Os 4 melhores jogos clássicos de Arcade para celular

Por Rodrigo Folter | Editado por Bruno Salutes | 15 de Julho de 2021 às 19h50
twenty20photos

A indústria de jogos eletrônicos há anos supera marcas supreendentes de faturamento e número de jogadores, segundo a Newzoo a previsão é ultrapassar 3 bilhões de jogadores ao redor do mundo e 200 bilhões de dólares em 2023. Video games é um marco, artístico e financeiro que chega a assustar. Mas onde esse mercado tão forte começou?

Nos anos 1970 os jogos eletrônicos chegaram de forma mais acessível ao público através dos arcades, e Pong se tornou o primeiro sucesso, abrindo caminho caminho para inúmeros grandes títulos que viriam a seguir, alguns deles presentes na lista abaixo.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

A era de ouro dos arcades durou até os anos 1980 e estabeleceu clássicos, a partir daí a indústria migrou para os lares com o crescimento dos consoles, o que já era tendência. Porém, por causa de singelos blocos que levam a bolinha de um lado para o outro e outros que vieram nesse período, existe uma indústria tão forte atualmente e alguns desses clássicos podem ser encontrados nos celulares

PAC-MAN

  • Compatibilidade: Android, iOS
  • Preço: gratuito (compras internas opcionais)
  • Tamanho: cerca de 80 MB para Android e 180 MB para iOS (versão 9.3)

O famoso "come-come" foi um dos primeiros símbolos da indústria e, como videogamedunkey disse, foi o primeiro jogo "survivor horror game". PAC-MAN captura a essência de fácil de aprender e difícil de masterizar e além de comer fantasmas, comeu muitas moedas em fliperamas ao redor do mundo.

No lançamento, mais de 100 mil máquinas foram vendidas, um estrondo para a época, e encantou pela simplicidade de jogabilidade e crescente dificuldade dos níves, com fantasmas que tinham diferentes personalidades e entender cada uma era a essência da sobrevivência no jogo.

Sua versão para celulares entrega toda a qualidade do clássico que completou seu 40º anivesário em 2020 e introduz novidades como prêmios diários, missões e a possibilidade de alterar o visual do nosso sobrevivente no labirinto e não dá sinais de que vai deixar a qualidade cair tão cedo.

O querido "come-come" é um dos principais nomes dos jogos casuais para arcade (Imagem: Rodrigo Folter/Captura de tela)

Tetris

  • Compatibilidade: Android, iOS
  • Preço: gratuito (compras internas opcionais)
  • Tamanho: cerca de 150 MB para Android e 500 MB para iOS (versão 4.2)

Na metade dos anos 1980 o pesquisador da Acadmeia de Ciências da União Soviética, Alexey Pajitnov, agraciou o mundo com Tetris, o simples jogo de encaixar blocos de diferentes formatos enquanto descem pela tela. Mas a história de distribuição do jogo é bastante tumultuada.

Com o lançamento feito para fliperamas pela Atari após terem criado uma versão inspirada no jogo russo cujos direitos de publicação e distribuição foram amplamente disputados no mercado. No final dos anos 1990 voltou aos donos de origem, mas a chegada ao público, principalmente ocidental, foi graças a empresa norte-americana.

Para celulares o jogo é entregue pela N3TWORK e conta com vários modos, além de uma estética visual completamente diferente do jogo oringial. Na versão para celular é possível jogar sozinho, testando suas habilidades, convidar amigos para partidas privadas e até mesmo um Battle Royal que te coloca contra outros 99 jogadores em busca da vitória.

A atual versão se mostra uma experiência completa, ao mesclar os elementos originais com as novidades que o mercado de jogos eletrônicos introduziu ao longo do tempo.

Experimente o clássico russo nessa versão repensada para os dias atuais (Imagem: Rodrigo Folter/Captura de tela)

Altered Beast

  • Compatibilidade: Android, iOS
  • Preço: gratuito (compras internas opcionais)
  • Tamanho: cerca de 50 MB para Android e 120 MB para iOS (versão 4.1)

A Sega pode ter feito escolhas complicadas quanto aos seus consoles mas uma coisa é certa, de jogos ela entende. Dona de um dos maiores símbolos dos jogos eletrônicos, a empresa japonesa lançou ao final dos ano 1980 o beat 'em up que também se confirmou como um marco na indústria.

Através de diversos power-ups, o jogador se transforma em um fera e tem seus poderes fortalecidos para lutar contra os inimigos que surgem pela tela. Lobisomem, dragão ou tigres são alguns dos animais que o jogador se transforma, cada um com habildades específicas.

A versão para celulares entrega exatamente o mesmo que o clássico da Sega dos anos 80 e revive o sentimento que os jogadores da velha guarda tiveram ao se transformar em um lobisomem pela primeira vez. Para os que não pegaram essa época, é a chance de experimentar um dos clássicos da indústria.

Lute como diversas feras na versão para celular do clássico (Imagem: Rodrigo Folter/Captura de tela)

Q*Bert

  • Compatibilidade: Android, iOS
  • Preço: gratuito (compras internas opcionais)
  • Tamanho: cerca de 20 MB para Android e 50 MB para iOS (versão 1.3)

Muito antes de aparecer em Detona Ralph, Q*Bert chegou aos arcades e utiliza gráficos isômetricos para criar uma sensação de ambiente 3D. O jogo é bastante simples, mas como a grande maioria dos jogos de arcade da época, difíceis de dominar as mecânicas.

O jogo foi o maior sucesso da Gottlieb e foi desenvolvido por Warren Davis e Jeff Lee, marcado por uma fala que não podia ser compreendida pelo jogador, mas provavelmente não era algo amigável já que aparecia na tela "@!#[email protected]!". Além do sucesso ecônomico o jogo foi um sucesso de críticas na época.

A versão para celular tem o mesmo objetivo da original. Em um cenário pseudo-3D o jogador precisa desviar de obstáculos e transformar todos os quadrados para que fiquem da mesma cor, terminando assim o nível. O jogo conta com inúmeros Q*berts diferentes que podm ser adquiridos pelo jogador conforme avança. É um divertido e simples jogo casual, cuja dificuldade crescente te convida a retornar e jogar mais alguns minutos.

Pinte os quadrados enquanto desvia de inimigos e resolva quebra-cabeças na versão do clássico para celular (Imagem: Rodrigo Folter/Captura de tela)

Tem algum clássico que gostaria de ver para celular? Conta para a gente.

Fonte: Newzoo, American History, videogamedunkey, Understanding PAC-MAN Ghost Behaviour

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.