Quais são as diferenças entre fintechs e startups?

Quais são as diferenças entre fintechs e startups?

Por Márcio Padrão | Editado por Claudio Yuge | 26 de Agosto de 2021 às 23h40
Reprodução/Austin Distel (Unsplash)

O termo "startup" já é bastante popular por aí e seu entendimento geral também, mas outros termos do "startupês" ainda são assimilados aos poucos. Um deles é "fintech". A grosso modo, uma startup é um modelo de negócio inovador e com capacidade de vendas escaláveis, isto é, que pode aumentar exponencialmente sua receita com o passar do tempo sem ampliar as despesas na mesma medida. Já uma fintech é basicamente uma startup focada em oferecer serviços financeiros.

O setor é um dos mais poderosos do mercado de startups. Juntas, as fintechs brasileiras captaram US$ 1,9 bilhão (R$ 10 bilhões) em 2020, segundo dados da plataforma de inovação aberta Distrito. O valor superou os resultados de 2019, que foi de US$ 1,1 bilhão (R$ 5,8 bilhões). Um exemplo comum de fintech é o Nubank, provavelmente a startup mais popular do Brasil, que caiu nas graças do público com seu cartão de crédito com anuidade grátis, além de seu serviço ágil e eficiente quase todo via app.

Outros bons exemplos de fintechs brasileiras são

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

  • Ame Digital: plataforma de pagamento e cashback;
  • Brex: cartões de crédito corporativos;
  • Conta Simples: conta corrente, software de gestão de despesas e cartões corporativos;
  • Creditas: plataforma de empréstimos com baixas taxas;
  • Ebanx: pagamento que conecta consumidores a empresas globais, como a Uber e Spotify;
  • PagSeguro: plataforma de pagamento e maquininhas;
  • PicPay: plataforma de pagamento;
  • Stone: plataforma de pagamento e maquininhas;
  • Zoop: oferece plataforma para empresas criarem meios de pagamento.

O setor também é líder em número de unicórnios, apelido das startups com pelo menos US$ 1 bilhão (R$ 5,2 bilhões na cotação atual) de valor de mercado. Das acima citadas, Nubank, PagSeguro, Brex, Ebanx, Stone e PicPay já atingiram esse patamar.

Imagem: Reprodução/Alexander Mils/Pexels

Características de uma startup

  • Inovadora: não segue uma fórmula tradicional de negócio, já testada e aprovada no mercado. Em vez disso, busca novas ideias, produtos e soluções para problemas ainda em aberto;
  • Escalável: como dito acima, o modelo de uma startup permite ampliar a produção e a entrega sem aumentar os custos. Se o modelo for bem sucedido, vai oferecer retorno rápido do investimento inicial;
  • Repetível: o trabalho pode ser repetido em escala para diferentes clientes, sem precisar criar cópias diferentes do produto para diferentes clientes. Por exemplo, em vez de vender um CD de música para cada consumidor, o streaming de áudio guarda as músicas no servidor e atende a milhões de pessoas;
  • Incerta: por entrarem em mercados pouco explorados ou ainda inéditos, é um negócio que oferece mais riscos;
  • Flexível: tem a capacidade de alterar seu modelo de negócio caso o original não se prove rentável, após testar sua hipótese (a ideia que deu origem ao negócio) e perceber outras necessidades de seus clientes. Essa capacidade de mudar rapidamente de estratégia é chamada de "pivotar".

Características de uma fintech

  • Mais tecnologia: muitas delas não tem atendimento físico; tudo é feito ou pelo chat do aplicativo. Outros canais são o telefone e o e-mail
  • Menos burocracia: também graças à tecnologia, permite que a documentação para abrir uma conta seja toda digital, como envio de foto com selfie e documento na mão para comprovar a autenticidade do cliente. Ferramentas como reconhecimento digital são usadas em peso para agilizar o processo;
  • Baixo custo operacional: a tecnologia também barateia a operação da fintech, que pode contar com equipes pequenas e especializadas para atender a uma quantidade massiva de clientes;
  • Serviços vantajosos: ela oferece soluções financeiras inéditas ou com taxas mais baixas que as praticadas pelos bancos e financeiras convencionais. Novamente o Nubank é um exemplo, com seus recentes fundos de investimento e cartão premium;
  • Não são bancos ainda: uma desvantagem delas para um grande banco é que elas não têm de tudo. Por exemplo, não dá para fazer contas poupanças no Nubank ou no PagSeguro. Outro ponto fraco: a conta não é corrente, mas uma conta para pagamentos. Até dá para sacar o dinheiro em espécie em caixas eletrônicos, mas é cobrada uma tarifa de R$ 6,50 por cada saque, por decisão do Conselho Monetário Nacional.

Há diferença entre startup e fintech?

Se você leu tudo até aqui, já entendeu que, resumidamente, toda fintech é uma startup — ou pelo menos começou como uma, até o negócio escalar e ela se tornar uma empresa de capital aberto ou ser comprada por outra maior. Mas nem toda startup é fintech: se ela foca em outros setores, como alimentação, educação, imóveis etc. então não são fintechs, e sim foodtechs, edtechs, protechs e assim vai.

Fonte: Fintech.com.br, Nubank, Flint

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.