Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

Review HyperX Cloud Stinger 2 | Headset de entrada com bom microfone

Por| Editado por Jones Oliveira | 05 de Março de 2024 às 19h30

Link copiado!

Review HyperX Cloud Stinger 2 | Headset de entrada com bom microfone
Review HyperX Cloud Stinger 2 | Headset de entrada com bom microfone
HyperX Cloud Stinger 2

Headsets baratinhos são vendidos aos montes no varejo brasileiro e quase sempre o resultado é um produto com baixa qualidade na construção, um som pobre, microfone turbina de avião e assim sucessivamente. Para amenizar o problema, a HyperX lançou a linha Cloud Stinger há alguns anos, visando aliar desempenho e preços baixos. Agora, é o momento de ver como o novo HyperX Cloud Stinger 2 se sai e se vale a pena colocar esse fone de entrada na cabeça.

Lançado no Brasil em agosto de 2023, o Cloud Stinger 2 traz um visual repaginado, melhorias no microfone e mais conforto. Tudo isso parece o pacote completo, e, na prática, ele realmente chega perto disso. O headset da HyperX supera as expectativas e parece uma opção muito certeira para orçamentos limitados.

Continua após a publicidade

Design

O HyperX Cloud Stinger 2 muda completamente em relação ao seu antecessor. O novo headset tem uma pegada mais moderna e, ao mesmo tempo, sóbria. Isso significa que é um periférico ideal para aqueles usuários que precisam de um fone para jogar e até mesmo fazer reuniões, mas não podem abusar de LEDs ou cores fortes demais.

Nesse sentido, o novo Stinger é quase que completamente preto fosco, com exceção de um ou outro detalhe em vermelho ou branco. Nas conchas, há o logotipo prateado da HyperX em alto-relevo e diversas faixas transversais em um tipo de degradê, que também aparecem no arco superior.

Continua após a publicidade

Diferente da primeira versão, finalmente temos aqui um fone de ouvido over ear que não machuca as orelhas ou exerce pressão na cabeça. Esse componente possui um encaixe mais tranquilo na cabeça, embora vez ou outra caísse da minha, mas nada que um ajuste adicional não resolvesse. 

No geral, é um headset simples e menos agressivo visualmente que seu antecessor. O novo HyperX Cloud Stinger 2 tem os requintes suaves de um produto intermediário premium, apesar de ser um modelo voltado a um público de entrada. Assim, não há dúvidas que a HyperX fez um bom trabalho nessa atualização mais do que bem-vinda.

Construção

Continua após a publicidade

O fato de o Cloud Stinger 2 estar mais confortável possui muita relação com a escolhe de construção desse fone. Se antes havia um aparelho mais inteiriço, a HyperX parece ter tentado minimizar em sua nova investida. O novo Stinger mantém a carcaça de plástico, mas agora tem um pouco mais de mobilidade para os usuários poderem virar as conchas em  90°.

  • Tamanho máximo: 22 cm
  • Tamanho mínimo: 16 cm
  • Peso: 270 gramas

O aro de ajustes não tem mais o frame em alumínio e passa a ser um pedaço de plástico reforçado com uma régua e um recorte para realizar o posicionamento na cabeça. Esse ajuste está na média padrão dos fones de ouvido, mas se a sua cabeça for grande demais, talvez você sinta certo desconforto. O melhor a se fazer se estiver na dúvida é tentar experimentar em uma loja, por exemplo.

Continua após a publicidade

Já nas earcups, o material presente nas conchas que ficam em contato com as orelhas é um material sintético, que também reveste o aro para amaciar o impacto no topo da cabeça. Não é dos materiais mais confortáveis que você encontrará na indústria, mas é o padrão adotado em dispositivos desse segmento. A espuma de memória também está presente e se adequa ao formato da orelha do usuário com cerca de dois dias de uso.

Por ter uma cabeça pequena, o HyperX Cloud Stinger 2 não me incomodou, diferente da versão original. Foi possível assistir a um filme de quase 2 horas sem problemas, além de trabalhar por alguns períodos. Mas um uso superior a 3h ou 4h pode começar a incomodar.

Portabilidade

Continua após a publicidade

Quando totalmente fechado, o HyperX Cloud Stinger 2 é relativamente pequeno. O fato de as conchas rotacionarem em 90° e deixarem o fone reto em uma superfície plana ajuda a deixá-lo descansando no peito.

Dessa maneira, ele não dá muitas opções de se fechar em um formato mais compacto e sequer acompanha uma case protetora. Isso é um empecilho para quem cogita colocar o periférico na mochila, pois, além da ocupação de espaço, ele fica mais propenso a danos por conta da construção em plástico.

Conectividade

Sem firulas, o HyperX Cloud Stinger 2 é um headset gamer cabeado. O cabo tem 2 metros de comprimento e é do tipo emborrachado, sem nenhum acabamento extra para protegê-lo. Com isso, o fio é muito suscetível a embolar ou agarrar em certas superfícies com muita facilidade.

Continua após a publicidade

O cabo em questão conta com um conector de 3,5 mm padrão para fone e microfone, mas a HyperX envia um adaptador para separar as entradas em fone e microfone distintas. Esse comprimento total de 2 metros foi satisfatório para mim, mas a companhia poderia enviar um cabo extensor para auxiliar em certos cenários de uso.

Sobre compatibilidade, esse método de conexão também funciona bem nos smartphones, tablets e até consoles. Porém, para o Xbox Series X/S e o PlayStation 5, a HyperX vende os Cloud Stinger 2 Core, especialmente desenvolvidos para esse caso. Assim, pode ser uma boa ideia olhar essas variantes com um pouco mais de carinho, caso seja seu plano de uso.

Qualidade de som

Continua após a publicidade

Usar o HyperX Cloud Stinger 2 no dia a dia foi muito tranquilo. Esse é um headset versátil, que, junto ao seu design sóbrio, tem uma qualidade interna bem satisfatória para sua qualidade de preço.

Começando com os games, nicho para o qual o produto foi desenvolvido, a experiência é OK. Realmente não há muitos pontos a se comentar, uma vez que o produto entrega uma sonoridade equilibrada, sem desfoques ou tons altos demais. Nas minhas partidas de Battefield 2042 foi possível ouvir relativamente bem os passos dos inimigos e uma boa imersão de todos os tiros, demolições e eventos naturais. Tudo isso é proposto pelo aumento dos graves nesse momento, que fazem muito sentido.

Por outro lado, em músicas e filmes eu senti que o Stinger 2 tem uma pegada mais direcionada para os médios-graves, como quisesse transicionar para a linha dos médios. Isso não foi um problema em músicas, até porque esse não é o real foco do aparelho. Em conteúdos como filmes e séries mantenho a mesma opinião dos games. O grave é equilibrado e funciona na categoria do produto, mas poderia ter mais suavidade e uma sensação menos seca e mais pesada. No geral, é bom.

Continua após a publicidade

Recursos

Projetado para uma experiência simples, o HyperX Cloud Stinger 2 possui apenas um botão giratório vermelho em uma das conchas. Esse botão permite que os usuários ajustem o volume de forma prática e, assim como acontece em outros produtos com esse recurso, é uma mão na roda. O fato de não precisar recorrer ao Windows para alterar o volume sempre é bem-vindo.

Na caixa, a HyperX manda um código de ativação de 2 anos para o DTS Headphone: X Spatial Audio, que habilita o áudio espacial. Isso, teoricamente, deveria gerar mais imersão, mas, por ser um fone de entrada, acaba não fazendo tanta diferença no fim das contas. A sonoridade fica um pouco mais abafada e sensível, mas em muitos momentos foi imperceptível para os meus ouvidos, diferente do que acontece com o HyperX Cloud III, projetado para isso.

Continua após a publicidade

Microfone

Já no que diz respeito ao microfone, esse é um modelo condensador e bidirecional com um cancelador de ruído integrado. Ele ainda acompanha aquela espuminha preta para inserir na ponta do microfone. O resultado é um bom microfone para videochamadas e conversar com amigos. A voz é clara e não há distorções sonoras, sendo perfeito para essas ocasiões. Contudo, se você cogita criar conteúdo, é melhor investir em microfones próprios para isso.

O microfone é fixo no aparelho, sem a possibilidade de remoção, mas é do tipo flip-to-mute, ou seja, basta levantar a haste e você ouvirá um clique que confirma que seu som não será mais transmitido até que abaixe a haste novamente.

Continua após a publicidade

Concorrentes diretos

Pelo preço médio de R$ 200 e promoções que beiram os R$ 180, fica difícil recomendar outros modelos para competir de igual para igual com o HyperX Cloud Stinger 2. Todavia, o Redragon Zeus X é um produto elogiado recorrentemente e que mesmo que ainda não tenha passado pelas minhas mãos, parece ter fôlego para encarar o Stinger 2.

Vale a pena comprar o HyperX Cloud Stinger 2

O HyperX Cloud Stinger 2 vale a pena para quem busca um headset gamer mais barato e irá receber um produto que agrada em quase toda sua totalidade. A construção, mesmo que simples, passa segurança, há um bom nível de conforto, o microfone é bem competente e o conjunto da obra são vários elogios, principalmente de alguém que veio com uma visão ruim por conta do Stinger 1.

No entanto, o HyperX Cloud Stinger 2 pode não valer a pena para quem tem cabeças grandes demais ou preferem um produto com acabamento e construção superior. Além disso, quem tem problemas com cabos pode se estressar com o cabo simples demais desse headset.