Samsung lançará solução provisória para evitar novas explosões do Galaxy Note7

Por Redação | 13 de Setembro de 2016 às 10h32
photo_camera Divulgação

Os casos de explosão envolvendo o Galaxy Note7 não param de surgir. E mesmo com o recall mundial de todos os aparelhos, muitos consumidores ainda não devolveram seus dispositivos. Foi pensando nisso que a Samsung anunciou uma medida temporária para tentar evitar que esses usuários se acidentem enquanto não fazem a troca do smartphone.

A partir do dia 20 de setembro, a fabricante sul-coreana lançará uma atualização de software que vai limitar a carga da bateria em 60%, passando dos atuais 3.500 mAh para apenas 2.100 mAh. Apesar da limitação em pouco mais da metade da carga na bateria, o Note7 ainda será capaz de funcionar, mas com uma autonomia bem abaixo de sua performance original. Por outro lado, o update diminui de forma significativa as chances do smartphone superaquecer.

A informação já tem sido divulgada em jornais da Coreia do Sul, onde a maioria dos Note7 foram vendidos. De acordo com a agência Yonhap News, a Samsung já estaria em negociações com as operadoras de telefonia móvel para que elas liberem o quanto antes o patch provisório.

Com isso, a empresa espera incentivar os donos do telefone a devolvê-lo imediatamente e aguardar até que a companhia envie um novo celular. Inclusive, esse seria o maior problema de quem já adquiriu o aparelho: muitos clientes não querem esperar pela troca, que pode levar vários dias, uma vez que a Samsung precisa fabricar novos dispositivos sem o risco de superaquecimento da bateria. Na Coreia do Sul, as entregas dos novos telefones só vão começar na próxima segunda-feira (19).

Não foi revelado se esse update será disponibilizado no mundo todo, mas é bem provável que isso aconteça nos países onde o Note7 já foi lançado. No Brasil, por exemplo, o lançamento, que aconteceria agora no segundo semestre, foi adiado por tempo indeterminado, o que significa que o país deve receber smartphones sem o problema na bateria. Também não se sabe se a atualização será opcional ou obrigatória, já que todo arquivo de software precisa da aprovação do usuário.

A Samsung não informou quantas explosões de bateria aconteceram desde que lançou o Galaxy Note7. De acordo com a Associated Press, desde o dia 1º de setembro, pelo menos 35 casos ao redor do globo foram confirmados - só nos EUA, esse número é superior a 70. Diversos países, entre eles Canadá e Estados Unidos, emitiram um comunicado pedindo que os consumidores não utilizem mais o dispositivo. Na Austrália, a situação foi ainda mais rígida: companhias aéreas proibiram os passageiros de utilizar o aparelho dentro dos aviões.

Com o recall do Note7 em todo o mundo, estima-se que a Samsung perca US$ 1 bilhão, além de ter seu valor de mercado reduzido em US$ 26 bilhões e suas ações desvalorizadas. Ao todo, a empresa vendeu mais de 2,5 milhões de unidades do smartphone.

Fonte: Associated Press

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.