Vídeo mostra Jeff Bezos flutuando em nave da Blue Origin. Como isso é possível?

Vídeo mostra Jeff Bezos flutuando em nave da Blue Origin. Como isso é possível?

Por Danielle Cassita | Editado por Patrícia Gnipper | 21 de Julho de 2021 às 11h27
Blue Origin

Nesta terça-feira (20), Jeff Bezos, acompanhado por outros três tripulantes, voou ao espaço a bordo do foguete New Shepard, da Blue Origin. O voo, que durou cerca de 11 minutos, incluiu alguns instantes para a tripulação experimentar como é a sensação de ausência de peso e, claro, proporcionou também uma visão bastante privilegiada da Terra vista do espaço. Este foi o primeiro voo comercial totalmente tripulado realizado com este foguete, que já soma 15 voos de teste em seu histórico.

O voo foi lançado nas instalações da Blue Origin no Texas, levando Jeff Bezos e seu irmão Mark Bezos, a piloto Wally Funk e o estudante Oliver Daemen para a viagem a bordo do sistema New Shepard, composto por cápsula e booster. Após alcançar determinada altitude, a cápsula é liberada do foguete, que retorna autonomamente para o solo — e foi neste momento que a tripulação pôde experimentar a sensação de ausência de peso, flutuando pela cabine.

Veja como o momento foi incrível:

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Isso acontece porque, conforme o foguete se aproxima da altitude máxima de aproximadamente 100 km, a cápsula é liberada do booster e segue em uma trajetória parabólica, em arco. Assim, os passageiros a bordo puderam flutuar pela cabine por alguns minutos, até que foram orientados a retornar para seus assentos e prender os cintos de segurança novamente, preparando-se para voltar para casa. Ao fim do voo, a cápsula é desacelerada por paraquedas e pousa em segurança no solo. Futuramente, a Blue Origin espera fechar contratos com empresas para realizar experimentos na microgravidade.

Além de sentir rapidamente como é a sensação de ausência de peso, eles puderam também observar nosso planeta de uma forma totalmente diferente através das janelas da cabine. “Para mim, a parte mais profunda foi olhar a Terra e a atmosfera”, disse Jeff Bezos durante uma coletiva de imprensa realizada após o voo. “É uma coisinha minúscula e frágil, e conforme nos movemos pelo planeta, estamos danificando-o”, descreveu.

Bezos e Wally Funk após o voo (Imagem: Reprodução/Blue Origin)

Bezos ressaltou também a grande diferença que é ver a fragilidade da Terra com os próprios olhos. “Esse é o único planeta bom no Sistema Solar”, disse. “Enviamos sondas robóticas para todos eles e esse é o único bom, prometo. Portanto, temos que cuidar disso”, finalizou o fundador da Blue Origin. Durante coletiva de imprensa, ele afirmou que dividirá seu tempo entre a Blue Origin e a Bezos Earth Fund, uma organização dedicada ao combate às mudanças climáticas e à promoção da sustentabilidade — no ano passado, Bezos prometeu dedicar US$ 10 bilhões para colocar a instituição em ação.

Esse efeito vivido por Bezos e pelos demais tripulantes do voo já foi experienciado por outros astronautas, e tem um nome próprio: trata-se do efeito overview ("efeito de visão geral", em tradução livre), um termo criado por Frank White e descrito em um livro publicado em 1987. Basicamente, o efeito seria uma mudança cognitiva que acontece com os astronautas que observaram nosso "pálido ponto azul" flutuando pelo espaço, pequeno, frágil e protegido por uma fina atmosfera.

Fonte: Space.com (1, 2)

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.