Steve Jobs não foi forçado a sair da Apple, diz Wozniak

Por Redação | 14.09.2015 às 11:50

A história de que Steve Jobs foi afastado da Apple pelo conselho da empresa após perder uma guerra pelo controle da Maçã com o então CEO John Sculley é bem conhecida no mundo da tecnologia. Porém, apesar de Sculley ser estigmatizado como o homem que demitiu Jobs da Apple, o cofundador da empresa, Steve Wozniak, diz que não foi bem assim que tudo aconteceu.

"Steve Jobs não foi expulso da empresa. Ele a deixou", escreveu Woz no Facebook. "Após o fracasso do Macintosh, é justo supor que Jobs deixou a empresa devido ao seu sentimento de grandeza e embaraço por não ter conseguido".

John Sculley já havia dado sua versão dos fatos há alguns anos, explicando que Jobs deixou a empresa da Maçã depois de não conseguir convencer o conselho da Apple a seguir uma estratégia de preços diferenciada para vender a fracassada linha de computadores e impressoras Macintosh Office. Depois de defender o seu argumento, o conselho considerou a presença de Jobs na empresa inoportuna e então ele resolveu deixá-la.

"Nós éramos extremamente próximos. Passamos cinco meses para nos conhecer. Passávamos sete dias por semana juntos no hotel. Não era como se fossemos apenas parceiros de negócios, mas sim bons amigos", relembra Sculley. "Mas lembre-se que Steve tinha apenas 27 anos de idade e antes que eu entrasse para a Apple ele havia sido rebaixado do grupo do [computador] Lisa pelo conselho porque ele não era, naquela época, o executivo maduro que todos nós conhecemos".

Porém, o próprio Steve Jobs deu outra versão dos fatos durante um famoso discurso realizado na Universidade de Stanford em 2005.

"Havíamos lançado nossa melhor criação - o Macintosh - um ano antes e eu mal completara 30 anos. Foi então que terminei despedido. Como alguém pode ser despedido da empresa que criou? Bem, à medida que a empresa crescia, contratamos alguém supostamente muito talentoso para dirigir a Apple comigo e por um ano as coisas foram bem. Mas nossas visões sobre o futuro começaram a divergir e terminamos rompendo - mas o conselho ficou com ele. Por isso, aos 30 anos, eu estava desempregado".

O melhor filme sobre Steve Jobs

Os recentes comentários de Wozniak surgem pouco antes do lançamento do novo filme de Aaron Sorkin sobre a vida de Steve Jobs. Woz elogiou o longa e disse que essa é a melhor adaptação para as telonas sobre a Apple e Jobs desde o lançamento de Piratas do Vale do Silício, em 1999.

Para o executivo, o novo filme consegue equilibrar entretenimento e precisão na narrativa dos fatos. "Este filme faz um bom trabalho na fidelidade aos problemas, mesmo que todas as minhas cenas e de Andy Hertzfeld com Jobs nunca tenham acontecido. Os problemas eram reais e realmente aconteceram, mesmo que em diferentes ordens cronológicas [...] a qualidade é muito boa em comparação com outros filmes sobre Steve Jobs. O filme não tenta ser mais uma história sobre o que todos nós conhecemos. Ele tenta fazer você sentir como as coisas eram emocionalmente, assim como Jobs e aqueles ao seu redor", disse Woz.

Steve Jobs será interpretado pelo ator Michael Fassbender, que já fez Magneto nos longas do X-Men. O filme será lançado nos Estados Unidos em 9 de outubro de 2015, quatro anos após a morte de Steve Jobs. No Brasil, o filme será lançado em 21 de janeiro de 2016.

Via Apple Insider