Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

Crise climática e Acordo de Paris: o que é o limite de 1,5 ºC?

Por| Editado por Luciana Zaramela | 14 de Dezembro de 2023 às 19h30

Link copiado!

manfredxy/envato
manfredxy/envato

Com o aumento das temperaturas médias globais e a intensificação da crise climática, cientistas alertam, há anos, sobre a importância de reduzir a liberação de gases do efeito estufa, como o dióxido de carbono. Para unir forças em prol deste objetivo comum, 195 países que fazem parte da Organização das Nações Unidas (ONU) se reuniram e assinaram, em 2015, o Acordo de Paris sobre o Clima. A meta é impedir que os termômetros fiquem muito mais que 1,5 °C acima dos níveis pré-industriais.

Basicamente, o documento, em vigor desde 2016, traz diretrizes e metas para impedir que as temperaturas fiquem altas demais, quando comparadas aos níveis pré-industriais. Afinal, se este pior cenário se concretizar, a humanidade precisará encarar diferentes problemas em série, como degelo dos polos, aumento do nível do mar, intensificação dos desastres naturais, extinções, refugiados do clima, aumento de doenças infecciosas e crises na produção de alimentos e, consequentemente, na economia global.

Continua após a publicidade

O consenso sobre a necessidade do Acordo de Paris ocorreu durante a 21ª sessão da Conferência das Partes (COP28) da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre a Mudança do Clima (Unfccc), na capital da França. Desde então, medidas são tomadas para impedir o aumento das temperaturas em meio à crise climática.

Entenda o Acordo de Paris

No contexto da crise climática e do desenvolvimento sustentável, a principal meta do acordo de Paris é:

"Manter o aumento da temperatura média global bem abaixo dos 2 °C acima dos níveis pré-industriais e buscar esforços para limitar o aumento da temperatura a 1,5 °C acima dos níveis pré-industriais, reconhecendo que isso reduziria significativamente os riscos e impactos das mudanças climáticas”.

Em paralelo, a este objetivo comum está a ideia de desenvolver novas formas para reduzir o impacto das mudanças climáticas, através de ações que incentivem a resiliência ao clima. Também é necessário fomentar novas tecnologias e formas de desenvolvimento com baixa emissão de gases do efeito estufa.

O que são níveis pré-industriais?

Todo o progresso ou retrocesso em relação ao clima é estimado com bases nos níveis pré-industriais. Na definição do Acordo de Paris, elaborada em consenso com os cientistas da ONU, estes níveis são definidos com base nas temperaturas médias do planeta observadas entre os anos 1850 e 1900.

Estes são os anos posteriores ao período conhecido como Revolução Industrial, que começou por volta de 1760 e foi até 1850, tendo como epicentro o Reino Unido e a transição do fazer manual para as fábricas, além do uso em massa do carvão mineral. A partir deste momento, a ação humana começou a impactar o clima, mas em um nível bem menor que o atual.

Continua após a publicidade

Brasil está no Acordo de Paris?

Entre os países que assinaram o Acordo de Paris, está o Brasil. A participação brasileira foi ratificada em 2016, após aprovação do Congresso Nacional e a definição das metas — cada país tem autonomia para estipular suas contribuições, descritas no documento conhecido como Contribuições Nacionalmente Determinadas (NDC).

"A NDC do Brasil comprometeu-se a reduzir as emissões de gases de efeito estufa em 37% abaixo dos níveis de 2005, em 2025, com uma contribuição indicativa subsequente de reduzir as emissões de gases de efeito estufa em 43% abaixo dos níveis de 2005, em 2030”, afirma o Ministério do Meio Ambiente e Mudança do Clima, em nota.

Continua após a publicidade

Fonte: ONU e MMA