Review Realme C21Y | O basicão custo-benefício

Review Realme C21Y | O basicão custo-benefício

Por Jucyber | Editado por Léo Müller | 29 de Setembro de 2021 às 14h00
Ivo/Canaltech

O Realme C21Y chega ao mercado como mais uma opção da fabricante para a categoria básica. Dessa forma, o público tem acesso ao modelo de entrada que traz características interessantes para quem quer algo bom sem gastar muito.

Entre os destaques do Realme C21Y está o chipset Unisoc T610, que dá a esse aparelho uma performance próxima de outros celulares da linha C da Realme.

Além disso, a bateria com boa durabilidade para o uso mais simples promete atender aos usuários que estão em busca de um smartphone que não precise ser recarregado diariamente.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Quer saber se vale a pena comprar o basicão custo-benefício? Confira na nossa análise completa.

Prós

  • Bom desempenho geral;
  • Gaveta tripla de chips;
  • NFC;
  • Conexão P2 (3,5 mm) para fones de ouvido.

Contras

  • Falhas na tradução da interface;
  • Saída de som na traseira;
  • Áudio de baixa qualidade;
  • Recarga total demorada.

Confira o preço atual do Realme C21Y

Design e Construção

O corpo do Realme C21Y é visualmente simples, e traz como único diferencial uma traseira em plástico texturizado. Além disso, a marca aplicou alguns detalhes triangulares para dar um aspecto mais atrativo para o verso do aparelho.

  • Dimensões: 16,4 x 7,6 x 0,91 cm
  • Peso: 200 gramas

Ainda na traseira, é possível encontrar o módulo quadrado no qual estão localizadas as três câmeras e o flash em LED, além do leitor de digitais e o alto-falante mono. O posicionamento da saída de som é um grande ponto negativo, pois, dependendo da forma como o usuário segura o C21Y, é fácil tampar o speaker.

Realme C21Y (Imagem: Ivo/Canaltech)

Essa característica negativa da construção se torna ainda mais evidente em jogos, porque a maioria dos games precisa que o celular fique na horizontal, e segurá-lo nessa posição faz a mão abafar o som constantemente.

Além disso, algumas capas de proteção podem não apresentar o orifício necessário para manter o alto-falante exposto, e isso faz a busca pelo case ser ainda mais limitada, já que a Realme não disponibilizou a capinha na embalagem do celular.

Na lateral, existem apenas duas teclas físicas no Realme C21Y, sendo a maior para controle de volume e a menor para você desligar o celular.

Conexões

Nas conexões, o Realme C21Y possui na lateral esquerda uma gaveta tripla, que permitirá o uso simultâneo de dois chips de operadora, além de um cartão de memória microSD que permite a expansão do armazenamento interno.

Uma vantagem da Realme é a preocupação em manter a conexão 3,5 mm (P2). Dessa forma é mais fácil utilizar fones de ouvido com fio no celular sem a necessidade de adicionar adaptadores.

O Realme C21Y tem entrada 3,5mm e microUSB (Imagem: Ivo/Canaltech)

Como ponto negativo, o C21Y tem entrada microUSB, que é um tipo de conexão muito antigo, e não é mais utilizado com frequência pelas fabricantes de celular, mesmo em modelos mais básicos.

Dentre as tecnologias presentes no celular para conexão sem fio, temos o Bluetooth 5.0, e isso possibilita a conectividade de diversos equipamentos em simultâneo. Além disso, ele conta com Wi-Fi de 2,4 GHz, algo que limita os usuários que preferem smartphones dual-band.

Tela

A tela do Realme C21Y é IPS LCD de 6,5 polegadas com resolução HD+ de 1600x720 pixels. O visor tem um nível de brilho bom e isso é uma vantagem para quem está interessado em utilizar o celular em ambientes externos.

O display desse aparelho entrega uma qualidade acima da vista no Realme C25. Apesar das limitações de saturação típicas do visor LCD, dá para assistir a vídeos no C21Y com tranquilidade, sendo que a experiência de uso não será negativa.

O Realme C21Y tem tela IPS LCD em resolução HD+ (Imagem: Ivo/Canaltech)

Os tons de branco não são tão fiéis, e o preto também está mais voltado para o cinza. Porém, isso não pode ser considerado um defeito desse celular da Realme, pois essa característica é típica de telas IPS LCD.

O display também conta com o entalhe em forma de gota na parte superior central para abrigar a câmera de selfies. No uso diário, o posicionamento do notch não atrapalha a experiência de visualização de conteúdo.

Configuração e desempenho

Realme C21Y tem a interface personalizada Realme UI 2.0, que funciona em conjunto com o sistema operacional Android 11. Dessa forma, os usuários que comprarem esse celular terão acesso a um aparelho atualizado.

Infelizmente, a marca ainda não solucionou os problemas de tradução existente no software. Apesar de existirem menos textos que mesclam palavras do português com variações da língua falada no Brasil e em Portugal, é preciso um pouco mais de atenção da Realme para não insistir por muito tempo com essa falha.

No hardware, o Realme C21Y possui o chipset Unisoc T610 incorporado. Assim como alguns modelos da marca que contam com MediaTek, os usuários terão acesso a uma plataforma defasada para uso a longo prazo, já que o chip possui 2 anos desde que foi anunciado.

Entretanto, o Unisoc T610 se monstra muito estável para o uso diário, pois ele consegue lidar com a abertura constante de apps e só apresenta um pouco de engasgo quando mais de 10 aplicativos estão em uso simultâneo.

O REalme C21Y vem com a interface Realme UI 2.0 (Imagem: Ivo/Canaltech)

Porém, essa queda no desempenho também pode ser atrelada a quantidade de memória RAM presente no aparelho. A versão comercializada aqui no Brasil tem 4 GB de RAM e 64 GB de armazenamento interno.

De acordo com os benchmarks, os resultados ficam dentro das expectativas para um produto intermediário, com 528 pontos no Wild Life, teste do 3D Mark que verifica a potência da GPU. Esse resultado o deixou bem próximo de outros celulares mais populares, como o Moto G9 Plus e Samsung Galaxy A22.

Em jogos, a fusão do chipset Unisoc T610 com a GPU Mali-G52 dá uma experiência bem interessante. Em jogos multiplayer — como PUBG e Free Fire —, o celular conseguiu dar conta do recado com a qualidade gráfica em médio ou alta.

O Unisoc T610 presente no Realme C21Y consegue entregar um bom desempenho para o celular que se encaixa na categoria de básicos até R$ 1.000. Dá para navegar entre apps e aproveitar os jogos sem travamentos, algo que já demonstra na prática a capacidade desse chipset.

Segurança

O Realme C21Y tem duas alternativas de biometria com o intuito de dar uma camada a mais de segurança para o smartphone. Uma delas é o leitor de digitais, que está presente na parte traseira do celular.

Essa opção de desbloqueio é bem rápida para o uso diário e tem uma precisão interessante para a faixa de preço desse aparelho.

O leitor de digitais do Realme C21Y está na parte traseira do celular (Imagem: Ivo/Canaltech)

Uma alternativa é o leitor facial, no qual existe uma eficácia acima do esperado, já que o smartphone é debloqueado com tanta rapidez que levantar o C21Y para ver a hora já o destrava. Isso levanta dúvidas sobre a segurança real de um sistema desse tipo.

Câmera

Apesar de o foco do Realme C21Y não ser fotografia, a empresa disponibiliza um módulo triplo na parte traseira do celular. Além disso, o aparelho também possui uma câmera focada em selfies.

Câmera Principal

Na câmera principal do C21Y, foi aplicado um sensor de 13 MP e abertura f/2.2. De modo geral, o funcionamento fotográfico não surpreende, mas também não fica muito abaixo dos resultados alcançados com o sensor de 48 MP presente no Realme C25.

Os resultados das fotos são interessantes, principalmente por não estourarem as imagens que exploram muitos elementos. Mesmo quando o HDR não está em uso, as imagens do céu não ficam excessivamente iluminadas.

Um ponto negativo é a falta de nitidez, algo que seria solucionado se a Realme tivesse optado por um sensor com maior resolução.

Câmera macro

A câmera macro de 2 MP tem como defeito a falta de nitidez, algo que já foi visto no sensor principal de 13 MP.
Porém, dá para ver um bom equilíbrio de cores que poderia ser muito melhor se a resolução dessa câmera fosse maior, de 5 MP, por exemplo.

Modo retrato

Apesar de as câmeras não terem grandes pontos positivos, o principal defeito desse celular está na câmera responsável pelo modo retrato.

Porém, no uso prático é notório que ele não consegue ajustar corretamente o recurso e desfoca parte do elemento em primeiro plano.

Modo noturno

O modo noturno não tem grande destaque, mas o ponto positivo é que a funcionalidade reduz os ruídos das fotos feitas em baixa luz e consegue manter a tonalidade esperada.

Câmera Frontal

Para selfies, o Realme C21Y tem uma câmera de 5 MP e abertura f/2.2. Infelizmente a baixa resolução é sentida no momento das capturas, pois falta nitidez para deixar os resultados melhores.

Mesmo que o preço do aparelho seja uma justificativa para a qualidade inferior, a empresa chinesa poderia ter repetido o sensor de 8 MP presente no Realme C25 para deixar a disputa com modelos da mesma faixa de preço mais equivalente.

Utilizando o HDR, as selfies melhoram consideravelmente no contraluz, equilibrando com eficácia os tons do ambiente em conjunto com a pele do rosto. Esse sensor não permite o uso do modo retrato, algo que limita a experiência fotográfica.

Vídeo

Para gravação de vídeos, o Realme C21Y possui como resolução máxima a qualidade FullHD, sendo 1080p a 30 fps, tanto na câmera principal quanto na de selfies.

A estabilização não é boa, e quem gosta de gravar enquanto caminha percebe bastante os movimentos durante a reprodução do vídeo. O foco é rápido, mas as câmeras não possuem diferenciais bons o suficiente para agradar quem curte filmar com o celular o tempo todo.

Para esse tipo de usuário, a recomendação é migrar para celulares topo de linha ou mesmo intermediários mais premium, que costuma oferecer uma experiência mais consistente em vídeo.

O Realme C21Y tem três câmeras traseiras (Imagem: Ivo/Canaltech)

Sistema de Som

O Realme C21Y tem apenas uma saída de som mono na parte traseira do aparelho. Além desse formato de áudio limitar a experiência, o posicionamento sempre tornará o volume do alto-falante mais baixo ao segurar o celular na horizontal, pois a mão abafará a altura do áudio.

Além disso, a qualidade do som não é boa, seja utilizando o alto-falante ou os fones ouvido. A sonoridade gerada pelo smartphone é reverberada. O excesso de eco cria a sensação de estar ouvindo músicas dentro de uma caverna.

Bateria e Carregamento

O Realme C21Y tem bateria de 5.000 mAh, e essa capacidade promete dar uma boa durabilidade ao ciclo de uso do aparelho antes que você precise plugar o celular na tomada para recarregar.

Essa autonomia alta é um ponto positivo, mas encobre uma falha da Realme ao disponibilizar um carregador de 10 W na caixa do aparelho. Por causa disso, o tempo médio para o celular ir de 0%-100% de bateria é de 3 horas.

Se você não tem o costume de carregar o smartphone durante a noite, o C21Y vai lhe obrigar a adotar essa prática. Carregar durante o dia vai ser um incômodo devido à lentidão, especialmente se você precisar sair com pressa.

Fora isso, a promessa de autonomia da empresa chinesa é cumprida, sendo que o smartphone tem uma durabilidade que condiz com o esperado para a linha C. Para que essa afirmação fizesse sentido, forma realizados alguns testes de energia com o C21Y.

O primeiro foi com a reprodução de vídeos na Netflix por 3 horas via conexão WiFi, e com o brilho da tela do celular em 50%. Durante esse período, o Realme C21Y consumiu apenas 17% da capacidade total da bateria.

Autonomia total do Realme C21Y (Imagem: Jucyber/Canaltech)

Isso que dizer que, se o usuário utilizar o smartphone somente para assistir Netflix, conseguirá uma autonomia estimada de 17 horas, um número bom o suficiente para esse tipo de consumo.

O outro teste foi de uso real, com o WiFi ligado o tempo todo, e o brilho do display em 50%. Nessa simulação de como um usuário normal pode ter ao navegar em diversos aplicativos — incluindo redes sociais —, usando a câmera, assistindo vídeos e jogando de maneira casual, a autonomia média foi de 7 horas e 39 minutos de tela ligada.

A bateria do Realme C21Y atenderá as expectativas de grande parte dos usuários, pois a durabilidade é bem interessante no formato de uso completo. Dessa forma, o uso do carregador no meio do dia não será necessário.

Concorrentes diretos

Com os lançamentos constantes realizados no mercado brasileiro, o Realme C21Y chega como mais uma alternativa dentro de uma categoria extremamente competitiva. Entre as marcas que se destacam na linha de básicos com bom custo-benefício, a Samsung e a Motorola são as principais.

O Samsung Galaxy A22 é uma boa opção para quem está interessado no modelo da Realme, mas prefere apostar na popularidade da gigante sul-coreana. Um grande destaque é a tela Super AMOLED de 90 Hz que possui uma fluidez maior em jogos e na navegação geral.

Além desse ganho em qualidade do display, a bateria com a mesma capacidade e as câmeras melhoradas colocam o modelo da Samsung um pouco acima do da Realme. Esses pontos positivos são acompanhados de um acréscimo superior a R$ 120 no valor gasto para ter esse smartphone sul-coreano.

O Samsung Galaxy A22 é uma boa alternativa ao Realme C21Y (Imagem: Ivo/Canaltech)

O Moto G30 tem especificações de câmera melhores do que o Galaxy A22 e também conta com elementos que o colocam em um patamar um pouco acima do Realme C21Y.

Como a tela IPS LCD de 90 Hz, e a presença do chipset Snapdragon 662.

Apesar de a plataforma da Qualcomm ter a velocidade equivalente à do Unisoc T610 no uso prático, a popularidade do chip presente no G30 pode fazer o público se sentir mais seguro em comprá-lo.

Entretanto, a diferença de preço do G30 para o C21Y é superior a R$ 300 nas lojas varejistas, e essa característica pode pesar no bolso do público na hora da compra.

Conclusão

O Realme C21Y é uma boa opção de celular básico com bom custo-benefício. Isso porque o smartphone já pode ser encontrado no Brasil por um preço médio de R$ 1.000. Esse valor atrativo pode ser um impulsionador para a compra desse aparelho.

Realme C21Y (Imagem: Ivo/Canaltech)

Apesar de interessante para o bolso, as câmeras de baixa qualidade podem ser um grande ponto negativo para quem escolher adquirir o modelo da marca chinesa. Entretanto, a tela entrega a qualidade esperada para a resolução suportada, e a velocidade do chipset dá conta do recado na navegação bem como em jogos.

Sendo assim, a compra do C21Y deve ser vista como a aquisição de um smartphone focado em uso básico, e que exigências maiores não fazem sentido para este produto. Porém, se a carteira lhe permitir gastar um pouco mais, o Samsung Galaxy A22 entregará um conjunto geral superior.

Mas você ainda ficou interessado pelo baratinho da Realme? Então veja o melhor preço dele no momento pelo link abaixo!

Prefere a alternativa apresentada? Então confira o link com o melhor preço!

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.