Com as Comunidades, Twitter deve importar um dos recursos mais úteis do Facebook

Com as Comunidades, Twitter deve importar um dos recursos mais úteis do Facebook

Por Alveni Lisboa | Editado por Douglas Ciriaco | 30 de Agosto de 2021 às 10h09
Jane Manchun Wong/Twitter

Quando começou seus esforços de repaginar a plataforma, o Twitter já trabalhava no Super Follow juntamente com o Community, uma adição semelhante aos Grupos do Facebook. As Comunidades devem reunir pessoas que compartilham dos mesmos gostos ou interesses sobre determinado assunto para trocarem informações entre si, como se fosse um clube secreto.

O Twitter agora intensifica os trabalhos para lançar a novidade o mais breve possível. Por enquanto, ainda não há detalhes oficiais, mas já foi possível identificar algumas funcionalidades com base em telas vazadas por engenheiros reversos nas redes sociais. Em fevereiro, a leaker Jane Manchun Wong postou um print de tela que mostrava a possibilidade de escolher como tuitar: para todos ou para uma comunidade específica.

O recurso de compartilhar com a Comunidade vai permitir escolher uma audiência específica antes de tuitar (Imagem: Jane Machun Wong/Twitter)

Os Grupos ainda são um dos maiores pontos fortes do Facebook, pois permitem uma conversa direta com audiência qualificada sobre uma temática. Levar esse trunfo para a rede social de Jack Dorsey pode dar uma revigorada em uma plataforma conhecida por suas conversas rápidas, fã clubes e perfis de usuários tóxicos.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Em meados de agosto, o também especialista em vazamentos Nima Owji obteve mais algumas capturas de tela que revelam detalhes sobre as Comunidades. Antes de tuitar para aquele conjunto de pessoas, será necessário verificar as regras específicas, que devem ser complementares à política do próprio Twitter.

You'll be able to set some rules for your #Twitter community! Like #Facebook groups! pic.twitter.com/CrFaxTV5w0

Isso pode ajudar na criação de um ambiente mais amistoso do que o post livre, o que desestimula muita gente a usar a rede para se posicionar sobre assuntos mais "polêmicos". Além do mais, é bem mais efetivo conversar com pessoas interessadas em ouvir o que você tem a dizer do que nas meras palavras jogadas ao vento na tinha do tempo da rede.

Comunidades gratuitas e pagas

Pegando carona no Super Follow, as comunidades também devem oferecer duas experiências distintas: uma gratuita, onde qualquer pessoa pode entrar no grupo; e uma paga, na qual somente os assinantes do serviço poderão interagir com os conteúdos exclusivos dos criadores. Com as limitações do Twitter, fica difícil imaginar que alguém pagaria por um conteúdo tão superficial, mas dá para lembrar que fãs podem se valer disto para se aproximar de sua personalidade favorita.

O Super Follow deve oferecer acesso a conteúdos exclusivos, benefícios extras, ofertas e acesso às comunidades fechadas por valores que variam entre US$ 2,99, US$ 4,99 e US$ 9,99 — ainda não se sabe quanto vai custar no Brasil. Essa função já foi liberada de modo experimental para usuários selecionados, mas ainda não há previsão de quando chegará oficialmente.

As Comunidades serão úteis no Twitter? Elas farão com que mais pessoas retornem para a rede social do passarinho?

Fonte: 9to5Mac  

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.