Ações da Samsung despencam após explosões do Galaxy Note7

Por Redação | 12 de Setembro de 2016 às 20h51
Adriano Ponte/Canaltech

Após diversos relatos de explosões do Galaxy Note7 e do anúncio do recall do aparelho, nesta segunda-feira (12) as ações da Samsung despencaram, fechando em uma baixa de 6,9%. Esta é a maior queda da gigante sul-coreana após o anúncio do problema com a bateria do smartphone.

Inicialmente os investidores pareciam levar a notícia com calma, principalmente porque as ações da companhia cresceram nos dias sequentes ao anúncio do recall. Porém, a situação agora parece mudar dramaticamente. No fim de semana, a Samsung alterou a redação do aviso de recall do Note7, aconselhando os clientes a desligar e trocar os seus dispositivos imediatamente. Anteriormente, a gigante da tecnologia havia anunciado os problemas do smartphone, mas sem solicitar que os proprietários parassem realmente de fazer uso do aparelho.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

A mudança de tom veio com o envolvimento da Consumer Product Safety Commission no caso, que – entre outras medidas – tornou ilegal a venda do aparelho em qualquer lugar dos Estados Unidos. O maior problema, no entanto, possivelmente veio com os alertas de diversas companhias aéreas de todo o mundo, que emitiram avisos contra a entrada do Note7 a bordo de aviões.

Além disso, um dos dispositivos supostamente explodiu nas mãos de uma criança de 6 anos, em Nova York. A criança foi levada às pressas para o hospital com queimaduras, o que gerou grande mobilização por parte da imprensa internacional, colaborando, sem dúvida, para a retirada dos investidores. O incidente aconteceu depois de uma outra explosão estar associada com a destruição de um jipe, também nos Estados Unidos.

Neste clima de medo e incertezas, a Samsung está lutando para agilizar seu processo de recall. A companhia afirmou que está trabalhando para começar a primeira leva de trocas por dispositivos com baterias novas já na próxima semana. A questão é que mesmo que a companhia consiga resolver os problemas rapidamente, os danos à sua reputação podem ser grandes. Afinal, independentemente de quão bem a Samsung esteja lidando com a situação, é provável que o Note7 permaneça na memória das pessoas como o "telefone que pega fogo". Para se ter dimensão da repercussão do caso, de acordo com alguns analistas, a Samsung pode chegar a enfrentar perdas de receita de até US$ 5 bilhões.

Fonte: AndroidAuthority

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.