CEO da Microsoft diz ter sido contra compra da Nokia

Por Redação | 26 de Setembro de 2017 às 11h38

Quem acompanha a indústria da tecnologia sabe que a trajetória da Microsoft ao lado da Nokia e todo o trabalho da empresa com o Windows Phone foi, no mínimo, bizarra. E, agora, vem a informação de que o negócio teve opositores antes mesmo de acontecer e dentro da própria companhia, com Satya Nadella afirmando ter votado contra a proposta.

É uma situação que data do início de 2013, quando o então CEO, Steve Ballmer, fez uma enquete interna, com outros diretores da empresa, sobre a possibilidade de compra da fabricante. Para ele, essa era a única forma de alavancar o Windows Phone como um concorrente de peso para o Android, da Google, e o iOS, da Apple. Nadella, entretanto, acreditava que já era tarde demais.

Ele, na época, era diretor dos negócios da Microsoft para a nuvem, e fazia parte do conselho interno do CEO. Nadella acreditava que era tarde demais, e não satisfeito em votar “não” na enquete, ainda tentou convencer Ballmer pessoalmente, junto com outros executivos, de que a aquisição da Nokia era um erro, algo com o que até mesmo o fundador da empresa, Bill Gates, concordava.

Prova disso é que, interrompendo seu silêncio costumeiro com relação a esse aspecto da empresa que fundou, o executivo disse, nesta semana, que está usando um smartphone Android adquirido recentemente. Gates não falou em marcas ou modelos, nem confirmou se utilizava um aparelho da Nokia antes disso, dizendo apenas que o sistema operacional da Google tem o atendido bem em suas tarefas diárias. Seus computadores e outros dispositivos, entretanto, são todos Windows.

Para Nadella, mesmo naquela época, o Windows Phone já estava atrás da concorrência, não apenas em termos de penetração no mercado, mas também de funcionalidades. Novidades que já eram notícia velha no Android e iOS eram anunciadas com pompa para os dispositivos da gigante de Redmond e os avanços não eram suficientes nem mesmo para animar as audiências, quanto mais reverter usuários das outras plataformas para a própria.

Ainda assim, Ballmer decidiu seguir adiante, uma opção que causou negatividade entre os conselheiros da empresa e, mais tarde, foi citada como a gota d’água que levou à sua saída do cargo de presidente executivo, apenas um mês antes da conclusão da compra da Nokia. Nadella foi seu sucessor, e por mais que tenha tentado manter a estratégia mobile da empresa, não demorou muito para que esse esforço fosse encerrado.

Para Nadella, o maior custo de todo o negócio foi a perda de talentos, fruto das demissões que aconteceram antes, durante e depois a operação errônea da Microsoft com a Nokia. Segundo ele, as dispensas atingiram o cerne da empresa e fizeram com que ela perdesse gente que poderia ser importante para os negócios futuros.

As declarações estão no livro Hit Refresh, lançado nesta semana e escrito por Satya Nadella. Nele, o executivo fala sobre seu trabalho na Microsoft, desde os tempos em que entrou na empresa até sua subida para a gerência executiva, analisando a maneira com a qual contribuiu para ela e como privilegiou o capital humano nessa ascensão. A publicação ainda é inédita no Brasil.

Fonte: Business Insider, Fox News

Instagram do Canaltech

Acompanhe nossos bastidores e fique por dentro das novidades que estão por vir no CT.