Assassin's Creed | Os 5 MELHORES jogos da franquia

Por Felipe Ribeiro | 27 de Maio de 2020 às 09h19
Ubisoft

Com 11 jogos lançados até o momento, não há dúvidas em afirmar que Assassin’s Creed é a maior e mais importante franquia da Ubisoft em todos os tempos. A série, que tem como premissa a luta entre os assassinos e os templários ao longo dos tempos, já nos proporcionou momentos épicos, com games absolutamente incríveis, bem feitos e divertidos.

Aproveitando a ocasião do anúncio do 12º jogo da franquia, Assassin’s Creed: Valhalla, o Canaltech revisitou todos os games para fazer esta lista com os cinco melhores jogos da franquia, indo do “pior” para o melhor.

Vale lembrar que não consideraremos os jogos lançados para celulares, portáteis e nem a série “Chronicles”.

Leia Também:

5. Assassin’s Creed III

Lançado em outubro de 2011, Assassin’s Creed III pode até passar despercebido pela maioria dos jogadores, mas é um dos títulos mais qualificados e historicamente encaixados da franquia. Com jogabilidade similar aos demais títulos da série, mas com a adição de armas de fogo, o game ganhou uma dinâmica diferente dos anteriores.

Os eventos de Assassin's Creed III se passam logo após Assassin's Creed: Revelations, quando Desmond Miles chega próximo de descobrir uma maneira de entrar no Grande Templo, onde, segundo a história, a primeira civilização que habitou nosso planeta se concentrava.

Ao entrar no Animus, ele volta a ser Connor Kenway, e o jogador passará os próximos 30 anos na vida do personagem em meio à Revolução Americana. A guerra entre os Assassinos e os Templários passa a ser na América e vemos inúmeros personagens marcantes da história norte-americana, como George Washington, Benjamin Franklin, Thomas Jefferson, Israel Putnam, Marquês de La Fayette, John Pitcairn, William Prescott, Friedrich Wilhelm von Steuben e Charles Lee.

Algo que foi muito elogiado na época do lançamento e que merece destaque mesmo nos dias atuais é a maneira como Assassin's Creed III trabalhou bem a questão temporal, com as voltas constantes de Desmond ao presente, sendo sempre necessárias para o andamento consistente do enredo.

Assassin’s Creed III está disponível para Xbox 360, PlayStation 3, Wii U e PC. Em 2019, ganhou uma versão remasterizada para Xbox One, PlayStation 4, Nintendo Switch e PC.

4. Assassin’s Creed IV: Black Flag

Lançado quase um ano depois de seu antecessor, Assassin’s Creed IV: Black Flag apresentou inovações interessantes para a franquia. Além de trazer um personagem extremamente carismático, trouxe, naquele momento, uma sensação de mundo aberto como nenhum outro jogo da série. Aqui, no comando de Edward Kenway, navegamos pelo Mar do Caribe na Época de Ouro dos Piratas, no início do século XVIII, e precisamos desvendar uma conspiração entre os Templários de alta patente dentro dos impérios britânico e espanhol, que, sob o pretexto de limpar a pirataria na região, usaram as suas posições para localizar o único homem que pode levá-los ao Observatório.

O game, basicamente, se passa em três cidades: Havana, em Cuba; Kingston, na Jamaica; e Nassau, nas Bahamas. A progressão é feita, na maioria das vezes, por terra, mas as viagens de barco estão bastante presentes. O barco, aliás, pode ser personalizado e equipado à medida que o jogador ganha mais créditos, o que nos faz chegar ao motivo principal de AC IV estar nessa lista.

O que faz Assassin’s Creed IV: Black Flag ser um dos melhores games da série é seu combate naval, que é o melhor em toda a franquia. Os métodos de recrutamento, posicionamento das armas, ordens de ataque e defesa – além da ambientação – fizeram tanto sucesso que a Ubisoft acabou pinçando essa parte do jogo para a criação de um título a parte: Skull & Bones, que será lançado em 2021.

Assassin’s Creed IV: Black Flag está disponível para Xbox 360, PlayStation 3, Xbox One, PlayStation 4, Wii U e PC.

3. Assassin’s Creed: Origins

Após dois anos sem lançar qualquer jogo para a franquia principal, Assassin’s Creed: Origins chegou em 2017 e modificou completamente a maneira como encarávamos o game. Apesar de manter algumas das características vistas em títulos anteriores, como o parkour, pegada histórica e todo o envolvimento com o presente, Origins trouxe um novo sistema de combate para a franquia, um mundo aberto rico em detalhes e com gráficos estonteantes e elementos de RPG que seriam expandidos em Assassin’s Creed: Odyssey.

O enredo se passa no Reino Ptolemaico, no Antigo Egito, e controlamos o medjai Bayek, um guardião egípcio que luta para defender seu povo das ameaças constantes e Aya, sua esposa. Como o nome do game sugere, a narrativa gira em torno das origens da luta entre Assassinos e Templários, que buscam a paz e a liberdade, mas com métodos e estilos completamente diferentes.

Aqui, além do combate, que ganhou um toque de Dark Souls, tivemos uma profunda mudança na maneira como exploramos o mapa, que é um dos maiores de toda a franquia e, até aquele momento, era o mais belo já feito, com gráficos sensacionais.

Ao controlar Bayek, temos a possibilidade de personaliza-lo à medida que aumentamos seu nível. Essas mudanças não são apenas estéticas e influenciam diretamente no combate, pois podemos equipá-lo com armas e proteções melhores, além de aperfeiçoar suas habilidades.

Assassin’s Creed: Origins está disponível para Xbox One, PlayStation 4 e PC.

2. Assassin’s Creed: Odyssey

Sequência direta de Origins, Assassin's Creed: Odyssey leva o jogador para uma aventura fantástica na Grécia Antiga, mais precisamente na Guerra do Peloponeso, travada entre Atenas e Esparta. Na pele dos mercenários Alexios ou Kassandra, corremos atrás não apenas de informações e descobertas acerca do confronto entre Assassinos e Templários, mas também de nossa própria origem dentro do game.

Odyssey é uma evolução natural do que vimos no game anterior em termos técnicos. Aqui, temos o melhor combate da franquia, que proporciona ao jogador uma variedade enorme de possibilidades de luta, muito em função da árvore de habilidades, mais completa e consistente se compararmos com a anterior. Isso mostra que a Ubisoft abraçou de vez o RPG, aperfeiçoando o sistema de evolução do personagem e de suas armas.

Os gráficos são outro ponto alto do game, com paisagens simplesmente deslumbrantes e que retrataram fielmente a Grécia Antiga, com suas inúmeras ilhas, templos e vida natural.

A cereja do bolo, claro, é o enredo, que é dos melhores em toda a franquia. Cada decisão tomada pelo seu personagem influencia diretamente em todo o prosseguimento do jogo, o que torna as coisas ainda mais realistas e imersivas. Além disso, toda a contextualização histórica foi feita de maneira impecável, o que nos permite, tal qual em outros títulos da franquia, encontrar com figuras históricas como Sócrates, Leônidas, Heródoto, entre outros.

Por ser uma clara evolução do que vimos em Origins, é natural que Odyssey ficasse na frente, mas há quem considere o contrário.

Lançado em outubro de 2018, Assassin’s Creed: Odyssey está disponível para Xbox One, PlayStation 4, PC, Nintendo Switch e Google Stadia.

1. Assassin’s Creed II

Os motivos para Assassin’s Creed II ser eleito o melhor jogo da franquia são muitos, mas tentaremos resumir. Além de ser o maior salto de um título para outro, sendo muito superior ao primeiro capítulo da franquia, o game traz a melhor variedade de missões, imersão histórica e personagens, a começar por seu protagonista, Ezio Auditore da Firenze.

O enredo se passa na Itália renascentista, mais precisamente no século V, por volta do ano de 1486. Aqui, comandamos um jovem Ezio que, depois de ver seu pai e irmãos serem mortos em praça pública por serem considerados traidores de Florença, reúne sua irmã, mãe e, junto de seu tio Mario, vai em busca de vingança, tendo como plano de fundo a guerra entre os Assassinos e Templários, já que o pai de Ezio era um Assassino.

Além do enredo, a maneira como tudo foi amarrado pela Ubisoft no campo histórico é um primor, desde a ambientação na Itália até os icônicos personagens que aparecem durante a jogatina, com destaque para Leonardo Da Vinci, importante parceiro de Ezio dentro do game, e Nicolau Maquiavel.

Outro ponto alto do jogo é a sua jogabilidade. Como citamos acima, a variedade de missões é algo que trouxe uma evolução absurda em comparação ao primeiro título, um dos mais chatos da franquia. Em Assassin's Creed II, Ezio precisa resolver os problemas de modos variados, com muita estratégia e entendimento imersivo.

Os combates também foram aperfeiçoados e Ezio ganhou mais armas, além da sua lâmina e espadas. Lanças e até machados podem ser utilizados pelo italiano, que também ganhou mais possibilidades de finalização dos inimigos, uma mais violenta do que a outra.

Além de ser o melhor jogo da franquia, Assassin’s Creed II também é o melhor dentro da trilogia de Ezio, que tem, ainda, Assassin’s Creed: Brotherhood e Assassin’s Creed: Revelations.

Assassin’s Creed II está disponível para Xbox 360, PlayStation 3 e PC. Para Xbox One, o game está disponível via retrocompatibilidade e na coletânea Assassin’s Creed: The Ezio’s Collection, que também foi lançada para PlayStation 4 e PC.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.