 2022.

TikTok e Snapchat também criaram programas semelhantes para distribuir dinheiro a quem usasse suas soluções. Nestes casos, também houve pagamentos lucrativos no começo, mas os ganhos foram reduzidos após algum tempo. Parece que chegou a vez do Instagram de diminuir a torneira antes que toda a água acabe.

Fonte: Financial Times  

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.