SAIU O RESULTADO DO SORTEIO DO PRÊMIO CANALTECH!CONFERIR
Publicidade

IAs tornarão criminosos ainda mais convincentes, aposta Steve Wozniak

Por| Editado por Douglas Ciriaco | 09 de Maio de 2023 às 15h26

Link copiado!

Wikimedia Commons/Nichollas Harrison
Wikimedia Commons/Nichollas Harrison
Steve Wozniak

As tecnologias com inteligência artificial podem tornar a identificação de golpes e desinformação ainda mais difícil, acredita o cofundador da Apple Steve Wozniak. Crítico de IAs generativas como o ChatGPT, o antigo parceiro de Steve Jobs disse crer que os modelos avançados podem ser facilmente utilizados em ações criminosas.

"A inteligência artificial é tão inteligente que está aberta às pessoas mal-intencionadas, aquelas que querem enganar você sobre quem elas são", pontuou Wozniak. Durante o papo, ele não menciona nenhum produto específico, mas esse âmbito da tecnologia inclui ferramentas de geração de texto e imagens, como ChatGPT, Bing Chat e Midjourney.

Continua após a publicidade

"[Os criminosos] querem vender alguma coisa que você não quer, querem enganar para roubar dados de suas contas... Nós vemos invasões o tempo todo, tanto a pessoas quanto a corporações", exemplificou. "Minha única expectativa é que o problema fique mais grave do que está agora", complementou.

Inteligências artificiais não agem sozinhas

Quanto à responsabilidade das criações feitas por IA, Wozniak acredita que elas devem ser atribuídas aos humanos. "Um ser humano realmente tem que assumir a responsabilidade pelo que é gerado por inteligência artificial", cravou.

Para o criador da Apple, é necessário que grandes empresas de tecnologia "que sentem que podem se safar de qualquer coisa" sejam culpabilizadas caso algo ruim aconteça. Contudo, ele não parece tão esperançoso quanto a isso.

Continua após a publicidade

"As forças movidas pelo dinheiro geralmente ganham, isso é um pouco triste", opinou.

IAs ainda vão evoluir

As ferramentas com inteligência artificial vieram para ficar e ainda vão evoluir. Wozniak, porém, espera que reguladores cumpram seu papel e criem normas para conter o dano que essas tecnologias podem causar.

"Vemos a inteligência artificial como algo enorme e continuaremos a inseri-la em nossos produtos de maneira muito cuidadosa", afirmou o cofundador da Apple.