Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

Review Redragon Zeus Pro | Headset gamer com bom som, mas sem software

Por| Editado por Jones Oliveira | 10 de Maio de 2024 às 08h00

Link copiado!

Review Redragon Zeus Pro | Headset gamer com bom som, mas sem software
Review Redragon Zeus Pro | Headset gamer com bom som, mas sem software
Redragon Zeus Pro

Focada no segmento de entrada e intermediário, a Redragon está há alguns anos trabalhando com uma leva de produtos interessantes para o público, como a linha de headsets Zeus. Muito popular por seu preço e qualidade sonora bem competente, o carro-chefe do segmento sonora da companhia ganhou uma versão sem fio atualizada, o Redragon Zeus Pro.

Equipado com uma qualidade sonora inesperada, o Redragon Zeus Pro faz jus ao seu nome de deus e entrega uma experiência bem satisfatória. Com boa construção, muitos botões e um microfone acima da média, o headset só desaponta no software e no ajuste para cabeça.

Veja como o Redragon Zeus Pro se saiu nos testes que eu fiz para o Canaltech.

Continua após a publicidade

Design

Sem inovações bruscas, o Redragon Zeus Pro usa a mesma linguagem visual dos demais modelos da linha, apostando em uma mescla entre vermelho e preto, majoritariamente. O visual combina muito com a proposta do produto; e apesar de ser um headset de entrada/intermediário, ele possui um toque mais refinado que deve agradar à maioria dos usuários.

Continua após a publicidade

O conjunto traz duas conchas de formato quadrado com bordas bem arredondadas, além do logotipo da Redragon estampado em RGB. Por ser um headset over the ear, as conchas cobrem bem as orelhas e criam uma espessa camada de isolamento acústico. Isso é feito por conta da pressão exercida sob a cabeça, que no início pode incomodar, mas depois se estabelece bem e não causa problemas.

Inclusive, é bom destacar que o Redragon Zeus Pro é um headset gamer confortável dentro do possível. Ele não é tão pesado a ponto de exercer tanta força na cabeça e o clamping lateral também não é exagerado, mas o arco superior me causou dores no topo da cabeça depois de cerca de 30 minutos de uso contínuo. Esse fato até me surpreendeu, já que é incomum que headsets me incomodem dessa maneira.

Construção

O Redragon Zeus Pro tem construção intercalada entre plástico ABS nas earcups e metal nos frames, resultando em um headset bem maleável e que não dá indícios de fragilidade ou pontos de quebra aparentes. 

Continua após a publicidade

As conchas possuem um material emborrachado ao seu redor, que por mais que crie uma sensação tátil bem gostosa similar a uma camurça, é suscetível a arranhões, riscos, sujeira e marcas de dedo.

Por outro lado, a construção interna do Redragon Zeus Pro usa hastes metálicas muito parecidas com o que temos no HyperX Cloud III. Essa abordagem clássica dá firmeza ao produto e proporciona um toque mais premium. 

A Redragon abre mão do tradicional courino e usa um tipo de tecido bem fofo nas almofadas, revestidas com a clássica espuma de memória para se adequar ao formato das orelhas. O mesmo material é usado na parte inferior e vermelha do arco, embora a espuma seja mais densa.

Continua após a publicidade

Em contrapartida, a haste para ajuste de altura do headset parece ser inferior a outros modelos e, inclusive, apertou minha cabeça mesmo na última opção, algo que nunca aconteceu com nenhum fone over ear que já testei anteriormente. Esse é um indicativo que o headset pode não ser ideal para quem possui a cabeça grande demais, uma vez que a minha é pequena e já incomodou.

Portabilidade

Pesando cerca de 700g, o Redragon Zeus Pro não é um headset gamer gigantesco. Devido ao ajuste de cabeça, o fato de não haver fios embutidos, e o microfone ser removível, considero que não seja impossível viajar com ele. 

Continua após a publicidade

Sua maleabilidade deve impedir que o produto seja danificado, mas, diferente de outros modelos, ele não se fecha para uma forma menor e nem acompanha uma case.

Recursos

Um dos fatores que mais gostei no Redragon Zeus Pro é a sua quantidade de botões. O periférico trabalha com seis botões distribuídos nas duas conchas, abrindo mão do tradicional fio com os atalhos que as versões cabeadas anteriores usavam. Isso proporciona mais comodidade ao usuário, embora tenha demorado um tempo até eu me acostumar com todos esses botões.

Continua após a publicidade

Na concha esquerda fica o botão de power, mute do microfone e dois botões de liga e desliga. Sobre esses dois últimos, preciso comentar que a experiência não foi boa, visto que esses botões não são responsivos e eu preferi alterar o volume diretamente pelo Windows. Já na outra concha, ficam os botões para ativar o 7.1 surround/conexão Bluetooth ou dongle, e o botão para mudar as luzes RGB.

Microfone

O som do microfone do Redragon Zeus Pro é bem nítido, forte e audível, contando ainda com um cancelamento de ruído integrado. Fiquei contente com a boa qualidade dele para reuniões e jogar com amigos.

Continua após a publicidade

Além do fato dele ser destacável, me chamou a atenção que sua haste é maleável até demais, fazendo com que ele fique caído e não posicionado em direção à boca, mas isso não compromete o uso.

Conectividade

O Redragon Zeus Pro trabalha com conectividade sem fio via dongle ou Bluetooth. A conexão via dongle é instantânea e o Bluetooth funciona muito bem. Ainda é possível usar o aparelho com um cabo USB-C paracord.

Continua após a publicidade

Meu único problema é sobre a distância com o dongle, que dificilmente passou dos 3 ou 4 metros em meus testes, enquanto o Bluetooth tem uma rodagem maior para seus 7/ 8 metros sem problemas. O headset ainda é compatível com uma série de plataformas, como smartphones e consoles, como o PlayStation 4 e PlayStation 5.

Bateria

Outro quesito positivo no Redragon Zeus Pro é a sua bateria. Apesar da fabricante não estimar nenhuma autonomia em seu site oficial, pude usar o modelo por pouco mais de duas semanas sem precisar carregá-lo. O carregamento dura cerca de 2 horas para completar os 100%, embora eu não saiba exatamente se ele chegou ou não a essa porcentagem por conta da falta de um software. 

Qualidade sonora

Continua após a publicidade

Partindo para a sonoridade, o Redragon Zeus Pro conta com uma boa potência de som e realmente está acima da média na categoria. Em geral, é um headset gamer equilibrado e com volume bem alto, já que precisei deixar em 50% ou 60% para não incomodar os ouvidos. 

O Zeus Pro foca na região dos médios, com ênfase nas guitarras e vozes, além de pegar um pouco dos médio-graves e certos pratos de uma bateria. Em games, a experiência é boa, mas senti falta de graves mais fortes em games competitivos, embora o headset não tenha sido essencialmente projetado para isso.

Há um certo cancelamento de ruído passivo, no qual a pressão exercida pelo fone na cabeça isola o som de maneira bem eficaz.

Continua após a publicidade

Software

O Redragon Zeus Pro simplesmente não tem software para configurar o produto. O site oficial da Redragon diz que o aplicativo ainda não está disponível, o que me fez questionar como ele foi lançado sem algo tão essencial assim.

Pode parecer exagero, mas sem um software eu não pude desligar o RGB para economizar a bateria do headset ou sequer verificar a condição da bateria. Não pude configurar o 7.1 surround, ou sequer desativar a função que desliga o fone automaticamente. Lançar um headset gamer em 2024 sem um software é o mesmo que lançar um produto incompleto. 

Sei que em algum momento esse programa estará disponível ao público, mas minha análise atual é de algo que sinceramente não faz sentido.

Ficha técnica do Redragon Zeus Pro

  • Driver: 53 mm
  • Frequência: 20Hz ~ 20KHz
  • Impedância: 17  ± 15 Ohm
  • Sensibilidade: -42 ± 3dB (0dB = 1V/PA)
  • Construção: garfo e arco da cabeça em metal, conchas em plástico e acabamento em courino
  • Almofadas: Tecido com espuma de memória
  • Microfone: Condensador omnidirecional
  • Conexão: cabo com conector USB Tipo-C, Bluetooth dongle USB tipo A.
  • Surround: 7.1

Concorrentes diretos

Apesar dos problemas, o Redragon Zeus Pro possui qualidades óbvias, tornando seu preço médio de R$ 330 muito atrativo e colocando esse produto em uma posição confortável. Isso acontece porque o modelo mais próximo dele é o Logitech G435 com conexão Lightspeed e Dolby Atmos por R$ 430. Em contrapartida, o HyperX Stinger 2 sem fio custa pouco mais dos R$ 500 e já começa a entrar em uma seara de produtos diferentes.

Vale a pena comprar o Redragon Zeus Pro?

O Redragon Zeus Pro vale a pena se você quer um headset gamer robusto, com boa qualidade sonora, microfone competente, muitos botões e uma bateria interessante. Pelo preço cobrado, esse é um fone de ouvido para você colocar na sua lista de desejos, já que entrega muitos pontos positivos e um bom custo-benefício.

No entanto, o Redragon Zeus Pro não vale a pena se você quer um headset gamer customizável, com software utilizável, para jogar focado em FPS, ou se você prefere fones com muito ajuste para a cabeça.