Explosão de Galaxy Note7 teria causado incêndio em carro nos EUA

Por Redação | 08.09.2016 às 12:10

Em mais um caso de acidente aparentemente causado por problemas na bateria do Samsung Galaxy Note7, o carro de uma família foi totalmente destruído por um incêndio causado pela explosão da célula. O caso aconteceu na última segunda-feira (05), em São Petersburgo, no estado norte-americano da Flórida.

Os relatos são da própria vítima, Nathan Dornacher, que forneceu imagens do carro ainda em chamas e posteriormente destruído a redes de televisão locais. Ele afirma ter deixado o smartphone carregando no Jeep enquanto descarregava o porta-malas, apenas para notar, minutos depois, que o veículo estava em chamas. O fogo consumiu rapidamente o veículo e acabou o destruindo totalmente.

Dornacher não estava presente no momento em que o problema aconteceu, mas disse acreditar que a bateria tenha explodido quando conectada ao carregador. As chamas, então, tomaram conta do painel e dos bancos do veículo, queimando-o completamente de forma bastante rápida. Ele diz ter trocado os iPhones pela linha Note, da Samsung, e o novo aparelho estava em suas mãos há apenas quatro dias.

Trata-se de mais um problema para a lista cada vez maior de falhas que o dispositivo vem apresentando desde seu lançamento. Tanto que a Samsung ordenou, recentemente, um recall de todas as unidades do Galaxy Note7 para verificação de problemas relacionados à bateria e troca por um dispositivo sem problemas, além de ter removido unidades das lojas também para checagens adicionais de segurança e qualidade do produto.

Em resposta ao caso ocorrido na Flórida, especificamente, a empresa disse estar em contato com a família Dornacher para verificar o incidente e ressarcir eventuais perdas. Além disso, a sul-coreana afirmou que a segurança de seus clientes é sua prioridade máxima e pede, mais uma vez, que os compradores do Galaxy Note7 procurem as lojas para realizarem a troca dos dispositivos.

Uma nova remessa de aparelhos para as lojas também teria sido adiada para verificações adicionais relacionadas aos problemas com a bateria, apesar de a fabricante não ter admitido isso publicamente. Oficialmente, a empresa disse apenas que a grande demanda pelo aparelho, bem como verificações adicionais de controle de qualidade, estava sendo realizada, o que acabaria resultando na falta de dispositivos nas prateleiras ao longo das próximas semanas.

De acordo com a companhia, apenas um em cada 24 smartphones estão sujeitos ao problema. Ainda assim, é um revés bastante significativo para um aparelho não apenas bastante esperado, mas que representa a grande concorrência da Samsung ao recém-anunciado iPhone 7 e seu modelo de tela maior, o 7 Plus. Analistas estimam que o custo do programa de recall será de cerca de US$ 1 bilhão, sem contar eventuais indenizações ou ressarcimentos para casos como o ocorrido na Flórida ou eventuais processos judiciais.

Fonte: Fox 10 Phoenix