Oito perguntas sobre: você sabe as diferenças entre uma fintech e uma techfin?

Por Rui Maciel | 04 de Outubro de 2020 às 17h00

Fintechs e techfins, Você sabe qual a diferença entre esses dois tipos de empresas, que atuam no setor financeiro e são heavy users de tecnologia? Sim,há muito mais do que apenas um trocadilho de palavras. 

Basicamente, enquanto as fintechs são companhias do mercado financeiro que utilizam tecnologia para oferecer serviços convencionais, as techfins vão além: elas se posicionam como empresas de tecnologias e dados que utilizam esses recursos para ampliar, simplificar e baratear o acesso de seus clientes a diversos produtos financeiros como serviços de pagamentos, antecipação de recebíveis, crédito consignado, entre outros. E, em muitos casos, isso acontece de forma totalmente integrada aos sistemas de gestão que eles já utilizam.

Outra boa maneira de compreender a diferença entre fintech e techfin é visualizar as áreas de atuação de cada um dos negócios. As fintechs contam com várias frentes, com produtos focados em setores como como empresas de cobrança e conciliação de vendas com cartões, por exemplo, tornando as negociações integradas, passíveis de serem realizadas de forma mobile ou associadas às demais rotinas administrativas. O objetivo é preencher lacunas que bancos tradicionais não oferecem, partindo para soluções não tradicionais.

As techfins, por sua vez, propõem modernização para empresas que desejam impulsionar negócios, facilitar transações bancárias e conquistar clientes que valorizam praticidade. Isso, apostando em tecnologia em negócios financeiros. Estes não são, necessariamente, prestadores de serviços para bancos. A proposta vai muito além e busca facilitar rotinas bancárias de qualquer empresa, como diferentes segmentos de comércio, educação, hospitalidade, saúde, etc.

Atualmente, grande parte dos serviços financeiros é gerenciado  por um software de gestão. E é aí que certas techfins levam vantagem: elas já trazem essas soluções financeiras integradas a uma plataforma de ERP.

E para falar sobre o cenário das techfins no Brasil, o "Oito perguntas sobre" desse domingo conversou justamente com alguém que está bem dentro de todo esse processo: Juliano Tubino, VP de Negócios da TOTVS, que está à frente também da TOTVS Techfin, que alia esses serviços financeiros corporativos a uma das plataformas de ERP mais conhecidas do mercado. 

 Juliano Tubino, VP de Negócios da TOTVS: a empresa quer liderar o segmento das techfins (Foto: Divulgação / TOTVS)


Confira como foi o papo:


Canaltech - Dentro das soluções oferecidas pela TOTVS Techfin, qual tem sido mais procura pelos clientes da empresa, principalmente em tempos de pandemia, que atingiu, principalmente, as PMEs?

Juliano Tubino: Uma das maiores demandas que surgiram com a crise, ainda mais quando se trata de PMEs, foi a contratação de crédito. Ainda diante desse cenário, a TOTVS desenvolveu e lançou novos produtos para facilitar, ampliar e baratear o acesso à crédito, como o TOTVS Mais Negócios, que oferece linha de crédito adicional para os clientes dos nossos clientes, o TOTVS Mais Prazo, que permite às empresas prorrogar a data de pagamento de boletos, o TOTVS Antecipa, que permite receber com antecedência pagamentos que já estiverem programados, além do TOTVS Painel Financeiro, que é uma plataforma de gestão, planejamento e projeção financeira, totalmente integrada ao ERP da empresa e que permite que os gestores financeiros acompanhem o fluxo de caixa em tempo real, fazendo análises preditivas.

Em tempos de COVID-19, essas análises são ainda mais valiosas para manter saudável o fluxo de caixa da empresa. Além disso, temos soluções para que os departamentos de RH ofereçam crédito consignado para seus colaboradores, em uma parceria com a Creditas e banco BV.


CT - O uso de tecnologias como Inteligencia Artificial / Machine Learning estão cada vez mais presentes em produtos financeiros como os oferecidos pela  TOTVS Techfin? Se sim, como elas atuam nas soluções?

J.T.: Existe uma gama enorme de novas tecnologias que apoiam o sucesso dos negócios, mas está cada vez mais claro que o uso dos dados em sua capacidade máxima é o que norteia melhores decisões na hora de contratar crédito. Entendemos que mais do que captar diversos dados como voz ou biometria, a capacidade de estruturar, organizar e associar os dados existentes representa um benefício significativamente maior para a melhoria da oferta e contratação de serviços financeiros em geral, além de crédito.

E é nesse cenário que uma Techfin atua, uma empresa de tecnologia que, apoiada nos dados que transacionam em suas plataformas, oferece soluções financeiras. Esses dados são mais do que um raio-x do momento, são um check-up completo da saúde financeira de uma empresa e do ecossistema em que está inserido. Quando bem analisados, apresenta uma tendência de comportamento, otimizando o processo de análise de crédito, melhorando taxas genéricas feitas por negativação, para taxas específicas para propósitos específicos, por exemplo. Quando falamos em soluções financeiras para empresas, essa é a grande tendência.

 
CT - Como vem sendo a busca por soluções de crédito oferecidos pela  TOTVS Techfin? O que as empresas mais buscam a partir desses produtos?

J.T.: A busca por crédito é crescente e vital para que as empresas continuem funcionando. Entendo que vale destacar nesse momento a crescente procura pelo TOTVS Antecipa. Essa é uma solução que permite acesso a crédito em poucos cliques, de forma simples e rápida, isso porque a plataforma é totalmente integrada ao ERP e garante taxas competitivas sem incidência de IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) e de TAC (Taxa de Abertura de Crédito).

Em uma única plataforma, o cliente pode automaticamente acessar os recebíveis da sua carteira, solicitar a antecipação, fazer a gestão de sua carteira antecipada e consultar informações sobre limites e taxas. Essa foi uma das formas que os nossos clientes encontraram para manter fluxo de caixa e capital de giro.

 
CT - O sistema bancário passará por duas mudanças profundas nos próximos meses: a chegada do Pix e do Open Banking. Como a  TOTVS Techfin está analisando a chegada dessas duas tecnologias? Os produtos da  TOTVS Techfin estão se adaptando de alguma forma a eles?

J.T.: A TOTVS está se preparando para a chegada do PIX e irá lançar em breve uma solução voltada às instituições financeiras que desejam operar com pagamentos instantâneos. Além disso, todos os nossos sistemas de gestão que transacionam informações financeiras, serão adaptados.  Essa é uma evolução natural do mercado financeiro, a qual todas as empresas do ramo, assim como as pessoas, deverão se habituar e se preparar.

Ciclo de atuação dos produtos de uma techfin (Foto: Divulgação / TOTVS)


CT - Qual é o público-alvo da TOTVS Techfin atualmente? Como vem sendo o processo de aceitação dessas empresas às novas tecnologias como as oferecidas por essa vertical da TOTVS?

J.T.: As soluções que desenvolvemos na TOTVS Techfin são para empresas de todos os portes, mas as pequenas e médias empresas têm recebido uma atenção muito grande, principalmente pela maior necessidade de contratação de crédito. Vemos que empresas de diferentes segmentos, de prestadores de serviços à indústrias,  estão buscando soluções para auxiliar neste processo de retomada.
 

CT - Em maio último, a TOTVS captou mais de R$ 1 bilhão a partir da emissão de ações na Bovespa. Parte desse valor vem sendo destinado à construção da vertical techfin? Há planos de aquisição de startups ou outras empresas em um futuro próximo?

J.T.: Com certeza. A aquisição da Supplier, em outubro do ano passado, foi um claro sinal de que os investimentos da companhia estão muito voltados para desenvolver a atuação da TOTVS Techfin. A aquisição da Supplier nos permitiu passar a oferecer crédito a pessoas jurídicas e trouxe para a TOTVS a oportunidade de entrar de vez nesse mercado de crédito para pequenas e médias empresas.

A TOTVS possui um histórico de mais de 40 M&As no mercado brasileiro. Mas o nosso portfólio de inovação é composto por diferentes frentes, por meio dessas companhias adquiridas, por meio do desenvolvimento de novas soluções e estabelecendo parcerias. São aproximadamente 70 empresas parceiras e outras 60 startups que já fizeram negócios com a TOTVS ou com nossos clientes com apoio do iDEXO, braço de inovação aberta da TOTVS. A frente de Techfin da TOTVS também pretende se beneficiar dessa rede e fazer novas conexões que agreguem o portfólio. 

CT - Olhando um pouco para o exterior: que empresas similares fora do Brasil a  TOTVS Techfin tem como referência?

J.T.: O modelo de negócio proposto pela TOTVS Techfin é algo bastante singular e pioneiro no Brasil. No exterior, existem empresas que atuam de forma similar, extraindo insights analíticos a partir de sistemas de tesouraria, unindo por exemplo PDV + adquirência, etc. No entanto, ainda assim, falamos em singularidade, pois a TOTVS é a maior empresa de tecnologia do Brasil, os dados que transacionam em nossas soluções são valiosos e não se limitam a um processo específico, são esses dados que nos permitem dizer que a nossa proposta de valor é praticamente única no mercado. 

 
CT - E falando um pouco de futuro: quais as tendências das soluções de crédito, pagamentos e serviços, como os oferecidos pela  TOTVS Techfin? O que podemos em termos de novos recursos para essas plataformas nos próximos anos?

J.T.: Sabemos que o uso correto e assertivo dos dados são essenciais. Quanto mais dados você tiver, e quanto mais precisos e recentes forem esses dados, mais fácil será a concessão do crédito, por exemplo. Então podemos afirmar que as informações que trafegam em um sistema de ERP podem garantir a aprovação de mais crédito, limites maiores, para mais empresas, a uma taxa consideravelmente menor.

Mais de 20% do PIB Nacional suporta seus negócios com ERP TOTVS, em torno de um terço da folha de pagamento de grandes empresas nacionais são feitas por um sistema TOTVS. Os investimentos feitos por essas empresas na automação de seus processos de gestão e RH, passa a ser ainda mais justificável a partir de agora. A análise de dados é, hoje, fundamental para várias soluções de tecnologia que temos no nosso dia a dia. Aplicativos de mapas de trânsito são bons exemplos disso.

Quanto mais dados dos usuários são obtidos, melhor ele funciona. Assim como os aplicativos de streaming de música, que são capazes de fazer indicações precisas de conteúdo para o assinante a partir dos dados das preferências de cada usuário. Nas soluções de crédito, isso não é diferente, e o ERP, sendo uma ferramenta de consolidação de uma imensa variedade de dados recorrentes que trafegam numa empresa, permite cruzar as informações com base nos históricos. Assim, a análise pode ser muito mais rica e abrangente.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.