Linha Intel Arc tem nomenclatura detalhada por documento vazado

Linha Intel Arc tem nomenclatura detalhada por documento vazado

Por Renan da Silva Dores | Editado por Wallace Moté | 27 de Setembro de 2021 às 09h32
Divulgação/Intel

A família de placas de vídeo Intel Arc será a primeira grande aposta da empresa no segmento de GPUs para games. Com lançamento previsto para o início de 2022, a linha promete entregar desempenho competitivo, com atualizações recorrentes dos drivers e tecnologias de destaque como aceleração de Ray Tracing com hardware e o upscaling com IA Intel XeSS.

Após ter mais alguns detalhes confirmados pela companhia em entrevista a um portal japonês, as placas Arc acabam de ter novas informações vazadas, que confirmam a nomenclatura dos modelos a serem lançados, bem como os possíveis níveis de desempenho que cada um deles oferecerá.

Placas Arc têm nomenclatura indicada por vazamento

Mostrando um trecho de um documento oficial vazado, o leaker @momomo_us, cujo histórico de vazamentos é geralmente preciso, revela a nomenclatura oficial da linha Intel Arc. As informações revelam que a escolha dos codinomes não foi aleatória e segue uma ordem alfabética, que deve ser aplicada também nos nomes de cada uma das placas.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Segundo o leaker, a primeira geração Alchemist adotará a alcunha Intel Arc a-series, com as GPUs empregando a letra "a" junto a uma numeração — no estilo Intel Arc a###. Futuras gerações, como Battlemage e Celestial, seguirão a mesma linha com Intel Arc b### e Intel Arc c###, e assim suscetivamente. Diante disso, o site WCCFTech trouxe alguns palpites sobre quais números a Intel pode utilizar para os modelos:

  • Intel Arc a300, a500 e a700 (performance como referência)
  • Intel Arc a130, a150 e a170 (performance como referência)
  • Intel Arc a800, a600 e a200 (número de Xe slices como referência)

O documento também traz algumas regras de nomenclatura que devem ser seguidas por fabricantes de notebooks e modelos customizados, entre outros parceiros, que não se aplicarão necessariamente aos usuários. As mais interessantes se referem a dispositivos que tragam um combo de CPU e GPU Intel, que podem combinar os nomes de ambos, além de se utilizar o nome da série em vez do número da geração.

Topo de linha se posiciona logo abaixo da RTX 3070 Ti

Paralelo a isso, o canal Moore Law is Dead trouxe novas informações sobre os modelos que devem compor a a-series e o suposto nível de desempenho de cada um deles. A variante topo de linha, equipada com 4.096 núcleos, divididos em 8 slices e 32 Xe Cores, deve contar com clocks elevados entre 2,2 GHz e 2,5 GHz e ser acompanhada de 16 GB de RAM GDDR6 rodando a 16 Gbps.

O componente contaria com interface de 256-bit, ainda que seja possível haver uma edição especial com interface de 384-bit, e teria o design exibido pelo recente show de drones da empresa em prata. Fora isso, a solução entregaria desempenho próximo de uma RTX 3070, sendo posicionada entre a RTX 3060 Ti e a RTX 3070 Ti. Ainda assim, o consumo seria razoável, abaixo dos 235 W, trazendo alimentação via combinação de 8 + 6 pinos.

A Intel deve lançar três placas Arc, trazendo um modelo intermediário surpresa (Imagem: Moore's Law is Dead/YouTube)

Para o segmento intermediário, a Intel estaria preparando um modelo surpresa, com 3.072 núcleos, repartidos em 6 slices e 24 Xe Cores. Velocidades e interface são desconhecidos, mas testes estão sendo feitos com memórias em 192-bit. Como resultado, a performance estaria posicionada entre a RTX 3060 e a RTX 3060 Ti. Ao que parece, uma versão com 3.584 núcleos, em 7 slices e 28 Xe Cores, também estaria em desenvolvimento, voltada para notebooks.

Por fim, para o segmento de entrada, a empresa trabalha em uma GPU com 1.024 núcleos, divididos em 2 slices e 8 Xe Cores, com 4 GB ou 8 GB de RAM GDDR6 em uma interface de 64-bit e clocks entre 2,2 GHz e 2,5 GHz. A solução deve se posicionar entre a GTX 1650 e a GTX 1650 Ti, tendo como vantagem o suporte ao Ray Tracing e ao XeSS, e trazer design muito próximo à Iris Xe DG1, a primeira placa da companhia.

Moore Law is Dead completa o vazamento indicando que os preços ainda são desconhecidos, mas que devem ser bastante agressivos, como maneira de atrair os consumidores.

Fonte: @momomo_us, HDBlog, WCCFTech

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.