Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

MWC 2024 | Qualcomm lança plataforma AI Hub e demonstra LMMs em celulares

Por| Editado por Wallace Moté | 26 de Fevereiro de 2024 às 04h00

Link copiado!

(Imagem: Divulgação/Qualcomm)
(Imagem: Divulgação/Qualcomm)
Tudo sobre Qualcomm

Participando da MWC 2024, a Qualcomm reforçou seu compromisso na ampla adoção de Inteligência Artificial e anunciou a Qualcomm AI Hub, biblioteca que concentrará Grandes Modelos de Linguagem (LLMs) que já estejam otimizados para rodar em plataformas Snapdragon, visando facilitar a implementação desses modelos em celulares e notebooks. A gigante também aproveitou a oportunidade para demonstrar pela primeira vez modelos multimodais sendo executados localmente por um smartphone.

Os investimentos da Qualcomm em IA tem crescido nos últimos anos, com saltos significativos de desempenho da Unidade Neural de Processamento (NPU) usada na linha Snapdragon e o lançamento de diversos recursos de software para garantir o bom aproveitamento desse hardware. Nesse ponto, os esforços mais recentes da marca envolviam a Qualcomm AI Stack, um conjunto de modelos de IA otimizados para os chips da empresa.

Continua após a publicidade

Neste ano, especialmente com o crescimento de soluções mais complexas, a gigante dá um novo passo na forma do Qualcomm AI Hub, grande biblioteca que reúne modelos de IA tradicional e de IA generativa otimizados para Snapdragon em uma central que promete facilitar sua implementação. Segundo a apresentação divulgada, o workflow seria simples, consistindo em três etapas: a seleção do modelo desejado, a seleção do dispositivo ao qual o app será destinado (smartphone, PC, etc) e a implantação no aplicativo.

Já no lançamento, mais de 75 modelos estarão disponíveis, incluindo códigos em TensorFlow, PyTorch e ONNX preparados para geração de imagens, geração de texto, segmentação de imagens, super resolução, aprimoramentos de capturas em baixa luminosidade e compreensão de linguagem natural. Conforme explica a companhia, com as otimizações para chips Snapdragon, seria possível obter desempenho de inferência até quatro vezes maior em comparação aos formatos não otimizados.

Outro ponto interessante é que esses modelos não estariam restritos ao Qualcomm AI Hub — também será possível ter acesso a eles pelo GitHub, ou ainda por meio de repositórios no Hugging Face. Ao que parece, o maior diferencial da biblioteca proprietária da Qualcomm é agilizar a integração da IA nos apps ao mostrar as melhores opções disponíveis de acordo com os dispositivos escolhidos pelo desenvolvedor.

Qualcomm mostra modelos multimodais no celular

Aproveitando a oportunidade, a Qualcomm realizou duas demonstrações inéditas de IA generativa em smartphones, que complementam o exemplo com a Llama da Meta feito durante o Snapdragon Summit em outubro passado. Esta seria a primeira vez que um Grande Modelo Multimodal (LMM) — os modelos que podem receber e interpretar dados de texto, áudio e imagem simultaneamente — seria demonstrado em um celular.

A primeira delas trabalha com o LLaVA (Large Language and Vision Assistant), modelo de código aberto com cerca de 7 bilhões de parâmetros desenvolvido pelo time de pesquisa da Microsoft em parceria com as Universidades de Columbia e de Wisconsin-Madison. Como o nome sugere, a solução tem a intenção de ser um assistente virtual que trabalha com comandos e respostas baseados em textos, sons e imagens.

Continua após a publicidade

Curiosamente, a Qualcomm não divulgou a taxa de tokens (o número de termos gerados amplamente usado para medir a velocidade de execução da IA), nem qual processador foi usado, mas a marca garante que uma experiência responsiva foi obtida. A característica mais importante é a execução do modelo no dispositivo, localmente, sem ser preciso acessar a nuvem, o que garantiria maior segurança e privacidade para os usuários.

O segundo teste mostra o Stable Diffusion, modelo de geração de imagens a partir de texto, rodando com Low Rank Adaptation, ou LoRA, ferramenta que permite ao usuário fazer ajustes nos resultados a cada treinamento da IA. Essa funcionalidade também é inédita nos telefones, e seria um passo importante para turbinar o uso de IA em smartphones, oferecendo mais eficiência e a possibilidade de personalizar os modelos.