Análise | AW510H da Alienware tem ótima potência sonora, mas peca na ergonomia

Análise | AW510H da Alienware tem ótima potência sonora, mas peca na ergonomia

Por Rafael Arbulu | 03 de Janeiro de 2020 às 11h20
(Foto: Matheus Argentoni/Canaltech)

A imersão sonora é um dos detalhes mais procurados por audiófilos em geral e que, aos poucos, vai aparecendo também na opinião do público mais casual. E felizmente, o AW510H, novo headset da Alienware voltado para o público gamer, traz uma experiência completa no que tange ao espectro sonoro, aprimorando a imersão com uma tecnologia avançada de cancelamento de ruído, além do sempre atraente design da divisão de gaming da Dell, ainda que cometa alguns pecados que os mais puristas certamente se sentirão incomodados.

Para começar, vamos falar das características gerais do aparelho: o AW510H é um headset supra-auricular – um nome pomposo para referir-se a “fones com almofadas cobrindo as orelhas”. E fazendo jus à marca Alienware, o bicho é consideravelmente grande: são 202 milímetros de altura por 216,7 milímetros de largura, com profundidade de 104,2 milímetros de profundidade e peso geral de 370 gramas (embora pareça bem mais).

(Foto: Matheus Argentoni/Canaltech)

O headset encontra seu público-alvo na parcela multiplataforma da indústria de jogos. Embora o acessório seja mais comumente atrelado aos PC gamers, cada vez mais produtos também encontram funcionamento em consoles. Com o AW510H não é diferente: ele funciona com reconhecimento imediato no PlayStation 4 e no Xbox One, por meio dos conectores de 3,5 milímetros (o popular P2) nos seus respectivos controles.

(Foto: Matheus Argentoni/Canaltech)

No que tange ao som, o AW510H não desaponta: com saída de áudio de 7.1 surround, resposta de frequência de 20 - 40.000 Hz e impedância de 32 Ohm, esse headset é feito especificamente para quem quer “sumir” em pensamentos durante uma música ou atingir um nível aprimorado de foco durante o gameplay — e aqui vale a ressalva: qualquer jogo. Normalmente, headsets gamer tendem a preferir um gênero ou outro para controlar melhor os sons reproduzidos, mas aqui não há um trabalho específico. Em nosso teste, os sons ambientais de The Witcher 3: Wild Hunt encontraram tanta força e fidelidade quanto os passos dos inimigos em Call of Duty: Modern Warfare.

Isso é importante pois adiciona mais uma camada de estratégia – a de reação ao ambiente – à sua partida: um oponente que tenta lhe pegar desprevenido vai ter um pouco mais de dificuldade em realizar o feito já que você consegue ouvir até o mais leve dos seus passos.

Musicalmente falando, também não se encontram defeitos: a capacidade adaptativa do AW510H é, francamente, uma das mais evoluídas do setor. A Dell não fala em capacidade de inteligência artificial ou nem mesmo menciona isso como um recurso intencional (o que, invariavelmente, deixaria o periférico ainda mais caro), mas é especialmente interessante como este fone traz uma regulação sonora automática independente da configuração da sua plataforma. Por aqui, testamos reproduções musicais em diversos formatos de arquivo, além de brincarmos entre ajustes padronizados de som e também um software de equalização externo (alternamos entre o nativo do Windows e o Equalizer PRO).

Mesmo nos canais pré-configurados como nos ajustes manuais, o equilíbrio que o AW510H trouxe à experiência sonora foi sinérgico. Em nenhum momento conseguimos identificar distorções ou estouros de som, até mesmo quando o equalizador estava ajustado para preservar vozes, graves ou agudos… Tudo era regiamente obedecido, mas de uma forma balanceada, e som nenhum passava despercebido. Como dissemos, não há qualquer menção disso na divulgação feita pela Dell, então vamos atribuir essa qualidade a um “gol sem querer” da empresa.

O que vem em boa hora, pois, apesar das qualidades, os mais puristas da experiência sonora podem se desmotivar de usar o AW510H de uma forma rotineira: seu tamanho “trombolhudo” já passa a ideia de que não é o tipo de headset que você usaria, digamos, no metrô. Ainda que seu arco conte com pontas giráveis para facilitar o transporte em uma mochila padrão, por exemplo, seu isolamento acústico pode colocar o usuário em maus lençóis – você realmente não percebe estímulos externos.

(Foto: Matheus Argentoni/Canaltech)

A ausência de uma tecnologia wireless também conta negativamente aqui: na caixa do AW5101H, temos vários conectores – até mesmo um de dupla entrada, com o jack rosa e o verde, comum a computadores antigos –, mas a Alienware preferiu abster-se da experiência sem fio, talvez no intuito de preservar o consumidor de um preço já meio salgado. Pelo andar da indústria, isso pode desencorajar uma adoção mais versátil do aparelho, que fica limitado a “estar plugado” em algo para funcionar. Tem quem goste, mas o mercado como um todo caminho para o sentido oposto.

O design é, como sempre, belíssimo, ainda que exista um probleminha. Chame isso de chatice, que possa variar de pessoa para pessoa, mas o topo do arco deste headset não fica exatamente “firme” na cabeça. Você pode achar pouca coisa, mas é somente depois de acontecer contigo é que perceberá o quanto algo aparentemente inócuo faz uma diferença notável: sempre que você for, por exemplo, virar uma garrafa d’água, o fone vai cair. Como dissemos, parece algo meio besta de se reclamar, mas experimente passar pelo susto de tentar pegar um headset desse tamanho pelo fio, no meio de uma partida online. Ou você força o pescoço em um só lugar, ou começa a beber água de canudinho.

Pormenores à parte, o AW510H traz uma boa relação custo-benefício, oferecendo ao usuário um produto poderoso, oriundo de uma das principais e mais reconhecidas marcas do mercado, a um preço que, ainda caro, não passa a impressão de que você está sendo assaltado. Pela loja online da Dell, o Alienware AW510H está saindo por R$ 598,00 (ao fechamento deste texto, a empresa estava com uma promoção e o fone estava marcado por R$ 508,00). Existem modelos melhores? Com certeza, porém mais caros. Ao mesmo tempo, há modelos bem piores que, ou são baratos demais e não cumprem o que prometem; ou continuam caros, ainda que tragam menos benefícios ao usuário.

Aqui, pelo menos, você paga pelo que você ganha.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.