Versão piloto de carteira para yuan digital é lançada na China

Versão piloto de carteira para yuan digital é lançada na China

Por Munique Shih | Editado por Claudio Yuge | 04 de Janeiro de 2022 às 19h00
Pixabay

Com a intensificação dos esforços de Pequim para criar uma moeda digital, uma edição piloto da carteira digital para o E-CNY (sigla para o yuan digital) foi lançada nas lojas de aplicativos para smartphones com sistema iOS, da Apple, e Android, da Google na China.

Pequim tem incentivado o uso do yuan digital com a pretensão de difundir o uso da nova moeda e substituir o dinheiro em circulação no longo prazo. O E-CNY é uma versão da moeda chinesa que roda em blockchain emitida pelo banco central — que, diferentemente das criptomoedas, é controlada pelo governo.

Segundo o portal de notícias da região, BlockBeats, com o aplicativo baixado, os usuários chineses poderão experimentar “a abertura e a gestão da sua carteira pessoal” e os “serviços de corretagem e circulação de e-CNY (sigla para o yuan digital).

O jornal também publicou capturas de telas do aplicativo em um tuíte. A carteira tem uma interface semelhante a de qualquer outro aplicativo de banco existente, com opções de leitura de códigos de barras e código QR.

O aplicativo ainda está em fase de testes e pode selecionar usuários para a versão beta somente através de prestadores de serviços de e-CNY autorizados, de acordo com um relatório da Reuters. O órgão responsável pelo desenvolvimento do aplicativo aparece como o Instituto de Pesquisa de Moeda Digital do Banco Central da China, uma divisão do Banco Central do país.

Acesso à carteira digital ainda é restrito

Para ter acesso à versão-piloto do aplicativo, os usuários devem residir nas regiões de Shenzhen, Suzhou, Xiong’an, Chengdu, Xangai, Hainan, Changsha, Xi’an, Qingdao, Dalian e na área dos Jogos Olímpicos de Inverno. O app está disponível para download em lojas de aplicativo como Qihoo 360, Xiaomi e Baidu.

Embora diversos países pelo mundo estejam investigando a tecnologia e tenham implantado as próprias moedas digitais, nenhum supera o mercado da China, que até novembro do ano passado contava com 140 milhões de pessoas. Com os planos de aumentar a popularidade da moeda, o Banco Popular da China anunciou em Abril de 2020 que o yuan digital poderia ser usado durante os Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim, em 2022.

Nos últimos meses, a China e outros países têm corrido contra o tempo para manter o controle fiscal sobre os cidadãos. O país asiático baniu as atividades relacionadas à mineração de cripto ativos em setembro do ano passado, fazendo diversas corretoras encerrarem suas atividades no país.

Fonte: coin telegraph,SCMP

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.