Intel lança novos tablets educacionais com Android no Brasil

Por Gabriel Tonobohn | 11 de Novembro de 2013 às 08h45

*Do Intel Press Summit, em Florianópolis

A Intel aproveitou o Intel Press Summit que ocorreu este sábado em Florianópolis para anunciar novos tablets educacionais rodando o sistema operacional Android, como parte da Iniciativa de Soluções Educacionais para transformar o modelo de aprendizagem e ensino nas escolas.

O objetivo da Intel é mudar o modelo tradicional de ensino centrado no professor para um modelo centrado no aluno, no qual a tecnologia pode auxiliar o estudante a buscar informações e interagir com outros alunos, enquanto o professor assume um papel de facilitador.

O novo Intel Education Tablet é um dos meios para alcançar essa meta. Ele foi todo desenhado pensando nas escolas e na educação, para envolver os alunos no processo de aprendizagem e ajudar professores a aplicarem tarefas interativas. Por isso, o tablet conta com ferramentas de e-Learning como leitor eletrônico, aplicativos para pesquisas em ciências e análises de dados, ferramentas de pintura, lente de aumento e sensor térmico.

Pensando nas crianças e jovens, o tablet conta com tecnologia anti-furto, design resistente a quedas de até 50 cm e chassis antibacteriano. O hardware inclui um processador Intel Atom Z2460 de 1,6 GHz, 1 GB de RAM, 16 GB de armazenamento, tela de 10,1 polegadas com resolução 1280 x 800 pixels TFT LCD, Wi-Fi, Bluetooth e câmera de 2 megapixels.

Tablet Intel

Primeiras impressões

Claro, este não é um tablet parrudo, e seu objetivo claramente não é esse. Infelizmente, no entanto, a sensibilidade do touch é bastante limitada. Com o dedo ou com a caneta própria do tablet, a escrita ou reconhecimento dos gestos foi bastante ruim nos poucos minutos que tivemos acesso ao dispositivo, o que pode ser um problema em sala de aula para os alunos.

Outro problema é o sistema operacional. A presença do Android 4.0 seria uma boa notícia, caso este fosse um tablet para o consumidor final. Para crianças, contudo, ter acesso aberto à Play Store e a qualquer site na internet pode ser apenas motivo de distração em sala de aula, sem oferecer qualquer benefício ao aprendizado.

Assim, pode ser mais um peso para o professor conseguir competir com as distrações que a internet pode oferecer, a não ser que sua implementação nas escolas seja muito bem pensada e estruturada previamente.

Parcerias da Intel

O tablet apresentado pela Intel é apenas um design de referência, para que fabricantes parceiras possam criar suas próprias soluções e produtos de tablets educacionais para atender às demandas de escolas públicas e privadas no Brasil. Entre as empresas já habilitadas estão CCE, MGB, Philco, Positivo e SpaceBR.

* O repórter viajou para Florianópolis a convite da Intel.

Siga o Canaltech no Twitter!

Não perca nenhuma novidade do mundo da tecnologia.