Após Sony, Panasonic anuncia fim da produção de TVs no Brasil

Após Sony, Panasonic anuncia fim da produção de TVs no Brasil

Por Victor Carvalho | Editado por Wallace Moté | 12 de Agosto de 2021 às 10h37

Apenas cinco meses após a Sony ter deixado o mercado brasileiro nos segmentos de TV, áudio e câmera, a fabricante japonesa Panasonic segue os mesmos passos e anuncia o fim da fabricação de TVs e produtos de áudio no Brasil em 2021.

Até dezembro serão demitidos 130 funcionários da empresa que trabalham na fábrica de Manaus, o que representa 5% dos 2.400 empregados pela Panasonic no Brasil. A companhia garante que a atividade da fábrica será mantida com foco nas linhas de micro-ondas, componentes eletrônicos e produtos automotivos.

(Imagem: Reprodução/Panasonic)

Segundo a Panasonic, a decisão de sair do mercado de TVs e som é uma estratégia global com foco na sustentabilidade do negócio.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Além da fábrica em Manaus, a Panasonic conta com uma unidade de fabricação de máquinas de lavar e refrigeradores em Extrema, Minas Gerais, e uma unidade de fabricação de pilhas em São José dos Campos, São Paulo.

Reposicionamento de mercado

Panasonic vai focar em eletrodométricos da linha branca (Imagem: Reprodução/Panasonic)

Com o mercado de TVs no Brasil dominado pelas sul-coreanas Samsung e LG graças aos preços competitivos e sistemas operacionais completos e mais inteligentes, a Panasonic não conseguiu acompanhar as novidades e encolheu no segmento, representando apenas 8% das vendas de televisores no Brasil em 2021.

O fim das vendas de TVs e dispositivos de áudio da Panasonic representa um foco maior em eletrodomésticos da chamada "linha branca", que inclui geladeiras e máquinas de lavar.

De acordo com Sergei Apof, vice-presidente da empresa, estes "são os maiores diferenciais da nossa linha, todos já com consumo de energia 40% menor do que pede o Inmetro e já dentro também das metas de redução da nova portaria para 2025 e 2030."

Entra e sai

Nos últimos meses vimos um grande movimento para a saída de empresas multinacionais do Brasil. Em dezembro de 2020 a montadora Mercedes-Benz anunciou o fechamento de sua única unidade de produção de automóveis leves. No início de 2021 a japonesa Sony deixou o país nos já citados segmentos de TVs, áudio e câmeras.

Com bom custo benefício e 5G, Realme quer reproduzir o sucesso internacional no Brasil (Foto: Reprodução/Canaltech) 

Em contrapartida, também tivemos um grande volume de novas empresas no Brasil, especialmente em eletrônicos de consumo.

Pronta para competir com Xiaomi, Samsung e Motorola, a gigante Realme chegou ao mercado brasileiro com preços competitivos e ótimos smartphones intermediários.

Parcerias com a Multilaser também representaram o retorno de grandes marcas ao Brasil: novas televisões da Toshiba já estão disponíveis no país, fones de ouvido da Sony agora podem ser encontrados de forma oficial e ainda ontem tivemos o anúncio da volta da ZTE ao mercado nacional.

Fonte: O Globo e Terra

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.