Coronavírus | Google fecha escritórios na China; Apple e Amazon tomam medidas

Por Claudio Yuge | 29 de Janeiro de 2020 às 23h00
B9
Tudo sobre

Google

Saiba tudo sobre Google

Ver mais

A ameaça do novo coronavírus chegou em peso às gigantes da tecnologia, especialmente as que possuem lojas, fábricas e realizam constantes reuniões de negócios na China. O Google e a Apple fecham unidades chinesas por medidas de precaução, e a Amazon, que ainda não tinha tomado nenhuma providência, também começou a restringir viagens de seus profissionais com destino à China, ou vindo do país asiático.

Todos os escritórios do Google na China continental — incluindo Pequim, Guangzhou e Xangai — serão fechados. A empresa confirmou que unidades em Hong Kong e Taipei são afetadas de forma semelhante. No momento, o expediente já está vazio devido ao feriado prolongado do Ano Novo Chinês, exigido pelas autoridades orientais.

Imagem: Reprodução/Reuters

Embora seus serviços online estejam bloqueados na China, devido às restrições comerciais impostas pelos Estados Unidos, a companhia de Mountain View alimenta várias pesquisas de inteligência artificial e é parceira de empresas locais. Taiwan e Malásia, onde o Google vem localizando parte de sua produção de hardware, seguem com os trabalhos normalmente — pelo menos por enquanto.

Apple fecha mais duas lojas e Amazon também toma providências

A Apple já havia adiantado na terça-feira (28) o fechamento de uma de suas lojas em Qingdao, e disse que todas suas unidades na China vinham passando por uma constante limpeza, além de monitoramento da temperatura corporal dos funcionários para ver se nenhum deles estaria com febre. Agora, a companhia confirma que também cerrou as portas de lojas em Nanjing e Fuzhou, estabelecimentos que ficam em shopping centers. A previsão de reabertura das três unidades ficou para os dias 3 (Nanjing e Fuzhou) e 4 (Qingdao) de fevereiro.

Já a Amazon, a exemplo de outras companhias, alertou funcionários sobre as novas restrições às viagens envolvendo a China. "Damos enorme valor e nos concentramos no bem-estar e segurança de nossos funcionários. Com muita cautela, estamos restringindo as viagens de negócios para e da China até novo aviso e incentivando nossos funcionários a seguir as diretrizes de saúde e segurança fornecidas pela agências internacionais de saúde como o CDC (Centro de Prevenção e Controle de Doenças) e a OMS (Organização Mundial da Saúde)", disse um porta-voz.

Imagem: Reprodução/AP Photo

A gigante varejista também afirma aos colaboradores que viajaram recentemente para áreas afetadas pelo vírus na China que trabalhem em casa por duas semanas e, se tiverem sintomas, procurem atendimento médico antes de voltar ao serviço. Por enquanto, a companhia de Jeff Bezos afirma não ter sentido impacto nas vendas por conta da epidemia.

Fonte: Business Insider, Bloomberg, 9to5Google  

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.