Processador Cannon Lake de 10 nm da Intel só chega no ano que vem

Por Wagner Wakka | 27 de Julho de 2018 às 18h06
Tudo sobre

Intel

Aos que estavam esperando computadores com processadores mais parrudos com chips da Intel ainda para este ano, podem continuar sentados. Em entrevista para a CNBC, o CEO interino da empresa Bob Swan informou que os aguardados chips que usariam o processador de 10 nanômetros apelidado de Cannon Lake pela Intel só vão chegar na segunda metade de 2019. Mais especificamente, o foco da companhia, segundo Swan, é o natal do ano que vem.

Esta não é a primeira vez que o lançamento do produto é adiado, sendo que o antigo CEO Brian Krzanich já havia anunciado em abril que os desenvolvedores da empresa estavam enfrentando problemas com o chip. No caso, o principal desafio era fazer com que ele tivesse o desempenho desejado mesmo com o minúsculo tamanho de 10 nanômetros em sua arquitetura.

Embora o problema pudesse ser endereçado com modificações futuras, a Intel preferiu não colocar o chip em produção ainda.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

A expectativa neste produto é grande, pois ele permite a compatibilidade com memória RAM LPDDR4 de até 32 GB. Com isso, a Apple por exemplo, poderia passar a prover um opção de seus MacBooks Pro e iMacs com opções maiores de memória RAM do que se tem hoje. O LPDDR4 e o LPDDR4X são tipos de memória considerados versões mais simples do DDR4. Contudo a adição de 32 GB pode ajudar a dar um boost no produto.

Outro mercado que a Intel pode tentar ganhar com isso é o de servidores e empresas, setor que no qual a AMD tem crescido nos últimos anos, segundo relatório recente da empresa. Os pequenos chips também pedem uma menor quantidade de energia o que converte também em economia para empresas que trabalham com grandes servidores.

O chip é um i3-8121U de 2.2 GHz dual-core com capacidade de subir até 3.2 GHz com Turbo Boost. A vantagem é que o design voltado a questões de otimização de temperatura fazem com que seja compatível com notebooks finos consumindo apenas 15 watts.

Fonte: CNBC

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.