Publicidade

ChatGPT atinge 100 milhões de usuários em apenas dois meses

Por| Editado por Douglas Ciriaco | 03 de Fevereiro de 2023 às 08h50

Link copiado!

Reprodução/OpenAI
Reprodução/OpenAI

O ChatGPT pode ter superado a marca de 100 milhões de usuários ativos mensais em janeiro de 2023. O feito impressiona pela rapidez com que foi alcançado, já que a ferramenta foi disponibilizada ao público em 30 de novembro do ano passado. Os dados foram repercutidos pela empresa de análise de investimentos UBS para comparar com outros serviços populares.

Em apenas um mês, o chatbot registrou 57 milhões de usuários ativos mensais, número que quase dobrou em menos de 30 dias. Por dia, a OpenIA recebeu um tráfego médio de 17 milhões de visitantes únicos no site onde funciona o ChatGPT. O crescimento meteórico é muito superior a qualquer app ou rede social na história.

Continua após a publicidade

O TikTok levou nove meses desde o seu lançamento global para atingir os 100 milhões de usuários mensais. A rede social dos vídeos curtos parecia imbatível até então, impulsionada pela forte adoção do público jovem. Já o rival Instagram levou cerca de dois anos e meio antes de também chegar ao marco.

A grande dúvida agora é saber se o chatbot poderá manter o nível de interesse nos próximos meses. Segundo o analista da UBS, Lloyd Walmsley, este poderia ser apenas um efeito de manada em razão do burburinho, sem obter o chamado "poder de permanência".

"Este é o aplicativo de consumidor mais rápido que já vi atingindo 100 milhões de usuários ativos mensais em minha carreira, cobrindo este espaço. [...] É assustador", disse em entrevista à CBS.

ChatGPT no centro das atenções

Continua após a publicidade

Embora se proponha a oferecer respostas para todos os questionamentos, o ChatGPT também se destaca na parte de produção escrita e até na programação de softwares de computador. O maior problema atualmente é a falta de confiança nos dados, pois há muita informação equivocada e sem indicação da fonte.

O robô inteligente ainda está no centro de intensas polêmicas relativas aos direitos autorais e aos créditos pelo trabalho desenvolvido. Escolas e universidades também estão preocupados com o uso inadequado por alunos, pesquisadores e cientistas.

A ferramenta é um fenômeno de atratividade e inovação, tanto que o Google começou a acelerar suas mais de 20 pesquisas de IA no intuito de rivalizar com a OpenAI. A Microsoft está feliz com a solução: além de ser acionista do projeto, já começou a levar o GPT-3.5 (tecnologia por baixo do ChatGPT) para a suíte de aplicativos Microsoft 365 (antigo Office) e para o mecanismo de buscas Bing.

Os desenvolvedores da ferramenta também querem começar a tirar algum lucro extra, por isso já anunciaram um serviço de assinatura pago para quem precisa de mais recursos. Por um valor fixo mensal de US$ 20, a pessoa terá prioridade na fila de uso do ChatGPT e ainda receberá, de modo imediato, acesso às inovações implementadas futuramente. Quem só estiver disposto a brincar com a ferramenta, ainda dará para usar o chatbot gratuitamente, embora de modo limitado.

Continua após a publicidade

Fonte: CBS