Verão em Marte significa a chegada de tempestades do tipo "demônios de poeira"

Por Danielle Cassita | 19 de Outubro de 2020 às 09h37
NASA/JPL/UArizona

Tal qual observamos em nosso planeta, Marte também passa por mudanças sazonais causadas pela inclinação de seu eixo, mas as coisas costumam ficar bem intensas por lá: o Planeta Vermelho conta com tempestades de poeira frequentes e violentas — e, durante os verões, essas tempestades podem criar redemoinhos conhecidos como “dust devils” ou "demônios de poeira". 

Os demônios de poeira são causados pelo aquecimento do ar perto de uma superfície seca. Nisso, o ar aquecido sobe rapidamente para cima do ar mais frio e começa a girar, causando uma formação que se desloca. Com a poeira que levantam do chão, essas colunas de ar giratórias tornam-se visíveis, e vão levando poeira e areia conforme se movem e deixam um rastro “limpo” para trás. Algumas missões que visitaram Marte ou o orbitaram conseguiram registrar esses fenômenos em ação, e uma delas é a missão Mars Reconnaissance Orbiter (MRO), que flagrou demônios de poeira gigantescos “flutuando” pela superfície do planeta enquanto deixavam rastros escuros no regolito de Marte. O núcleo da tempestade observada ali alcançou os 50 metros de diâmetro.

Demônio de poeira observado na cratera Gale (Imagem: Reprodução/NASA/JPL-Caltech/TAMU)

Pesquisadores já observaram alguns padrões durante os dias de verão ou primavera marcianos: nestas épocas, os demônios de poeira parecem começar a aparecer durante a manhã, por volta das 10 horas no horário local, conforme o solo começa a se aquecer. Mais tarde — às três da tarde, aproximadamente —, o solo começa a se esfriar e eles iniciam o movimento. Os demônios de poeira não duram mais que alguns minutos, mas podem chegar a impressionantes 20 quilômetros de altura. 

Já a missão Perseverance, que está a caminho de Marte desde julho de 2020, conta com microfones que poderão captar os sons do Planeta Vermelho e, quem sabe, do ruído dessas gigantescas tempestades. Os demônios de poeira já foram considerados os culpados por limpezas inesperadas nos painéis dos rovers que exploram o planeta, então é importante que os cientistas compreendam bem esses fenômenos para que possam prever quando irão acontecer e, assim, reduzir os riscos para a possível exploração e colonização humana no Planeta Vermelho no futuro. 

Fonte: Universe Today

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.