Cinquentona | A longa história da internet, que tem até certidão de nascimento

Por Fidel Forato | 29 de Outubro de 2019 às 20h30
Eurokeks

Há pesquisadores que dividem a história da humanidade em dois momentos cruciais: antes da escrita edepois dela. No entanto, há um novo — chamado assim porque os parâmetros desse estudo são os milênios — marco para a trajetória da sociedade, que é a criação da internet, o que revolucionou a forma como os humanos se relacionam e interagem, do primeiro e-mail compartilhado entre pessoas fisicamente muito distantes ao like nas redes sociais — e além.

Dentro dessa nova historiografia, há exatos cinquenta anos, em 29 de outubro de 1969, nascia a internet (ainda que muito rudimentar). Era um único login de um terminal de computador na Universidade da Califórnia (UCLA), em Los Angeles, ligado com o de Stanford Research Institute (SRI), na baía de São Francisco. Nesta data, acontecia o primeiro acesso remoto entre diferentes tipos de computadores, utilizando uma tecnologia altamente experimental chamada comutação de pacotes, que permitia a transferência de pequenos bits.

Os pesquisadores que estavam trabalhando na UCLA, em 1969, mantinham um diário detalhado de tudo o que acontecia. E, em uma anotação, podemos ver na mesma data de hoje, às 22h30, o seguinte texto: “Conversei com o SRI; Host com host”.

A certidão de nascimento da Internet (Fonte: Gizmodo / UCLA Special Collections)

Essa anotação marca o momento em que os dois computadores começaram a se comunicar. Surpreendentemente, é um pedaço de papel que documenta o nascimento da Internet, como se fosse uma certidão, quando ela ainda era chamada de Arpanet. Nesse momento, ela era muito mais restrita e fazia parte de um projeto financiado pela ARPA — conhecida hoje como DARPA, agência governamental norte-americana que trabalha com tecnologia de ponta, como robôs de combate em guerras e implantes cerebrais.

Para Bradley Fidler, historiador da computação do Stevens Institute, em Nova Jersey, esse documento é muito valioso porque registra "um pequeno pedaço da história global das redes, que cresceram e extinguiram muitos caminhos alternativos, e puseram em movimento tradições, projetos, e instituições que não foram substituídos, mas se transformaram no que temos hoje".

Marcos que pavimentaram a evolução da internet

Nos últimos 50 anos, a internet cresceu de maneira assustadora, com bilhões de e-mails enviados, pesquisas realizadas, fotos postadas em redes sociais, textos compartilhados em plataformas virtuais, mensagens enviadas por meio de aplicativos... tudo isso diariamente. E hoje isso é possível graças à ação de governos, ógãos reguladores, pesquisadores e ativistas que construíram coletivamente a Internet, aos poucos, até ela tomar a forma atual.

Depois de 50 anos, a web é presença diária (e obrigatória) no mundo todo

Abaixo, confira alguns dos principais marcos que pavimentaram o caminho para que a internet evoluísse a ponto de se tornar o que conhecemos hoje:

1978: Falha na criptografia

Os primeiros “usuários“ da Internet, de certa forma, foram muito criativos e curiosos em relação à nova tecnologia. Em 1973, um grupo de estudantes do ensino médio conseguiu acessar à ARPANET, que deveria ser uma rede fechada gerenciada pelo Pentágono.

Diante disso, os cientistas da computação Vinton Cerf e Robert Kahn sugeriram a criação de uma criptografia nos principais protocolos da Internet, o que tornaria muito mais difícil contravenções no sistema. Mas a comunidade de inteligência dos EUA se opôs, embora as autoridades não tenham dito publicamente o porquê.

Como resultado, todos os usuários atuais precisam lidar com senhas complexas e autenticação com múltiplos fatores (MFA) para garantir comunicações seguras.

1971: É criado o e-mail

Antes mesmo de a Internet estar acessível ao público em geral, nascia o e-mail. A mensagem eletrônica por meio de uma rede virtual foi criada em 1971 e usava transferências de arquivos como forma de distribuir mensagens para usuários da ARPANET.


1983: Nasce a internet como é conhecida

Para a internet se tornar global, todos os tipos de computadores precisavam falar o mesmo "idioma" e assim se comunicarem diretamente, em vez de dificultar tudo com o uso de tradutores. E isso só aconteceu em janeiro de 1983.

Até então, centenas de cientistas de vários governos colaboraram para criar o que chamavam de padrão de interconexão de sistemas abertos. Era um método complexo que os críticos consideravam ineficiente e de difícil aplicação nas redes existentes.

Dessa forma, Cerf e Kahn propuseram outra maneira de conexão, chamada de Transmission Control Protocol / Internet Protocol (TCP/IP), criando a internet operacional. O TCP/IP funcionou mais como um correio normal, agrupando mensagens em pacotes e colocando o endereço do lado de fora. Tudo o que os computadores da rede precisavam fazer era passar a mensagem ao seu destino, onde o computador receptor descobriria o que fazer com as informações. Mais eficiente e gratuito, o TCP/IP permitia e permite até hoje o dimensionamento rápido e global da Internet.

Ícone entre os computadores pessoais, o PC XT, da IBM, foi sucesso nos anos 1980

1991: A WWW estreia para o público

Em dezembro, uma nova maneira de compartilhar informações é disponibilizada ao público: a World Wide Web, causando um gigantesco impacto na acessibilidade e utilidade da rede. A chegada da WWW comprovou o quão poderosa a internet poderia ser para descoberta, acesso e compartilhamento de informações em larga escala.

1993: O público quer particpar

Nesse momento, acontece o lançamento do navegador Mosaic, disponível para todo o público, e marca um novo momento no desenvolvimento da Internet. Foi a primeira vez que houve uma interface visualmente atraente para os usuários em geral. Nesse mesmo ano, surge a palavra “meme”, usada para descrever uma ideia que viraliza. Mesmo assim, ainda seriam necessários mais dez ou vinte anos para que o termo fosse amplamente difundido.

1995: Quem dá mais?

Acontecimento histórico para os negócios da internet, quando acontece a abertura de capital na bolsa de valores (IPO) da Netscape Communications, que dá início a uma nova era para a tecnologia e os negócios: o chamado “boom das empresas ponto com”. A empresa lançou o primeiro software a ser conhecido como um navegador de internet — o Netscape Navigator.

Página inicial do Netscape 3.0

1996: Censura? Discurso online regulamentado

Em 1996, a Internet possuía mais de 73 mil servidores. O que se encontrava lá, no entanto, preocupou alguns membros do Congresso e seus eleitores — particularmente a quantidade crescente de pornografia. Em resposta, o Congresso aprovou a Lei de Decência nas Comunicações, que procurava regular a indecência e a obscenidade no ciberespaço.

A Suprema Corte americana derrubou partes da lei, baseada na liberdade de expressão, no ano seguinte, mas deixou em vigor a Seção 230, que dizia: “Nenhum provedor ou usuário de um serviço interativo de computador deve ser tratado como o editor ou alto-falante de qualquer informação fornecida por um outro provedor de conteúdo da informação".

Essas 26 palavras liberaram os provedores de serviços de Internet e as empresas de hospedagem na Web da responsabilidade legal pelas informações que seus clientes publicaram ou compartilharam online. Tal sentença forneceu segurança jurídica para que a indústria de tecnologia dos EUA prosperasse, pois essa proteção permitiu que as empresas se sentissem confortáveis ​​em criar uma Internet focada no consumidor, com meios de comunicação populares e conteúdos gerados pelo próprio usuário.

Mas é também a Seção 230 que permite que as redes sociais, como Facebook e Twitter, não sejam responsabilizadas por conteúdos impróprios divulgados em suas plataformas por seus usuários.

Final dos anos 1990 e começo da década de 2000

Na transição do milênio, a internet viu o surgimento de mecanismos de buscas, serviços de e-mail, hospedagem online de arquivos, programas de mensagens instantâneas, salas de chat, fóruns, blogs... Foi uma verdadeira revolução!

2005: vídeos no YouTube estão no ar

No dia 23 de abril, é feito o primeiro upload de vídeo para o YouTube. Com ele, pessoas comuns – e não apenas profissionais – passaram a criar e publicar vídeos, que podiam ser compartilhados na internet e de graça. Isso modificou para sempre a produção de conteúdos com perfis compartilhando, em segundos, vídeos para seus milhões de inscritos.

O primeiro vídeo, intitulado “Me at the zoo”, possuía apenas 19 segundos e estrelava o próprio fundador da rede social, Jawed Karim, no Zoológico de San Diego.


2007: Chega o iPhone

O primeiro iPhone, lançado em 2007

Ainda que celulares com capacidade de acessar a internet, de alguma maneira, já existissem antes disso, foi com o lançamento do primeiro iPhone, em 2007, que a coisa explodiu de verdade. Tudo acontecia com Steve Jobs impressionando o mundo ao apresentar o primeiro iPhone durante um evento da Apple. O aparelho, entre outras coisas, abandonava o uso do teclado físico, trazendo uma tela sensível ao toque.


2010: a guerra também é online

Em junho de 2010, pesquisadores de segurança revelaram a descoberta de uma poderosa arma cibernética chamada Stuxnet, projetada para atingir equipamentos usados ​​pelo Irã no desenvolvimento de armas nucleares. Esse foi um dos primeiros ataques digitais conhecidos que causaram graves danos físicos.

Quase uma década depois, fica claro que o Stuxnet abriu os olhos de governos e de grupos online para a possibilidade de crises do tipo. Atualmente, diferentes nações usam ataques cibernéticos de maniera crescente, atacando alvos militares e até civis.

2012: O marco do IPv6

O Google e muitos outros sites ativaram permanentemente o Internet Protocol v6 (IPv6) como parte do lançamento mundial do IPv6. Na época, a Internet estava ficando sem endereços IP, mas o IPv6 permitia um crescimento ilimitado de endereços IP no futuro.

De lá para cá

A evolução da internet segue a todo vapor, e a cada instante nos fornece um serviço novo e revolucionário — um bom exemplo é a recente "uberização" de serviços ao público geral.

Curiosidades sobre a internet

Entre as curiosidades, descubra a origem do spam
  • Só em 1992 foi carregada a primeira foto na Web. A imagem era de uma banda composta por integrantes da Organização Europeia para a Pesquisa Nuclear (CERN), chamada Les Horribles Cernettes;
  • A primeira webcam foi instalada no laboratório de informática da Universidade de Cambridge e era basicamente uma exibição ao vivo de uma máquina de café. Durante muito tempo, seu único objetivo foi monitorar uma cafeteira, evitando que ninguém a encontrasse vazia;
  • O Spam só virou "moda" na internet nos anos 1990, quando uma dupla de advogados começou a disparar centenas de mensagens publicitárias para seus clientes — imigrantes ilegais que poderiam conseguir o visto permanente nos EUA. O termo, aliás, vem de um sketch do grupo de comediantes britânicos Monty Python, o Spamalot;
  • A origem da Página "Erro 404" é da época em que a memória dos servidores era muito baixa, o que tornava impraticável escrever uma longa mensagem de erro. A solução, então, foi designar intervalos numéricos para cada categoria de erro. De acordo com os programadores, os erros de clientes caíram em uma variável de 400, gerando então o famoso 404;
  • O nome do Google veio do termo Googol, que representa valores muito grandes, como o número de páginas exibidas pelo site a cada pesquisa. No entanto, os fundadores Larry Page e Sergey Brin não sabiam como pronunciar a palavra corretamente e, assim, a grafia acabou se tornando a que conhecemos hoje.

Fonte: Google BlogGizmodoThe Conversation; Gadgets Now

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.