Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

Tratado global pode reduzir produção de plástico em 40% até 2040

Por| Editado por Luciana Zaramela | 29 de Abril de 2024 às 16h17

Link copiado!

Naja Bertolt Jensen/Unsplash
Naja Bertolt Jensen/Unsplash

Nesta segunda-feira (29), mais de 170 países discutem o impacto do plástico no planeta e no mar, além de formas de reciclar e reduzir a dependência deste material, em Ottawa, no Canadá. De forma surpreendente, há uma proposta em debate que visa limitar a produção de plástico em 40% nos próximos 15 anos — se aprovado, o acordo global deve valer em 2040.

Todas as discussões sobre o impacto do plástico no mundo fazem parte da Quarta Sessão do Comitê Intergovernamental de Negociação (INC), organizada pelo Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma). 

Mesmo que a medida de limitar a produção de plásticos em 40% não seja aprovada, a iniciativa é um importante passo na discussão de alternativas para proteger a saúde humana e o ambiente, já que, cada vez mais, microplásticos afetam os organismos vivos. Recentemente, foram encontradas minúsculas partículas de plástico em artérias humanas obstruídas por gordura. Elas também chegaram até a placenta humana.

Continua após a publicidade

Limitar em 40% produção de plástico 

Durante as negociações de um tratado global com a ONU sobre poluição plástica, a ação concreta de limitar a produção em 40% até o ano de 2040 foi apresentada por representantes do Peru e de Ruanda.

A iniciativa “deve também se alinhar com o nosso objetivo no acordo de Paris, de limitar o aquecimento a 1,5 ºC [antes dos níveis pré-industriais]”, afirma o texto da proposta inédita no cenário global. Isso porque a produção de plástico e o aquecimento global estão conectados, quando se analisa a estrutura necessária de produção.

Para a ideia sair do papel, é preciso que os países concordem com a proposta — algo que ainda deve levar tempo para ser oficialmente validado. Outra questão é que a vigilância do acordo envolveria a disponibilização de dados sobre a produção e importação de plástico entre todas as nações envolvidas.

Para além do limite na produção, a versão final do tratado global contra a poluição plástica também deve promover a produção e o consumo sustentáveis de plásticos, o que engloba desde o design do produto até a gestão de resíduos (como a reciclagem). A partir deste acordo e de outras iniciativas, a ONU aposta ser possível cortar a poluição plástica em 80% até 2040.

Produção global de plástico

Na contramão da proposta em debate na ONU, a indústria do plástico não dá sinais que indicam a redução de suas atividades. De 1950 para 2017, a produção do material foi de 2 milhões de toneladas para 348 milhões. Para 2040, é provável que a capacidade de produção dobre.

Com tanto plástico produzido no globo, 11 milhões de toneladas acabam despejadas nos oceanos, todos os anos, sem nenhuma forma de tratamento. Estes materiais poluem o meio ambiente e já causam doenças em algumas aves, como apontam estudos emergentes.

Continua após a publicidade

Além do problema da reciclagem, a própria produção do material nessa quantidade é nociva para o globo. Isso porque a maior parte dos plásticos é derivada dos combustíveis fósseis e tanto na extração quanto na produção grandes quantidades de gases poluentes, como o dióxido de carbono, são produzidos, contribuindo com o aquecimento global. 

Vale destacar que, para continuar as discussões sobre a versão final do tratado global, a Quinta Sessão do Comitê Intergovernamental de Negociação deve acontecer entre os dias 25 de novembro a 1 de dezembro, na Coreia do Sul.

 

Continua após a publicidade

Fonte: The Guardian