Samsung e Huawei firmam acordo e encerram mais de 40 disputas judiciais

Por Thaís Augusto | 16 de Maio de 2019 às 17h50

A Samsung e a Huawei firmaram um acordo nesta quinta-feira (16) para colocar um ponto final em todas as batalhas judiciais entre as fabricantes. Eram mais de 40 processos abertos, segundo o asiático Nikkei.

Os termos definidos por Samsung e Huawei não foram anunciados publicamente, mas parece que as empresas assinaram um acordo que as aproxima de um licenciamente cruzado para as patentes que eram disputadas na Justiça.

A batalha legal entre a Samsung e a Huawei começou em 2016, quando a chinesa processou a sul-coreana por supostamente infringir suas patentes de tecnologia 4G, sistemas operacionais e a interface de usuário. Meses depois, seria a vez da Samsung de acusar a Huawei de quebra de patente e exigir uma compensação de US$ 24,1 milhões, além do fim da produção do Mate 8 e da linha Honor.

Participe do nosso Grupo de Cupons e Descontos no Whatsapp e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.
Samsung pediu fim de produção da linha Honor da Huawei por quebra de patentes

O acordo desta quinta-feira ocorre quando a indústria de smartphones está enfrentando mudanças: os smartphones devem começar a se adaptar à rede 5G no próximo ano e, ao mesmo tempo, algumas fabricantes estão registrando um declínio nas remessas de smartphones em meio a um mercado saturado.

A Huawei é uma das únicas fabricantes que está conseguindo evitar essa tendência negativa – as vendas globais de seus smartphones cresceram 50% no primeiro trimestre em comparação ao mesmo período do ano passado. Já a Samsung continua dominando o mercado, mesmo vendo suas vendas caírem em 8%.

O acordo entre as fabricantes foi impulsionado por um movimento da Samsung, que vinha sofrendo derrotas na Justiça. No mês passado, a Apple e a Qualcomm também resolveram a sua própria batalha legal sobre patentes de smartphones. Neste caso, o 5G foi um fator decisivo – sem um acordo com a Qualcomm, a Apple corria o risco de ficar pelo menos um ano atrás dos rivais.

Fonte: The Verge

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.