Qual é a diferença entre os padrões A, B, G e N do roteador?

Qual é a diferença entre os padrões A, B, G e N do roteador?

Por Caio Carvalho | Editado por Guadalupe Carniel | 23 de Fevereiro de 2022 às 14h05
Reprodução

Todo roteador wireless, assim como as conexões nesse padrão sem fio, são acompanhadas por uma combinação de números e letras. Por exemplo: os números 802.11 e as letras a/b/g/n. Mas, afinal, qual é a diferença entre elas e o que cada combinação significa?

Essa sopa de números e letrinhas pode parecer um tanto confusa de início, mas tem tudo a ver com a capacidade de dados suportados e o alcance da rede. Conheça a seguir a diferença entre os padrões A, B, G e N. Ao final, aprenda conceitos básicos de como configurar roteador A, B, G e N.

O que é e como funciona uma rede Wi-Fi?

Antes de entrarmos nas diferenças entre os padrões A, B, G e N do roteador, é importante destacar os principais conceitos por trás das redes Wi-Fi.

Redes Wi-Fi possuem diferentes padrões estabelecidos por organização sem fins lucrativos (Imagem: Stephen Phillips/Unsplash)

Wi-Fi (Wireless Fidelity) é uma marca registrada pela Wi-Fi Alliance. Esse é o termo popular da tecnologia conhecida como IEEE 802.11, que por sua vez se refere a uma família de especificações desenvolvidas pelo IEEE (Instituto de Engenheiros Eletricistas e Eletrônicos), organização profissional sem fins lucrativos que estabelece os padrões a serem adotados pelos fabricantes em seus respectivos equipamentos.

Já vamos entrar nessas especificações. Mas, resumidamente, todas funcionam por meio de ondas de rádio que transmitem o sinal usando um adaptador, que neste caso é o roteador presente nas casas, escritórios e outros lugares. O roteador recebe os sinais da onda de rádio, decodifica os dados e emite esses sinais a partir de uma antena, distribuindo o Wi-Fi pelo ar.

Padrões A, B, G e N do roteador

Cada padrão estipulado pelo IEEE possui especificações bastante técnicas. Entretanto, para simplificar tudo isso, tenha em mente que as nomenclaturas são formadas por números e letras. Para as redes sem fio, é o número 802.11 acompanhado por uma letra. É essa letra no final da sequência numérica que determina parâmetros como frequência, alcance e velocidade da rede.

Os padrões mais conhecidos e que são usados na maioria dos roteadores são 802.11 com a letra A, B, G ou N. A seguir, conheça a diferença entre cada um deles.

802.11a

Fornece velocidade máxima de 54 Mbps com frequência de 5 GHz, 64 pontos de acesso simultâneos e alcance máximo de 150 metros. Normalmente, é usado por empresas com grande tráfego de dados. É um dos padrões que menos sofre interferências, mas pelo alcance reduzido não consegue chegar a grandes distâncias.

802.11b

Oferece alcance máximo de 150 metros e velocidade máxima de 11 Mbps com frequência de 2,4 GHz e até 32 pontos simultâneos. Muito usado no meio doméstico, esse padrão consegue chegar em mais locais, mas sua principal desvantagem é a velocidade reduzida comparada a outras redes.

802.11g

Uma atualização do padrão B para que as redes possam trabalhar a 54 Mbps também a 2,4 GHz, mas mantendo o mesmo alcance. Ainda muito comum nos dias de hoje por fornecer capacidade o suficiente para a maioria dos planos de internet contratados.

802.11n

Considerado ultrapassado pela Wi-Fi Alliance, esse padrão usa as frequências de 2,4 GHz e 5 GHz e tem velocidades que variam entre 54 Mbps e 100 Mbps.

Outros padrões

Já existem roteadores equipados com outros padrões certificados pelo IEEE. Entre os mais conhecidos estão os seguintes:

  • 802.11ac (Wi-Fi 5): banda de 5 GHz com suporte para canais de 80 MHz ou 160 MHz; até 8 antenas; tecnologia MIMO multiusuário; velocidade sem fio mais rápida de até 433 Mbps por fluxo espacial ou 1.3 Gbps em três antenas;
  • 802.11ad: opera na banda de frequência de 60 GHz, com taxa de transferência de até 7 Gbps;
  • 802.11ax (Wi-Fi 6): atinge taxas de transmissão superiores a 1200 Mbps, velocidade de navegação de 9,6 Gbps e suporta até 8 aparelhos mantendo os mesmos padrões de velocidade. Também é mais estável e sofre menos interferências, se comparado a outros padrões.
Diferença entre os padrões A, B, G e N do roteador: redes possuem nomenclaturas distintas (Montagem: Canaltech)

Como configurar roteador A, B, G e N

Configurar um roteador é uma tarefa relativamente simples, mas que ao mesmo tempo requer alguns cuidados em pontos bem específicos. Também é importante conhecer dicas para configurar a rede Wi-Fi e garantir um sinal melhor e mais estável.

No mais, atente-se aos seguintes detalhes:

  1. Verifique a voltagem do roteador. A maioria é bivolt, mas vale checar se o aparelho é compatível com os padrões 220 V e 110/115/127 V;

  2. Conecte o cabo da linha telefônica da sua operadora e o cabo de energia no roteador;

  3. Encontre o endereço de IP do roteador. Fica na parte de baixo do aparelho e no manual do acessório;

  4. Acesse o endereço de IP por um navegador de internet;

  5. Insira os dados de usuário e senha. Geralmente, ambos vêm de fábrica como “admin" (sem aspas). Se não for isso, consulte o manual do roteador;

  6. Siga as instruções para completar a configuração.

Lembrando que o endereço de IP do roteador, bem como a interface de configuração, variam de acordo com a fabricante do aparelho. Depois de configurado, você ainda pode descobrir se alguém está usando seu Wi-Fi. Problemas na rede sem fio também são comuns, mas podem ser resolvidos sem precisar de um técnico especializado.

Fonte: IEEE, Electronic Notes

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.