Em entrevista, Bill Gates elogia talento de Steve Jobs para “enfeitiçar pessoas"

Em entrevista, Bill Gates elogia talento de Steve Jobs para “enfeitiçar pessoas"

Por Rafael Arbulu | 09 de Julho de 2019 às 12h44

Apesar de toda a rivalidade já conhecida entre a Apple e a Microsoft, Bill Gates disse, em entrevista ao programa GPS, do jornalista da CNN Fareed Zakaria, que Steve Jobs tinha uma capacidade única de “enfeitiçar pessoas”, referindo-se à capacidade do falecido cofundador e CEO da “Maçã” de Cupertino para convencer os outros de que seus produtos eram uma necessidade.

Gates ressaltou que é muito fácil lembrar-se de Jobs pelo seu estilo transgressor, no que tange às regras de conduta do empreendedorismo moderno, e que tudo isso fazia com que ele parecesse “um filho da p***”, mas que ele também tinha qualidades únicas que o tornavam uma peça icônica na indústria. “Steve era a melhor personificação da frase ‘Não tente fazer isso em casa’”, comentou em meio a risos.

“Steve foi um caso bastante singular, onde a empresa estava em seu caminho para a morte, mas acabou por se tornar a empresa com o maior valor de mercado do mundo, com produtos que são simplesmente espetaculares”, Gates comentou. “Não vamos ter muitas histórias desse tipo”.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Gates também disse que Jobs tinha a capacidade de “enfeitiçar pessoas”, ressaltando que ele conseguia manipulá-las mesmo que isso fosse contra os seus melhores julgamentos: “Eu era como um ‘bruxo menor’ porque eu o via lançar esses feitiços e as pessoas ficavam maravilhadas. Eles nunca funcionariam em mim, por eu ser esse bruxo menor, mas eu veria esses feitiços usados nos outros, os reconheceria e diria ‘Opa, espere um pouco, não faça isso!’”.

Steve Jobs (esq.) e Bill Gates (dir.): CEOs e cofundadores da Apple e Microsoft, respectivamente, tiveram relação tempestuosa, mas se tornaram mais amistosos após os anos 2000 (Imagem: Acervo/Wikimedia Commons)

Um exemplo utilizado por Gates, que agora se dedica exclusivamente à filantropia por meio da Fundação Bill e Melinda Gates, foi o computador NeXT que Jobs desenvolveu em uma de suas saídas da Apple. O aparelho era destinado ao uso acadêmico e profissionais do setor, sendo o primeiro computador que permitia enviar arquivos de áudio por e-mail, ou permitir também a leitura de um eBook.

“Quando ele fez a apresentação do NeXT... aquilo era tão sem sentido e, ainda assim, ele conquistou todas aquelas pessoas... eu fiquei tipo ‘Peraí, esse feitiço não deveria funcionar de forma alguma!’”, comentou Gates. A saber, o NeXT tinha valores exorbitantes mesmo em seu lançamento, em 1988: US$ 6,5 mil. Corrigindo-o para termos atuais, seu preço ficaria em torno de US$ 13 mil.

Steve Jobs e Bill Gates mantiveram uma relação tempestuosa nas décadas de 1980 e 1990. Enquanto o CEO da Microsoft dizia que Jobs “simplesmente não entende de tecnologia”, o líder da Apple devolvia dizendo que “Os produtos de Gates e da Microsoft não têm paixão”. Essa rivalidade ficou mais amistosa nos anos 2000, culminando em uma entrevista conjunta dos dois na conferência D5, em 2007, ano que antecedeu o lançamento do primeiro iPhone. "Bill criou a primeira empresa de software da indústria”, disse Jobs, na ocasião. “Eu acho que ele criou a primeira empresa de software antes mesmo que qualquer um na nossa indústria soubesse o que uma ‘empresa de software’ realmente era”.

O programa pode ser ouvido (ironicamente) pela sua página específica dentro do Apple Podcasts.

Fonte: GPS com Fareed Zakaria

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.