Protótipo do foguete Starship falha mais uma vez em terceiro teste da SpaceX

Protótipo do foguete Starship falha mais uma vez em terceiro teste da SpaceX

Por Daniele Cavalcante | 03 de Abril de 2020 às 17h34
SpaceX

A SpaceX realizou o primeiro teste com o terceiro protótipo do veículo espacial Starship (misto de foguete com nave) na madrugada desta sexta-feira (3) e, assim como aconteceu nos dois testes anteriores, o resultado foi uma explosão que destruiu o modelo SN3. Dessa vez, a falha parece ter sido consequência de um problema com o próprio teste.

O teste criogênico ocorreu nas instalações da empresa no sul do Texas, às 3 da manhã (horário local). Os tanques de propulsão do veículo foram preenchidos com nitrogênio líquido para a empresa se certificar de que a estrutura poderia suportar a alta pressão da temperatura criogênica, abaixo dos -150 ºC.

Pouco depois, no entanto, o veículo começou a amassar em um de seus lados, fazendo com que a parte superior do veículo tombasse.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

O CEO Elon Musk publicou rapidamente em seu Twitter uma mensagem sugerindo que a falha pode ter sido causada por um problema no próprio teste. "Veremos o que a revisão de dados diz pela manhã, mas isso pode ter sido um erro de configuração do teste", escreveu ele. Em outra publicação, Musk afirmou que algumas válvulas vazaram quando expostas à baixa temperatura. “Vamos consertar e testar de novo logo”, disse.

Em novembro de 2019, o protótipo Mark 1 sofreu uma falha durante um teste semelhante, resultando em pedaços da nave se espalhando pelo ar. O segundo protótipo chamado SN1 também explodiu em um teste de tanques criogênicos em 28 de fevereiro.

A SpaceX esperava que o SN3, caso fosse bem-sucedido no teste criogênico, seria usado para testes estáticos e voos curtos. Apenas após passar por todos esses experimentos o veículo poderá começar a fazer voos mais longos, acima da superfície terrestre. Quando tudo estiver correndo bem com os protótipos, a empresa seguirá no desenvolvimento da nave que será capaz de levar até 100 pessoas a destinos como Marte.

Fonte: SpaceNews

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.